ESPIRITISMO

1 - QUAL A MISSÃO DO ESPIRITISMO?

RESP.: O Espiritismo, porém, como o Consolador Prometido pelo Cristo, surge no horizonte humano como um oásis em meio ao universo da desinformação e da desesperança, oferecendo ao homem o conhecimento da verdade que liberta e eleva o Espírito. O Espiritismo, nos tempos modernos é sem dúvida, a revivescência do Cristianismo em seus fundamentos mais simples.

2 - SOB QUE ASPECTOS O ESPIRITISMO ACRESCENTA-SE AO ESPIRITUALISMO?

RESP.: Acrescenta-lhes o seguintes princípios básicos:
1° - Possibilidade de comunicação entre o mundo espiritual e o mundo material;
2° - Pluralidade das existências;
3° - Pré-existência e imortalidade da alma;
4° - Justiça natural: as penas e recompensas nada mais são que consequência natural de ações praticadas;
5° - Progresso infinito do Espírito.

3 - SOB QUE ASPECTO A DOUTRINA ESPÍRITA É UMA CIÊNCIA?

RESP.: Como Ciência, pois, possui como fundamento a parte experimental ou seja, idéias organizadas sistematicamente, a partir dos fatos, dos fenômenos mediúnicos, das manifestações em geral. Para tanto emprega efetivamente, o método experimental.

4 - EM QUE OBRAS DA CODIFICAÇÃO ENCONTRAM-SE A PARTE CIENTÍFICA, FILOSÓFICA E RELIGIOSA?

RESP.: Como Ciência é O LIVRO DOS MÉDIUNS.
Como Filosofia é o LIVRO DOS ESPÍRITOS.
Como Religião é O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO.

5 - POR QUE O ESPIRITISMO É UMA RELIGIÃO?

RESP. : O Espiritismo é religião na medida em que seu fim consiste na restauração do Evangelho e na prática dos princípios cristãos.

6 - O ESPIRITISMO PODE AJUDAR A FAZER O INSTANTE DA MORTE MENOS DOLOROSA?

RESP.: Na separação, os laços que retinham o Espírito desatam, não se rompem e ele se afasta gradualmente e não como um pássaro que escapa subitamente libertado (LE, perg. 155a). E é ainda o Espiritismo que vem ensinar que, dependendo da elevação alcançada pelo Espírito, o instante da morte pode, ou não, ser doloroso e que os sofrimentos, algumas vezes experimentados são um bálsamo para o Espírito, que vê chegar o momento supremo de sua libertação.

7 - A SEPARAÇÃO DA ALMA E DO CORPO É IGUAL PARA TODOS?

RESP.: Não. Assim é que a separação, no momento da morte, será tanto mais penosa para o Espírito, quanto maior tiver sido o seu apego à matéria; e ao contrário, será tanto mais suave quanto maior tiver sido o seu desprendimento das coisas terrenas.

8 - TEM O ESPIRITISMO ABSOLUTA NECESSIDADE DA CIÊNCIA TERRESTRE?

RESP.: Essa necessidade de modo algum pode ser absoluta. O concurso científico é sempre útil, quando oriundo da consciência esclarecida e da sinceridade do coração. Importa considerar, todavia, que a ciência do mundo, se não deseja continuar no papel de comparsa da tirania e da destruição, tem absoluta necessidade do Espiritismo, cuja finalidade divina é a iluminação dos sentimentos, na sagrada melhoria das características do homem.

9 - SE RECONHECERMOS A QUÍMICA, A FÍSICA, A BIOLOGIA, A PSICOLOGIA E A SOCIOLOGIA COMO AS CINCO CIÊNCIAS FUNDAMENTAIS, QUAL SERÁ A POSIÇÃO DA CIÊNCIA DA VIDA, EM RELAÇÃO ÀS DEMAIS?

RESP.: A Química e a Física, estudando a ação íntima dos corpos, suas relações entre si e as suas propriedades, constituem a catalogação dos valores da ciência material. A Psicologia e a Sociologia, examinando a paisagem dos sentimentos e os problemas sociais, representam a tábua de classificação das conquistas da ciência intelectual. No centro de todas está a Biologia, significando a ciência da vida em suas profundezas, revelando a transcendência da origem - O Espírito, O Verbo Divino. Até agora, a Biologia está igualmente encarcerada nas escolas materialistas da Terra, porém, nas suas expressões mais legítimas, evolverá para Deus, com as suas demonstrações sublimes, cumprindo-nos reconhecer que, mesmo na atualidade, seus enigmas profundos são os mais nobres apelos à realidade espiritual e ao exame das fontes divinas da existência.

