MUDANÇAS E MUTAÇÕES

MUDANÇAS E MUTAÇÕES

Ao longo da vida, mudanças acontecem sempre quando nos encorajamos a tomar atitudes, muitas vezes difíceis, que nos conduzem a alterar nossa rotina, com a qual estávamos acostumados, ou mesmo nos acomodávamos com receio de nos desligar de coisas ou pessoas.

Isso acontece, principalmente, quando já adentramos ao outono da vida no qual sucedem perdas naturais e distanciamento dos que amamos, seja pela desencarnação ou, ainda, pelas contingências da vida que segue o seu curso normal. O importante é não nos alienarmos nem ficarmos algemados às queixas ou lamentações que aumentam nosso sofrer. Aos poucos, compreendemos que o sofrimento nem sempre é motivado pela ausência dos que se foram; costuma ser, frequentemente, por autopiedade ou um sentimento mais acentuado de egoísmo.

Se alimentamos nossas dores e as agravamos com pensamentos negativos, deprimentes e lesivos ao nosso equilíbrio psíquico, estamos transformando as mudanças em graves cometimentos que independem de nós porque somos compelidos a atitudes que nos induzem ao desanimo e inconformismo. Há de se considerar que existem mudanças e mutações... Associamos mudança ao deslocamento voluntário ou não de um local para outro; mas "mudar" tem uma conotação mais ampla - pode ser uma troca de aspecto, natureza, uma transformação e até mesmo ir-se para outra parte, desaparecer - passar de um estado para outro.

Mutação, sendo também uma mudança, poderá ser associada a uma inconstância ou variação. Não teria a mesma estabilidade da mudança convencional ou da transformação. 0 termo é mais apropriadamente usado quando se refere à variação biológica na constituição hereditária. E hoje ouvimos muito falar nesta mutação quando se trata de estudos da genética e da reprodução humana.

Falando mais apropriadamente em sentimentos e comportamentos, as mudanças são mais frequentes que as mutações que iriam implicar transformações mais profundas em nosso psiquismo, pois estão ligadas ao processo de evolução espiritual.

A inconstância é inerente à mutabilidade e não podemos divorciá-la de nosso viver porque buscamos incessantemente nossa transformação moral, o que não condiz com a rigidez que se aplica ao termo. As mudanças são mais fáceis de entender e empregar em nosso comportamento diário, quando visam ao nosso progresso moral e ao bem-estar de quem caminha conosco.

Temos de um modo geral um comportamento conservador. Os mais jovens gostam e podem mudar com mais frequência, alterar programas, distanciar-se dos que não estão consoantes com suas preferências ou objetivos. Entretanto, quando atingi mos um grau mais elevado de maturidade física e emocional, as mudanças são mais profundas e alteram com maior intensidade nossa vida, nosso modo de ser.

Ninguém é capaz de deter a marcha do progresso. Nossa destinação espiritual é a felicidade. Portanto é nosso dever contribuir para atingir esta meta, conquistando-a através da transformação moral e mudança dos hábitos nocivos pelos saudáveis.

Aceitando nossas limitações em se tratando de alterar as estruturas do mundo e da Humanidade, podemos, entretanto, mudar nosso mundo íntimo, melhorando a paisagem interior e iluminando-a com as luzes da compreensão e do amor.

Mudando nosso comportamento e alterando nossas diretrizes na busca do crescimento espiritual, estaremos contribuindo para a melhoria de toda a Humanidade.

Joanna de Angelis nos diz que:

à medida que o ser humano evolui, maior se torna a sua capacidade espiritual de externar os sentimentos que lhe exornam as estruturas íntimas, ampliando a capacidade de entendimento da vida e dos conteúdos mais variados, profundos e superficiais, graves e sutis, que são todo o patrimônio alcançado ao largo do inevitável processo antropossociopsicológico.77FRANCO, Divaldo P. Triunfo pessoal. P. 39.

Estamos, portanto, em constantes mudanças em busca do sentido real de nossa existência terrena. Somos, segundo o pensamento da Benfeitora espiritual "um feixe de emoções por deslindar e desenvolver, de forma que se faculte estados interiores de bem-estar e plenitude, que independem de coisas e lugares, de circunstâncias e de posses".

Assim, em determinado bairro ou cidade, ter ou não ter facilidades econômicas não estarão contribuindo em nada com as reais mudanças que teremos que realizar ao longo do tempo na busca do sentido existencial e nas alterações mais profundas em nosso modo de ser e agir na sociedade em que estamos inseridos atualmente. Nosso progresso moral está intimamente ligado às mudanças íntimas e à conduta real no enfrentamento das dores morais e das dificuldades inerentes à programação estabelecida pelas Leis Divinas visando às expiações e provas por que teremos que passar nesta encarnação.

Os comentários a respeito das mudanças, estimado leitor, são reflexões mais profundas sobre a vida de todos nós, ao defrontarmos necessidades reais de alterar os rumos de nossa existência. Contemplando um pouco mais distante a montanha que esteve diante de mim por longas décadas, enquanto morava em outro bairro de minha cidade, fiquei pensando como é bom não ter apego a nada e ir, ainda em vida, nos despojando das coisas e dos bens...

A alma fica mais leve, os pensamentos fluem melhor, e no exemplo da Natureza encontramos a beleza da vida que segue seu rumo, inflexível, mesmo sofrendo mudanças provocadas pelo homem, permanecendo imutável em sua forma mais profunda a nos beneficiar a cada alvorecer com a luminosidade do sol e a carícia do vento que fala à nossa sensibilidade, trazendo noticias distantes de um passado que não retornará jamais, mas que é bom de se recordar.

Assim, na vida de todos nós ocorrem mudanças e mutações O importante é não perder a fé nem a coragem de prosseguir vendo, cada momento, em paz, na busca incessante de nosso crescimento espiritual.

LUCY D.RAMOS