RESSURGIU

O sepulcro estava vazio.

O que parecia ter sido a vitória do mal sobre o bem, agora era uma porta aberta a grandes interrogações.

A aparente derrota da luz se desmanchava ante a fenda aberta na rocha.

A soldadesca romana estremeceu ante a cena inesperada.

Até mesmo entre seus discípulos houve quem abrigasse dúvidas.

Mas era verdade! Após o martírio na cruz, Ele reaparecera. Primeiro a Maria, a arrependida de Magdala. Em seguida, a dois companheiros na estrada de Emaús. Depois, aos próprios discípulos que, entre alegres e estupefatos, puderam constatar a vitória da vida sobre a morte.

Entretanto, mais do que a certeza da imortalidade, o ressurgimento do Mestre trouxe novos ensinamentos.

A tumba vazia demonstrava que, quando tudo parecia perdido, a vida reaparecia, dando novo ânimo às criaturas.

Onde antes se apresentava o aparente fracasso, ressurgia agora a esperança. No lugar onde se imaginava ter sido o fim de tudo, reaparecia agora o ensinamento, convidando todos à perseverança e à fé.

No mundo, haverá momentos em que tudo parecerá fracasso e derrota.

Surgirão situações em que o mal parecerá vencer o bem. Não faltarão fases em que a morte assolará os descrentes da vida.

Nestes instantes, recordemos Jesus fora do túmulo, vencendo a morte, a injustiça, a descrença e, sobretudo, atestando o sentido passageiro de toda dor.

No ressurgimento do Mestre, alimentemos as esperanças em nosso próprio ressurgimento ante as dores, tribulações e provas, a fim de que não permaneçamos sepultados no sepulcro do desânimo, mas nos apresentemos à vida, como Ele o fez, testificando a vitória da luz e do amor.

Servílio Marrone