10 - NO CAMPO DA QUÍMICA, AS FORÇAS DO PLANO ESPIRITUAL AUXILIAM O HOMEM TERRESTRE?

RESP.: Os prepostos de Jesus espalham-se por todos os setores do trabalho humano e, em todos os tempos, cooperaram com o homem no seu esforço de aperfeiçoamento; aliás, os estudiosos e os cientistas do planeta não criaram os fenômenos químicos, que sempre existiram desde a aurora dos tempos, afirmando uma inteligência superior. Os homens, em verdade, aprenderam a química com a Natureza, copiaram as suas associações, desenvolvendo a sua esfera de estudos e inventaram uma nomenclatura, reduzindo os valores químicos, sem lhes apreender a origem divina.

11 - NOS ESTUDOS DA QUÍMICA, AVALIAM-SE EM CERCA DE UM QUARTO DE MILHÃO AS SUBSTÂNCIAS DA TERRA, QUE PODEM SER REDUZIDAS, APROXIMADAMENTE, COMO ORIGINÁRIAS DE NOVENTA ELEMENTOS. QUANDO OS ESTUDOS DESSA CIÊNCIA FOREM AMPLIADOS, PODERÃO REDUZIR-SE, AINDA MAIS, AS FONTES DE ORIGEM?

RESP.: A Química necessita apresentar essa divisão de elementos para a catalogação dos valores educativos, com vistas às investigações de natureza científica, no mundo; contudo, se na sua base estão os átomos, na mais vasta expressão de diversidade, mesmo assim tenderá sempre para a unidade substancial, em remontando com as verdades espirituais às suas fontes de origem. Aliás em se tratando das individuações químicas, já conheceis que o hidrogênio, no quadro dos conhecimentos terrestres, é o elemento mais simples de todos. Seu átomo é a forma primordial da matéria planetária, constituindo-se do sistema absolutamente simplificado, porque composto de um só eléctron, de onde partem as demais individuações no mecanismo evolutivo da matéria, em suas expressões rudimentares.

12 - NOS CHAMADOS MOVIMENTOS BROWNIANOS E NAS AFINIDADES MOLECULARES PODEREMOS OBSERVAR MANIFESTAÇÕES DE ESPIRITUALIDADE?

RESP.: Nos chamados movimentos brownianos, bem como nas atrações moleculares, ainda não poderemos ver, propriamente, manifestações de espiritualidade, como princípio de inteligência, mas fenômenos rudimentares da vida em suas demonstrações de energia potencial, na evolução da matéria, a caminho dos princípios anímicos, sob a bênção de luz da natureza divina.

13 - HOUVE UMA UNIDADE MATERIAL PARA A FORMAÇÃO DAS VÁRIAS EXPRESSÕES ORGÂNICAS EXISTENTES NA TERRA?

RESP.: Assim como o químico humano encontra no hidrogênio a fórmula mais simples para estabelecer a rota de suas comparações substanciais, os espíritos que cooperaram com o Cristo, nos primórdios da organização planetária, encontraram, no protoplasma, o ponto de início para a sua atividade realizadora, tomando-o como base essencial de todas as células vivas do organismo terrestre.

14 - EXISTE UMA LEI DE PROGRESSO PARA A INDIVIDUAÇÃO QUÍMICA?

RESP.: Na conceituação dos valores espirituais, a lei é de evolução para todos os seres e coisas do Universo. As individuações químicas possuem igualmente a sua rota para obtenção das primeiras expressões anímicas, sendo justo observarmos que, no círculo industrial, a individuação é trabalhada pelos processos mais grosseiros, até que possa ser aproveitada pelo agente invisível na química biológica, onde entra em novo ciclo vital, na ascensão para o seu destino.

15 - QUAL A DIFERENÇA OBSERVADA PELOS ESPÍRITOS ENTRE A QUÍMICA BIOLÓGICA E A INDUSTRIAL?

RESP.: Na primeira preponderam os ascendentes espirituais, em todas as organizações; ao passo que na segunda todos os fatores podem ser de atuação propriamente material. Nisso reside a grande diferença. É que, na intimidade da célula orgânica, o fenômeno da vida submete-se a um agente divino, em sua natureza profunda, e, nos compostos industriais, as combinações químicas podem obedecer a um agente humano.

