HOMEM SER ESPIRITUAL

O conceito de ser binário - espírito e corpo -, aceito por várias correntes espiritualistas, não é suficiente para explicar as diversas ocorrências que envolvem o homem no terreno transcendental.

A falta de um elemento intermediário conduzirá automaticamente ao misticismo, pela ausência de dados que expliquem, de maneira racional, determinados fenômenos.

Somente quando analisado em seu tríplice aspecto: - espírito, perispírito e corpo - o homem encontra respostas claras para situações que até pouco tempo permaneceram obscuras.

O perispírito desempenha função importante na economia global do ser, por constituir o elemento de ligação entre os dois extremos da vida.

Através dele, o espírito canaliza as emoções para o corpo e, também por seu intermédio, recolhe as impressões da estrutura física.

É no perispírito que inúmeras moléstias terão origem, manifestando-se depois na roupagem de carne .

Do mesmo modo, emoções em desalinho, produzindo desequilíbrios no perispírito, resultarão muitas vezes em doenças físicas.

Será igualmente através do corpo semimaterial que a criatura registrará as impressões do ambiente, podendo recolher ainda as emissões mentais daqueles que a circundam.

Por esse mecanismo, espíritos infelizes tentarão afetá-la, atingindo os centros vitais, provocando distonias físicas.

Entretanto, o homem terá sempre ao seu alcance o recurso da prece e do pensamento elevado, para colocar-se acima de tais Injunções.

Conhecendo-se como ser espiritual, pode o homem evitar inúmeros tropeços e, ao mesmo tempo, ensejar a si mesmo infinitas oportunidades de progresso.

O bem-estar que vier a experimentar será fruto da consciência pacificada e do otimismo consciente, que funcionam como antídotos às ameaças exteriores.

Ao descobrir-se filho de Deus, a criatura não mais abrigara temores, antes dará lugar à confiança, que ensejará o equilíbrio necessário em todos os aspectos da vida.

Joaquim de S. Ribeiro