CASAS ESPÍRITAS

1) O crescimento quantitativo do Espiritismo apresenta, aqui e ali, exemplos de Casas Espíritas mais sólidas, que passam a servir de padrão às demais. Não residiria aí o perigo do surgimento de uma hierarquia, ainda que não institucionalizada?

A única hierarquia que ressalta no indivíduo é aquela que procede da sua qualidade moral, portanto, a que provém do Espírito portador de valores enriquecedores e enobrecidos. Assim, as de mais hierarquias, de natureza transitória, são de pouca valia nas Casas que se dedicam ao Espiritismo, onde todos se devem considerar como verdadeiros irmãos, discípulos do único Mestre que é Jesus, cujas lições devem aplicar no seu dia-a-dia.

Todavia, poderia ocorrer esse risco de surgimento de uma hierarquização entre as Instituições ou mesmo entre os trabalhadores que não estejam advertidos e orientados pela Doutrina. Quando se é conhecedor dos próprios limites e das imensas necessidades de crescimento espiritual e moral, esse perigo cede lugar à verdadeira humildade, que é característica básica do ser desenvolvido.

As Casas Espíritas mais bem orientadas, mais sólidas doutrinariamente, mais razões terão para evitar tornar-se superiores às demais, antes ensinando pelo exemplo e transformando-se numa verdadeira Escola de Doutrina Espírita, ou numa Casa-Piloto, que sirva de padrão para outras que ainda se encontram em começo, necessitadas de orientação.

2) Estarão as Casas Espíritas preparadas para acompanhar o intenso progresso da sociedade em todos os sentidos?

A Lei de Progresso funciona irrefragavelmente. O que hoje constitui dificuldade, perseverando-se nos objetivos elevados, amanhã torna-se factível, portanto, realidade.

É certo que nem todas as Casas Espíritas estão preparadas para atender ao surto de progresso que se desenvolve no mundo moderno. Não obstante, o estudo cuidadoso da Codificação Espírita oferece os recursos básicos para o atendimento das problemáticas humanas em todas as épocas, particularmente aquelas que dizem respeito ao desenvolvimento intelecto-moral do ser.

O que ora significa problema, logo mais se torna solução.

Assim, as Casas Espíritas sinceramente interessadas em servir, ir-se-ão equipando de servidores e de recursos doutrinários capazes de contribuir para o crescimento da criatura em particular e da sociedade em geral.

3) O tratamento espiritual processado nas Casas Espíritas atua no psiquismo e no corpo material através de quais mecanismos? A interferência inicial ocorre no perispírito? O Espírito recebe também alguma forma de cuidado?

A princípio, as energias prodigalizadas nas Casas Espíritas devem alcançar os equipamentos sensíveis do Espírito, de modo a produzirem impacto positivo nos pacientes, que passarão a modificar a atitude mental e comportamental, para que advenham resultados positivos, que trabalhem em favor do seu reequilíbrio. A indução mental para as ações renovadoras através de ondas que envolvam o ser, nele produzindo receptividade, são o passo inicial para que o mesmo absorva as vibrações de paz e equilíbrio indispensáveis à própria renovação moral.

Não havendo essa aceitação, as mais belas propostas de harmonia deixam de florescer, não facultando o equilíblio nem a saúde, que dependem, essencialmente, do próprio candidato. Não obstante, como o amor de Deus funciona em união com a Sua misericórdia, muitas vezes, mesmo sem que o indivíduo se resolva pela alteração de conduta para melhor, as energias absorvidas pelo perispírito produzem a estabilização e recomposição da saúde, que permanecerá ou não, de acordo com a forma como o assistido prossiga conduzindo-se.

Permanecendo em atitude desarmônica retornam os sintomas ou surgem outras enfermidades que fazem parte do seu quadro de provas e expiações, que ele prefere não alterar, por comodidade, descrença ou perturbação profunda.

Em decorrência, o Espírito torna-se o grande beneficiário da assistência que lhe é dispensada, absorvendo através do perispírito as energias que lhe são dirigidas, desde as vibrações de simpatia às descargas bioenergéticas que lhe sejam aplicadas.

Espírito Vianna de Carvalho