16 - A RADIOATIVIDADE OPERA A DESTRUIÇÃO OU A EVOLUÇÃO DA MATÉRIA?

RESP.: Através da radioatividade, verifica-se a evolução da matéria. É nesse contínuo desgaste que se observam os processos de transformação das individuações químicas, convertidas em energia, movimento, eletricidade, luz, na ascensão para novas modalidades evolutivas, em obediência às leis que regem o Universo.

17 - ONDE A FONTE DE ENERGIA PARA A MATÉRIA, DE VEZ QUE A RADIOATIVIDADE OPERA INCESSAMENTE, TRABALHANDO AS SUAS FORÇAS?

RESP.: O Sol é essa fonte vital para todos os núcleos da vida planetária. Todos os seres, como todos os centros em que se processam as forças embrionárias da vida, recebem a renovação constante de suas energias através da chuva incessante dos átomos, que a sede do sistema envia à sua família de mundos, equilibrados na sua atração, dentro do infinito.

18 - COMO DEVEREMOS COMPREENDER A ASSERTIVA DOS QUÍMICOS: "NADA SE CRIA, NADA SE PERDE?"

RESP.: Em verdade, o espírito humano não cria a vida, atributo de Deus, fonte da criação infinita e incessante; contudo, se o homem não pode criar o fluido da vida, nada se perde da obra de Deus em torno dele, porque todas as substâncias se transformam na evolução para mais alto.

19 - EM FACE DA EXATIDÃO COM QUE SE EFETUAM AS COMBINAÇÕES NATURAIS DA QUÍMICA ORGÂNICA, COMO ENTENDER AS DIVERSAS EXPRESSÕES DA NATUREZA EM SEUS PRIMÓRDIOS?

RESP.: As expressões diversas da Natureza terrestre, em suas primitivas agregações moleculates, obedeceram ao pensamento divino dos prepostos de Jesus, quando nas manifestações iniciais da vida sobre a crosta do orbe. Remontando a essas origens profundas, podeis observar, então, o esforço dos Espíritos sábios do plano invisível, na manipulação dos valores da química biológica nos primórdios da vida planetária, estabelecendo a caracterização definitiva dos processos da Natureza na fixação das espécies, prevendo todo mecanismo da evolução no futuro, e entregando o seu trabalho às leis da seleção natural que, sob a égide de Jesus, prosseguiriam no aperfeiçoamento da obra terrestre através do tempo.

20 - AS FORÇAS ESPIRITUAIS ORGANIZARAM IGUALMENTE A ATMOSFERA DO MUNDO?

RESP.: Isso é indubitável. A inteligência com que foram dispostos os elementos do cenário, para o desenvolvimento da vida no planeta, vo-lo comprova. A algumas dezenas de quilômetros foram colocados os revestimentos do ozônio, destinados a filtrar os raios solares, dosando-lhes a natureza para a proteção da vida. Da atmosfera recebeis a maior porcentagem de nutrição para o entretenimento das células. E como o nosso escopo não é o de citações eruditas, nem o de redizer os preceitos científicos do mundo, lembremos que um homem, na manutenção da sua vida orgânica, necessita de regular quantidade de oxigênio, quinze gramas de azoto (alimentar) e quinhentos gramas de carbono (alimentar). O oxigênio é uma dádiva de Deus para todas as criaturas; quanto ao azoto e ao carbono, é pela obtenção que o homem luta afanosamente na Terra, recordando-nos a exortação dos textos sagrados ao espírito que faliu - "comerás o pão com o suor do teu rosto". O problema básico da nutrição, nessa conta de química, é uma reafirmação da generosidade paterna do Criador e do estado expiatório em que se encontram as almas reencarnadas neste mundo.

21 - COMO COMPREENDER A AFIRMATIVA DOS ASTRÔNOMOS RELATIVAMENTE À MORTE TÉRMICA DO PLANETA?

RESP.: É certo que todo organismo material se transformará, um dia, revestindo novas formas. As energias do Sol, como as forças telúricas do orbe terrestre, serão esgotadas aqui, para surgirem noutra parte. Alguns astrônomos calculam a morte térmica do planeta para daqui a um milhão de anos, aproximadamente. Já se disse, porém, que a vida é o eterno presente. E o nosso primeiro dever não é o de contar o tempo, demarcando, em bases inseguras, a duração das obras conhecidamente transitórias, mas o de valorizá-lo como oportunidade sagrada para as edificações definitivas do nosso espírito, as quais são inacessíveis a todas as transformações da matéria em face do Infinito.

