PARÁBOLA DO FERMENTO

 

 

1 - A PARABÓLA DO FERMENTO - CAIRBAR SCHUTEL

"O Reino dos Céus é semelhante ao fermento, que uma mulher tomou e escondeu em três medidas de farinha, até ficar toda ela levedada".

(Mateus, XIII, 33 - Lucas, XIII, 20-21)

Não há quem ignore o processo da panificação. Lança-se um tanto de fermento na massa de farinha, mistura-se e espera-se que fique toda levedada, para o que muito concorre o calor.

Aparentemente, quem vê a massa não diz que tem fermento; entretanto, depois de algumas horas, a própria massa levedada acusa a presença do mesmo.

Assim é o Reino dos Céus: o homem não se pode transformar, de simples e ignorante, em elevado e sábio de um momento para outro, como o levedo não transforma a farinha na mesma hora em que ela é posto. Aos poucos, à medida que ouve a voz dos profetas, a palavra dos emissários do alto, a inteligência do homem se vai esclarecendo e o seu Espírito se transforma: ele assimila o Reino dos Céus, que à prima facie lhe pareceu um enigma, mas depois se lhe apresentou positivo, racional, lógico.

Quem diria que uma só medida de fermento, em três medidas de farinha, leveda a mesma? É preciso, porém, lembrar que o calor, não só na farinha para o pão, como também no homem, para a transformação de Espíritos, é indispensável. E este calor pode traduzir-se na atividade que empregamos para o progresso que somos chamados à conquistar.

Cairbar Schutel

2 - ANTONIO MATTE NOROEFÉ

A PARÁBOLA DO FERMENTO

"DISSE-LHES OUTRA PARÁBOLA; O REINO DOS CÉUS É SEMELHANTE AO FERMENTO QUE UMA MULHER TOMOU E GUARDOU EM TRÊS MEDIDAS DE FARINHA, ATÉ FICAR TUDO LEVEDADO". MATEUS cap. 13 - vers. 33.
*
Amiguinhos queridos: Esta pequena parábola nos traduz significativa idéia sobre a conquista, por nossa parte, do reino superior da espiritualidade.

Como Deus nos criou simples e ignorantes, conforme lemos na questão 115 do Livro dos Espíritos, de Allan Kardec, vamos crescendo (levedando) espiritualmente, através de muitas existências, até atingirmos as moradas celestiais.

Este crescimento somente acontecerá se empregarmos nosso esforço na prática do Bem para com todos - pessoas, animais, pássaros, enfim, a todos os seres vivos da Criação Divina.

Não nos esqueçamos que o vegetal também é VIDA, cumprindo-nos, assim, o dever de preservar a nossa flora, cuidando para não depredá-la. Somente assim, caríssimos amiguinhos, é que atingiremos a grandeza espiritual que nos dará meios de participarmos do reino dos céus.

VOCABULÁRIO:
Depredá-la - devastar, destruir.
Levedado - fermentar, crescer.

FRANCISCO VALDOMIRO LORENZ

3 - PARÁBOLA DO FERMENTO

A quarta parábola, contada por Jesus à beira do I.ago de Genesaré, é pequenina mas de grande significado.

Nela o Mestre vai indicar o poder de transformação que existe nas idéias.

O reino dos céus é semelhante ao fermento que uma mulher tomou e pôs em três medidas de farinha, até que tudo ficasse fermentado.

Que formidáveis transformações químicas o fermento produz na massa que o recebe!

Pois, a idéia espiritual na mente da pessoa tem poder igualmente transformador, modificando ampla e profundamente o seu modo de pensar, sentir e agir.

O fermento, porém, tem de ser introduzido na massa, para ficar em contato com ela, o que pode ser feito com a palavra, o livro, as imagens da televisão, até mesmo pela telepatia.

Em tudo que pensamos e fazemos, estamos buscando ou recebendo o poderoso fermento das ideias.

Além de ficar agindo na massa levedada, o fermento pode passar a fermentação a outras massas.

Também a idéia espiritual, que está vivendo e agindo em alguém, pode comunicar-se aos que o rodeiam e ir promovendo neles idêntica transformação, levedando a "massa humana", todo o grupo social.

Therezinha de Oliveira