REALIDADE ESPIRITUAL

REALIDADE ESPIRITUAL

Nesta manhã de inverno, a montanha se cobre de nuvens densas que se derramam até sua encosta em nevoeiros mais tênues, aumentando a intensidade do frio, pouco rigoroso neste ano. Já podemos sentir a proximidade da primavera, na leveza do vento e no perfume de algumas flores que se antecipam, enfeitando os jardins e os campos.

Na mutação da Natureza que expressa uma renovação constante, alterando as paisagens que se sucedem em cores variadas, encontramos o convite da vida para que não nos acomodemos e prossigamos confiantes nas diretrizes traçadas, buscando sempre o progresso moral - objetivo maior de nossa programação reencarnatória.

Em cada novo alvorecer ressurgem novas oportunidades de refazer caminhos, realizar planos e alterar roteiros na busca de nosso crescimento espiritual.

As alterações da Natureza, desde as coisas mais simples, como o desenvolvimento da planta que ressurge tímida após a devastação de uma queimada, como um milagre da vida, até à grandiosidade do mar revolto, lavando as impurezas que maculam suas águas, devolvendo-as à terra em sucessivas ondas, constituem o dinamismo da evolução a nos mostrar que somente pelo trabalho incessante e pelo entendimento das Leis Divinas poderemos crescer e entender nossa realidade espiritual.

Nos sucessivos ciclos da Natureza tudo é renovação. As modificações climáticas estabelecem os momentos propícios de semear, adubar, irrigar, colher... A Natureza é sempre pródiga em exemplos de perseverança e equilíbrio, refazendo pacientemente os danos causados pelo homem que tenta alterar a ordem natural da vida.

Em cada gesto, em cada exemplo, Jesus nos ensinou a amar a Natureza, nas coisas simples que Ele narrava em suas parábolas, com sabedoria e simplicidade.

Ensinou o caminho, mas poucos se dispõem a segui-lo.

Plasmando em nossas mentes o ideal da imortalidade da alma, da continuidade da vida após a morte, Jesus, com seu amor, nos legou o conhecimento para a conquista da Verdade e da Vida: contudo, nos apegamos com mais intensidade aos bens materiais em detrimento do enriquecimento de nossos Espíritos imortais.

Somos livres à medida que nos libertamos das amarras do preconceito, do desamor, do apego ao que possuímos. O "ter" tem causado muitos aniquilamentos e retardado o crescimento espiritual dos homens. Mas quando ele se volta para dentro de si mesmo e busca em sua essência o que representa sua vida, o ser imortal que nele habita, inicia uma revolução moral de dentro para fora, que facilita seu entendimento acerca de sua espiritualidade e da necessidade de educar seus sentimentos e refinar suas emoções. Por meio da reflexão nos vemos como realmente somos.

Enxergamos a beleza da vida como dádiva em nosso viver, com toda a riqueza que Deus nos concedeu nas coisas simples que nos cercam, quando começamos a dar uma diretriz mais correta ao nosso pensamento, libertando-o e canalizando-o para o belo, para o bem, para o amor. Assim melhoramos nossa sintonia espiritual e nos alimentamos com fluidos menos densos, mais condizentes com nossas aspirações superiores.

Temos liberdade de pensar, de criar, de observar o que nos cerca sem as limitações do egoísmo, da inveja e, assim, ampliamos nossas antenas mentais, percebendo com mais clareza os objetivos reais de nossas vidas.
Joanna de Angelis nos leciona que:

As revoluções do pensamento têm sido muito velozes e se acentuam nesta última década, prenunciadora da Nova Era da Consciência, quando os horizontes se farão mais amplos e a compreensão humana da criatura se tornará mais profunda, particularmente em torno do Si, do Espírito imortal.58FRANCO, Divaldo P. Vida: desafios esoluções. P. 102.

A busca desta realidade que se origina no mundo interior irá nos conceder a força e a autonomia para conquistar a liberdade tão sonhada direcionada para o bem, livrando-nos das inquietações perturbadoras, do primitivismo em que nos demoramos, retardando nossa evolução espiritual.

O que a Psicologia moderna propõe atualmente já era preconizado por Jesus, segundo o pensamento da Mentora citada quando diz que "seus ensinamentos constituem um verdadeiro tratado de psicoterapia e deve ser relido com visão nova e profunda por todos, particularmente conforme vem ocorrendo com a Psicologia e as demais doutrinas do psiquismo".

Mostrando com simplicidade a renovação da vida em cada alvorecer, desejei mostrar que podemos fazer em nosso mundo íntimo esta revolução espiritual, aprofundando nosso pensamento nas reflexões sobre o que somos e o que desejamos ser. Devemos rever, repensar nossas atitudes para despertar para esta nova realidade espiritual, dentro de uma linha de equilíbrio e serenidade íntima. Consoante o que preconiza o bom senso, o equilíbrio será sempre o posicionamento ideal em todo empreendimento.

Na vida de relação, nas ações praticadas iremos evidenciar se já conquistamos este patamar e se estamos, realmente, coerentes com este aprendizado.

Ação é palavra de ordem em todo o Universo. O movimento constitui mecanismo que impulsiona a vida em todos os sentidos. O ser humano somente se identifica com a sua realidade quando age, tornando-se útil, desprendido dos bens materiais e das paixões pessoais ainda primitivas. Muitas desgraças que lhe acontecem são lições da vida, cujos bens morais deverá compreender e armazenar.

Na superação destes infortúnios, na conquista da serenidade íntima, o ser encontrará a libertação espiritual que o conduzirá no rumo de sua caminhada evolutiva com mais segurança e confiança no enfrentamento das dificuldades, encontrando as soluções ideais para os problemas existenciais.

Viver é um desafio que concerne a cada um de nós. Não existem fórmulas mágicas que nos facultem privilégios ou atenuem nossas dores, que não estejam coerentes com as leis da vida. Somente o amor e o perdão incondicional nos farão mais fortes e atuarão como facilitadores desta conquista imperecível - vencer tudo o que dificulta nossa ascensão espiritual, mudar nossa realidade, identificando-nos como Espíritos eternos que procu
ram a felicidade por meio da harmonização do mundo íntimo.

LUCY D. RAMOS