22 - EXISTEM ESPÍRITOS ESPECIALMENTE ENCARREGADOS DA EXECUÇÃO DAS LEIS FÍSICAS NO PLANETA TERRESTRE?

RESP.: Essa verdade é incontestável, e o homem poderá examinar e estudar constantemente, auferindo o melhor proveito na sua rotina de esforços perseverantes; porém, todas as definições do materialismo serão inúteis em face da realidade irrefutável dos fatores transcendentes, em todos os grandes fenômenos físicos da Natureza.

23 - AS NOVAS REVELAÇÕES CIENTÍFICAS POSITIVADAS PELOS PROFESSORES THOMSON, RUTHERFORD, RAMSAY E SODDY, ENTRE OUTROS, NO CAMPO DA FÍSICA, SOBRE OS ÁTOMOS E OS ELÉCTRONS, SÃO POSSÍVEIS DE FORNECER O EXATO CONHECIMENTO DE TODAS AS ETAPAS DA EVOLUÇÃO ANÍMICA?

RESP.: A ciência, propriamente humana, poderá estabelecer convencionais, mas não a base legítima, em sua origem divina, porquanto os átomos e os electrons são fases de caracterização da matéria, sem constituírem o princípio nessa escala sem-fim, que se verifica, igualmente, para o plano dos infinitamente pequenos.

24 - COMO SÃO CONSIDERADOS, NO PLANO ESPIRITUAL OS CONHECIMENTOS ATUAIS DA FÍSICA NA TERRA?

RESP.: As noções modernas da Física aproximam-se cada vez mais, do conhecimento das leis universais, em cujo ápice repousa a diretriz divina que governa todos os mundos. Os sistemas antigos envelheceram. As concepções de ontem deram lugar a novas deduções. Estudos recentes da matéria vos fazem conhecer que os seus elementos se dissociam pela análise, que o átomo não é indivisível, que toda expressão material pode ser convertida em força e que toda energia volta ao reservatório do éter universal. Com o tempo, as fórmulas acadêmicas se renovarão em outros conceitos da realidade transcendente, e os físicos da Terra não poderão dispensar Deus nas suas ilações, reintregando a Natureza na sua posição de campo passivo, onde a inteligência divina se manifesta.

25 - ONDE O PONTO IMEDIATO DE OBSERVAÇÃO PARA QUE A FÍSICA RECONHEÇA A EXISTÊNCIA DE DEUS?

RESP.: Desde o ponto inicial de suas observações, a Física é obrigada a reconhecer a existência de Deus em seus divinos atributos. Para demonstrar o sistema do mundo, o cientista não recorreu ao chamado "eixo imaginário"? Basta essa incógnita para que o homem seja conduzido a ilações mais altas, no domínio do transcendente. A mecânica celeste prova a irrefutabilidade da teoria do movimento. O planeta move-se na imensidade. A matéria vibra nas suas mais diversificadas expressões. Quem gerou o movimento? Quem forneceu o primeiro impulso vibratório no organismo universal? A Ciência esclarece que a energia faz o movimento, mas a força é cega e a matéria não tem características de espontaneidade. Só na inteligência divina encontramos a origem de toda coordenação e de todo equilíbrio, razão pela qual, nas suas questões mais íntimas, a Física da Terra não poderá prescindir da lógica com Deus.

26 - AS NOÇÕES DE FÍSICA CONHECIDAS PELOS HOMENS SÃO DEFINIÇÕES REAIS E DEFINITIVAS?

RESP.: Os homens possuem da matéria a conceituação possível de ser fornecida pela sua mente, compreendendo-se que o aspecto real do mundo não é aquele que os olhos mortais podem abranger, porquanto as percepções humanas estão condicionadas ao plano sensorial, sem que o homem consiga ultrapassar o domínio de determinadas vibrações. Mergulhadas nas vibrações pesadas dos círculos da carne, as criaturas têm notícias muito imperfeitas do Universo, em razão da exiguidade dos seus pobres cinco sentidos. É por isso que o homem terá sempre um limite nas suas observações da matéria, força e movimento, não só pela deficiência de percepção sensorial, como também pela estrutura do olho, onde a sabedoria divina delimitou as possibilidades humanas de análise, de modo a valorizar os esforços e iniciativas da criatura.

27 - COMO PODEREMOS COMPREENDER O ÉTER?

