SEMEANDO ESPERANÇAS

SEMEANDO ESPERANÇAS

Nas horas de solidão, quando em silêncio contemplamos a Natureza que nos envolve, sentimos mais intensamente a beleza imensurável da vida. Observo, enlevada, as Hores caindo em cachos coloridos da acácia cor-de-rosa que juntos plantamos numa distante tarde de setembro... Éramos jovens, sonhadores com tantos planos para o futuro. Muitas vezes nossos sonhos divergiam, mas sabíamos sempre encontrar um ponto de ligação para podermos continuar nossa caminhada lado a lado. Gostávamos de plantar árvores. Não nos preocupava se iríamos viver para assistir a seu crescimento, se elas iriam florir ou dar frutos para nós. Nós já compreendíamos o valor da generosidade e, mesmo não podendo desfrutar do que semeávamos, não deixávamos de prosseguir com nossos sonhos semeando flores, cultivando árvores no contato benfazejo da Natureza.

Felizmente tivemos a oportunidade de assistir à floração de Seguramente foi isso que aconteceu com tudo o que realizamos ao longo do caminho. Algumas árvores morreram precocemente, muitas obras ficaram inacabadas... Motivos alheios a nossa vontade desviaram muitas rotas que delineamos em tudo o que buscávamos realizar. Mesmo assim, nunca desanimamos e prosseguimos semeando gestos de amor, de solidariedade, de compaixão. Algumas vezes fomos incompreendidos e tivemos muitos desafios e lutas para conseguir vencer os obstáculos. Mas algo maior nos sustentava e prosseguíamos confiantes e esperançosos.

Diz-nos Leon Denis, em sua magistral obra O problema do ser, do destino e da dor, cap. VIII, que "as menores particularidades da nossa vida registram-se em nós e deixam traços indeléveis. Pensamentos, desejos, paixões, atos bons ou maus, tudo se fixa, tudo se grava em nós".4'DENIS, Leon. O problema do ser, do deMíno e da dor.

Nossa memória seletiva os vai evocando a cada cena atual, na presença de algo que nos faz relembrar o fato ou a pessoa, levando-nos a reflexões e pensamentos gerados por energias positivas ou negativas seguindo as particularidades da emoção ou sentimento que chegam por estas lembranças. É rico o acervo de nossas recordações. Poderão ser agradáveis ou nefastas. Tudo dependerá do que semeamos...

É muito bom recordar fatos e pessoas que dão origem a sentimentos de gratidão, de ternura, de generosidade. Todos nós tivemos pessoas assim em nossa vidas. Talvez, na ocasião em que as tivemos conosco, ainda não sabíamos o valor destas pre¬senças. Mas, ao evocá-las, compreendemos quanto marcaram nossas mentes com seus gestos de amor e devotamente

Quando sofremos perdas ou limitações impostas por enfermidades, se estamos em paz interiormente, sustentados pela fé em Deus e conhecedores de suas sábias leis, não nos entregamos ao desespero, o que agrava ainda mais a dor que nos aflige. Buscamos na prece, na meditação, a sustentação necessária para prosseguir vivendo.

Os recursos espíritas nos oferecem toda a estrutura para novas experiências e o apoio necessário para não nos descurarmos dos deveres de cada dia, nem das tarefas daqueles que estão a nosso lado, muitas vezes sofrendo mais e precisando de esclarecimentos e reconforto espiritual.

Colhemos hoje o que semeamos no passado. É necessário prosseguir semeando a esperança, o amor e, nos gestos de apoio aos que sofrem, encontrar novas motivações para viver.

A dor tem a magia de tocar as fibras mais sensíveis de nossa alma. Sua função educativa é acrescida deste poder sublime -nos conduzir com maior intensidade sob o toque da sensibilidade - fazendo que nos tornemos mais receptivos ao amor, ao perdão, à compreensão e passemos a valorizar cada momento, cada palavra, cada gesto de carinho e apoio que nos chega ao coração.

A beleza das flores, o barulho da chuva que cai mansamente molhando a terra ressequida, o cheiro do capim em torno da estrada... É possível sentir a beleza da Natureza mesmo em momentos de dor e infortúnio.

Quantas vezes nosso coração está apertado e dorido ante a ausência de um algum afeto que partiu antes de nós. As lágrimas descem pelo rosto lavando-nos as emoções e mitigando a dor... Muitas vezes, em momentos assim, somos procurados por alguém que sofre, chora suas mágoas e busca o conforto ao nosso lado... Sufocamos nossa dor para ouvir o que o amigo tem a nos dizer e buscamos palavras que o conforte, levando-o a acender a luz da esperança em seu coração. Depois ele se vai e a nossa dor parece ser menos intensa. Um doce refrigério nos invade e buscamos na prece a força para seguir nosso caminho.

Se você, meu irmão, está sofrendo, não perca a esperança de dias mais calmos e serenos. Olhe em torno de você. Veja co¬mo a Natureza é pródiga em bênçãos que suavizam seu viver. Seja grato a Deus e prossiga. Mãos amigas irão sustentá-lo e logo surgirá o amanhã pleno de vida e esperanças. A cada amanhecer o sol brilha com a mesma intensidade, nossos sentidos físicos é que não conseguem perceber sua radiação intensa. Entretanto, é a mesma força a sustentar a vida. É preciso buscar na beleza que esplende a seu lado a coragem de seguir sempre em frente.

Joanna de Angelis nos diz que, se confiamos nas Leis Divinas, as dores mais acerbas e os desafios mais perturbadores tornam-se menores do que podem parecer. E esclarece:

[...] a cada lance vencido alcanças um patamar de maior elevação do que o anterior. Esse processo deflui do sofrimento bem aceito ou do amor vivenciado com abnegação. Duas vertentes, portanto, para a felicidade são: a dor que regenera, liberando do caos em que cada um se atirou, e o amor que santifica, alçando a emoções libertadoras.42 Franco Divaldo, Libertação pelo amor

Nestas reflexões, as emoções me invadem quando estou a recordar os que amo e não estão a meu lado, desejando retornar no tempo e leio as palavras do poeta que neste momento repetirei para você:

Você apreciaria medir o infinito e o incomensurável tempo. Gostaria de ajustar sua conduta e posicionar seu espírito no mesmo curso das horas e estações. Do tempo faria um riacho e se sentaria na margem para observá-lo fluir. Ainda assim, o que em você foge ao tempo está ciente da eternidade da vida. E sabe que o ontem nada mais é do que a recordação do hoje e que o amanhã é o sonho de hoje. Aquilo que em você canta e contempla ainda vive dentro daquele primeiro momento em que as estrelas foram semeadas no espaço. (Khalil Gibran, O Profeta, Madras, 2003.)43Campell, Eilsen, Tempo de viver

Semeie você também as flores da esperança em outros corações e sentirá em sua alma o perfume do amor a suavizar seu caminho.

LUCY D. RAMOS