FESTIVAL DE BÊNÇÃOS

Não desdenhes os valores inapreciáveis do serviço cristão, no teu processo de renovação espiritual.

Não desconsideres a contribuição ao sofrimento, na programática do teu crescimento íntimo.

Não subestimes os testemunhos da renúncia e da humildade, no esforço de libertação pessoal.

Não desdenhes as ciladas morais na vilegiatura carnal, durante a aprendizagem espírita.

Não desprezes o contributo do estudo e da meditação, face aos compromissos da tua própria evolução.

Não te escuses ao trabalho, por mais insignificante ou mais expressivo, que te constitui desafio à comodidade, perante a escalada do teu progresso.

Não te infirmes, na condição de aprendiz, colocado como estás no processo de educação espiritual.

Comprometido com a vida, estagias no educandário terrestre, sob disciplinas necessárias ao crescimento e à conquista da paz.

Atado à retaguarda por vínculos infelizes, experimentas as constrições de que dependes, embora anelando por libertação.

Age, enquanto é hoje. Ajuda, além do teu limite. Cresce, pelo desprendimento de ti mesmo e auxilia os que te retêm no dédalo das aflições.

Não marchas a sós, sem companhias com as quais sintonizas em razão do pretérito, tanto quanto dos objetivos que te fascinam a mente e o sentimento.

Eleva o padrão das tuas aspirações e trabalha o solo dos teus desejos, semeando a luz do amor, a fim de que o amor te responda com paz por cada lance de sacrifício e luta.

Vigia as nascentes do sentimento e não te canses de aprender, ensinar e viver a lição do otimismo que ressuma da palavra do Senhor.

Um dia, bendirás todo este esforço e, ao praticá-lo, desde agora, compreenderás que a verdadeira felicidade nasce como uma suave claridade estelar que atinge a plenitude e absorve toda a sombra e tristeza, num festival de bênçãos para o Espírito.

Joanna de Ângelis