RESP.: Nos círculos científicos do planeta muito se tem falado do éter, sem que possa alguém fornecer uma imagem perfeita da sua realidade, nas convenções conhecidas. E, de fato, o homem não pode imaginá-lo, dentro das percepções acanhadas da sua mente. Por nossa vez, não poderemos proporcionar a vós outros uma noção mais avançada, em vista da ausência de termos de analogia. Se, como desencarnados, começamos a examiná-lo na sua essência profunda, para os homens da Terra o éter é quase uma abstração. De qualquer modo, porém, busquemos entendê-lo como fluido sagrado da vida, que se encontra em todo o cosmo; fluido essencial do Universo, que, em todas as direções, é o veículo do pensamento divino.

28 - PODE A FÍSICA OFERECER-NOS ELEMENTOS PARA APRECIAR O PLANO DIVINO DA EVOLUÇÃO?

RESP.: Também aí poderemos observar profunda beleza das leis universais. Ao sopro inteligente da vontade divina, condensa-se a matéria cósmica no organismo do Universo. Surgem as grandes massas das nebulosas e, em seguida, a família dos mundos, regendo-se em seus movimentos pela lei do equilíbrio, dentro da atração no corpo infinito do cosmo. O ciclo da evolução apresenta aí um dos seus aspectos mais belos. Sob a diretriz divina, a matéria produz a força, a força gera o movimento, o movimento faz surgir o equilíbrio da atração e a atração se transforma em amor, identificando-se todos os planos da vida na mesma lei de unidade estabelecida no Universo pela sabedoria divina.

29 - A SUBSTÂNCIA É IGUAL EM TODOS OS MUNDOS? COMO COMPREENDER A REVELAÇÃO DOS ESPETROSCÓPIOS?

RESP.: Reconhecido o axioma de que o Universo obedece a uma lei de unidade, somos obrigados a reconhecer que o que se encontra no todo existe igualmente nas partes. Contudo, o espectroscópio não vos poderá revelar todas as substâncias que se encontram nos outros mundos, e não podemos esquecer que a Terra é um apartamento muito singelo dentro do edifício universal, sem que possamos conhecer, pelos seus detalhes modestos, a grandeza infinita da obra do Criador.

30 - EXISTE UMA LEI DE EQUILÍBRIO E UMA LEI DE FLUIDOS?

RESP.: As grandes leis gerais do equilíbrio têm a sua sede sagrada em Deus, fonte perene de toda a vida. E, em se falando da lei de fluidos, cada orbe a possui de conformidade com a sua organização planetária. Com relação ao plano terrestre, somente Jesus e os seus mensageiros mais elevados conhecem os seus processos, com a devida plenitude, constituindo essa lei um campo divino de estudos, não só para a mentalidade humana, como também para os seres desencarnados que já se redimiram dos labores mais grosseiros junto dos círculos da carne, a fim de evolutirem nas esferas mais próximas do cenário terrestre.

31 - AS LEIS DA GRAVITAÇÃO SÃO ANÁLOGAS EM TODOS OS PLANETAS?

RESP.: As leis da gravitação não podem ser as mesmas para todos os planetas, mesmo porque, em face da vossa evolução científica, já compreendeis que os princípios newtonianos foram substituídos, de algum modo, pelos conceitos de relatividade, conceitos esses que, por sua vez, seguirão, igualmente, o curso progressivo do conhecimento.

32 - O TELEDINAMISMO É APLICADO NAS RELAÇÕES ENTRE OS PLANOS VISÍVEL E INVISÍVEL?

RESP.: Sendo o teledinamismo a ação de forças que atuam, a distância, cumpre-nos esclarecer que, no fenômeno das comunicações, muitas vezes entram em jogo as ações teledinâmicas, imprescindíveis a certas expressões do mediunismo.

33 - ANTE OS PRINCÍPIOS DA FÍSICA, COMO PODEREMOS COMPREENDER O MAGNETISMO E QUAIS AS SUAS CARACTERÍSTICAS NO INTERCÂMBIO ENTRE ENCARNADOS E DESENCARNADOS?

RESP.: O magnetismo é um fenômeno da vida, por constituir manifestação natural em todos os seres. Se a ciência do mundo já atingiu o campo de equações notáveis nas experiências relativas ao assunto, provando a generalidade e a delicadeza dos fenômenos magnéticos, deveis compreender que as exteriorizações dessa natureza, nas relações entre os dois mundos, são sempre mais elevadas e sutis, em virtude de serem, aí, uma expressão de vida superior.

34 - COMO DEVEMOS COMPREENDER A NATUREZA?

RESP.: A Natureza é sempre o livro divino, onde as mãos de Deus escrevem a história de sua sabedoria, livro da vida que constitui a escola de progresso espiritual do homem, evolvendo constantemente com o esforço e a dedicação de seus discípulos.

35 - AS MANIFESTAÇÕES DE VIDA NOS VÁRIOS REINOS DA NATUREZA, ABRANGENDO O HOMEM, SIGNIFICAM A EXPRESSÃO DO VERBO DIVINO, EM ESCALA GRADATIVA NOS PROCESSOS DE APERFEIÇOAMENTO DA TERRA?

RESP.: Sim, em todos os reinos da Natureza palpita a vibração de Deus, como o Verbo Divino da Criação Infinita; e, no quadro sem-fim do trabalho da experiência, todos os princípios, como todos os indivíduos, catalogam os seus valores e aquisições sagradas para a vida imortal.

36 - OS ESPÍRITOS COOPERAM NO DESENVOLVIMENTO DO EMBRIÃO DO CORPO EM QUE SE VÃO REENCARNAR? E, EM CASO AFIRMATIVO, CHEGAM A OPERAR NOS COMPLEXOS CELULARES DA HERANÇA FÍSICA, PARA QUE OS CORPOS FUTUROS SEJAM DOTADOS DE CERTOS ELEMENTOS APTOS A SATISFAZEREM AS CIRCUNSTÂNCIAS DA PROVA OU MISSÃO QUE HAJAM DE CUMPRIR?

RESP.: No caso dos Espíritos evolvidos, senhores de realizações próprias, inalienáveis, essa cooperação quase sempre se verifica, junto ao esforço dos prepostos de Jesus, que operam nesse sentido, com vistas ao porvir de suas lutas no ambiente material. Temos de considerar, todavia, que os Espíritos rebeldes, ou indiferentes, desprovidos dos valores próprios indispensáveis, têm de aceitar a deliberação dos prepostos referidos, os quais escolhem as substâncias que merecem ou que lhes são imprescindíveis no processo de resgate ou de evolução.

37 - HÁ ÓRGÃOS NO CORPO ESPIRITUAL?

RESP.: Dentro das leis substanciais que regem a vida terrestre, extensivas às esferas espirituais mais próximas do planeta, já o corpo físico, excetuadas certas alterações impostas pela prova ou tarefa a realizar, é uma exteriorização aproximada do corpo perispiritual, exteriorização essa que se subordina aos imperativos da matéria mais grosseira, no mecanismo das heranças celulares, as quais, por sua vez, se enquadram nas indispensáveis provações ou testemunhos de cada indivíduo.

38 - A REENCARNAÇÃO INICIA-SE COM AS PRIMEIRAS MANIFESTAÇÕES DE VIDA DO EMBRIÃO HUMANO?

RESP.: Desde o instante primeiro de tais manifestações, a entidade espiritual experimenta os efeitos a sua nova condição. Importa reconhecer, todavia, que o espírito mais lúcido, em contraposição com os mais obscurecidos e ignorantes, goza de quase inteira liberdade, até a consolidação total dos laços materiais com o novo nascimento na esfera do mundo.

39 - QUANDO O EMBRIÃO ESTÁ SENDO FORMADO, EXISTE UMA INTERPENETRAÇÃO DE FLUIDOS ENTRE A GESTANTE E A ENTIDADE ENTÃO LIGADA AO FETO? EXISTEM CONSEQUÊNCIAS VERIFICÁVEIS?

RESP.: Essa interpenetração de fluidos é natural e justa, ocasionando, não raras vezes, fenômenos sutilíssimos, como os chamados "sinais de nascença" que, somente mais tarde, poderão ser entendidos pela ciência do mundo, enriquecendo o quadro de valores da Biologia, no estudo profundo das origens.

40 - O ESPÍRITO, EM CADA UMA DE SUAS ENCARNAÇÕES, FAZ RECAPITULAÇÃO DAS SUAS ETAPAS EVOLUTIVAS, ASSIM COMO SE VERIFICA COM O EMBRIÃO MATERIAL QUE RECORDA, ANTES DO NASCIMENTO, TODAS A EVOLUÇÃO DA SUA ESPÉCIE?

RESP.: Essa recapitulação se verifica, na maioria dos casos, pela oportunidade que oferece à alma encarnada de se portar retamente, nas mesmas circunstâncias do passado culposo; porém, não constitui regra geral, salientando-se que, quanto maiores as aquisições de sabedoria e de amor, mais afastado se encontrará o Espírito em aprendizado na Terra, dessa rememoração das experiências materiais de cuja intimidade dolorosa poderá então prescindir, pela sua expressão superior de espiritualidade.

41 - A DENOMINADA ÁRVORE GENEOLÓGICA DOS SERES HUMANOS TEM IDÊNTICA SIGNIFICAÇÃO NO PLANO ESPIRITUAL?

RESP.: Na esfera espiritual persiste o mesmo esforço na conservação e dilatação dos afetos familiares e, ora nos trabalhos generadores da Terra, ora na luz santificante dos planos siderais, transformam-se as paixões ou sentimentos ilegítimos em sagrados liames do espírito. A árvore genealógica, porém, como se conhece na luta planetária, não se transporta ao plano invisível, porque, aí, os vinculos de sangue são substituídos pelas atrações dos sentimentos de amor sublime, purificados no patrimônio das experiências e lutas vividas em comum.

42 - A GENÉTICA ESTÁ SUBMETIDA A LEIS PURAMENTE MATERIAIS?

RESP.: As leis da genética encontram-se presididas por numerosos agentes psíquicos que a ciência da Terra está longe de formular, dentro dos seus postulados materialistas. Esses agentes psíquicos, muitas vezes, são movimentados pelos mensageiros do plano espiritual, encarregados dessa ou daquela missão junto às correntes da profunda fonte da vida. Eis por que, aos geneticistas, comumente se deparam incógnitas inesperadas, que deslocam o centro de suas anteriores ilações.

43 - PODE A GENÉTICA ESTATUIR MEDIDAS QUE MELHOREM O HOMEM?

RESP.: Fisicamente falando, a própria natureza do orbe vem melhorando o homem, continuadamente, nos seus processos de seleção natural. Nesse sentido, a genética só poderá agir copiando a própria natureza material. Se essa ciência, contudo, investigar os fatores espirituais, aderindo aos elevados princípios que objetivam a iluminação das almas humanas, então poderá criar um vasto serviço de melhoramento e regeneração do homem espiritual no mundo, mesmo porque, de outro modo, poderá ser uma notável mentora da eugenia, uma grande escultora das formas celulares, mas estará sempre fria para o espírito humano, podendo transformar-se em títere abominável nas mãos impiedosas dos políticos racistas.

44 - AS COMBINAÇÕES DE "GENES", ACONSELHADAS PELA GENÉTICA, PODEM IMPRIMIR NO HOMEM CERTAS FACULDADES OU CERTAS VOCAÇÕES?

RESP.: Alguns cientistas da atualidade proclamam essas possibilidades, esquecendo, porém, que a vocação ou faculdade é atributo da individualidade espiritual, inacessível aos seus processos de observação. Os geneticistas podem realizar numerosas demonstrações nas células materiais; todavia, essas experiências não passarão dessa zona superficial, em se tratando das conquistas, das provações ou da posição evolutiva dos Espíritos encarnados.

45 - SE A GENÉTICA ESTÁ ORIENTADA POR ELEMENTOS PSÍQUICOS, COMO ESCLARECER AS CONCLUSÕES TÃO EXATAS DO MENDELISMO?

RESP. O mendelismo realizou experiências notáveis, porém, ainda encontra fenômenos inexplicáveis no processo de suas observações positivas. Faz-se mister considerar, igualmente, que, em escala decrescente, nos reinos da Natureza, a genética apresenta resultados felizes nas suas demonstrações, pelo material simples e primitivo tomado para as suas observações práticas, tais como os complexos celulares de plantas e animais, constituídos por expressões rudimentares. Em escala ascendente, contudo, onde a evolução psíquica apresenta as suas características de intensidade e realização, a genética encontrará sempre os fatores espirituais, convocando-a para um campo mais vasto e mais sublime de operações.

46 - QUAIS AS CAUSAS DO NASCIMENTO DE MONSTRUOSIDADES ENTRE OS HOMENS E ENTRE OS ANIMAIS?

RESP.: Não podemos olvidar que entre os homens esses fenômenos dolorosos decorrem do quadro de provações purificadoras, sem nos esquecermos, igualmente, de que o mundo terrestre ainda é escola preparatória de aperfeiçoamento. Os produtos teratológicos constituem luta expiatória, não só para os pais sensíveis, como para o Espírito encarnado sob penosos resgates do pretérito delituoso. Quanto aos animais, temos de reconhecer a necessidade imperiosa da experiências múltiplas no drama da evolução anímica. Em tudo, porém, busquemos divisar a feição educativa dos trabalhos do mundo. A Terra é uma vasta oficina. Dentro dela operam os prepostos técnicos da obra de aperfeiçoamento e redenção. Em determinadas seções de esforço, os homens são maus alunos ou trabalhadores rebelados. Nesses núcleos, os prepostos de Jesus podem edificar o mesmo trabalho de sempre; todavia, encontram a perturbação e a resistência dos próprios beneficiados, razão pela qual a fonte de energias puras não pode ser responsabilizada pelos fenômenos que a deturpam, operados pela indiferença, pela intenção criminosa ou pela perversidade das próprias criaturas humanas, objeto constante do carinho desvelado do Senhor, em todos os caminhos dos seus destinos.

47 - A FECUNDIDADE E A ESTERILIDADE SÃO PROVAS?

RESP.: No quadro de interpretações da Terra, esses conceitos podem indicar situações de provas para as almas que se encontram em experiências edificadoras; todavia, se considerarmos a questão no seu aspecto espiritual, somos obrigados a reconhecer que a esterilidade não existe para o espírito que, na Terra, ou fora dela, pode ser fecundo em obras de beleza, de aperfeiçoamento e de redenção.

48 - A IDÉIA DE EVOLUÇÃO, QUE TEM INFLUIDO NA ESFERA DE TODAS AS CIÊNCIAS DO MUNDO, DESDE AS TEORIAS DARWINIANAS, REPRESENTA AGORA UMA NOVA ETAPA DE APROXIMAÇÃO ENTRE OS CONHECIMENTOS CIENTÍFICOS DO HOMEM E AS VERDADES DO ESPIRITISMO?

RESP.: Todas as teorias evolucionistas no orbe terrestre caminham para a aproximação com as verdades do Espiritismo, no abraço final com a verdade suprema.

49 - COMO PODEMOS COMPREENDER, PELO ESPIRITISMO, O PRECEITO DA PSICOLOGIA QUE AFIRMA A EXPERIÊNCIA DOS NOSSOS CINCO SENTIDOS COMO TODO O FUNDAMENTO DE NOSSA VIDA MENTAL?

RESP.: O Espiritismo esclarece que o homem é senhor de um patrimônio mais vasto, consolidado nas suas experiências de outras vidas provando que o legítimo fundamento da vida mental não reside, de maneira absoluta, na contribuição dos sentidos corporais, mas também nas recordações latentes do pretérito, das quais os fenômenos da inteligência prematura, na Terra, são os testemunhos mais eloquentes.

50 - ESTABELECENDO A PSICOLOGIA DO MUNDO COMO SEDE DA MEMÓRIA, JULGAMENTO E DA IMAGINAÇÃO, AS PARTES DO CÉREBRO HUMANO, CUJAS FUNÇÕES NÃO SÃO AINDA DEVIDAMENTE CONHECIDAS PELA CIÊNCIA, RETARDAM A SOLUÇÃO DE UM PROBLEMA QUE SÓ PODE SATISFEITO PELOS CONHECIMENTOS ESPIRITISTAS?

RESP.: Distante das cogitações de ordem divina, a psicologia terrestre efetua essa procrastinação, até que consiga atingir o profundo estuário da verdade integral.

51 - PODERÁ A PSICOLOGIA CHEGAR A UMA SOLUÇÃO CABAL DO PROBLEMA DAS DESORDENS MENTAIS, DENOMINADAS ANORMALIDADES PSICOLÓGICAS?

RESP.: Movimentando tão-somente os materiais da ciência humana, a Psicologia não atingirá esse desiderato, conservando-se no terreno das definições e dos estudos, distantes da causa. Os conhecimentos do mundo, porém, caminham para a evolução dessa ciência à luz do Espiritismo, quando, então, seus investigadores poderão alcançar as soluções precisas.

52 - A PSICANÁLISE FREUDIANA, VALORIZANDO OS PODERES DESCONHECIDOS DO NOSSO APARELHAMENTO MENTAL, REPRESENTA UM TRAÇO DE APROXIMAÇÃO ENTRE A PSICOLOGIA E O ESPÍRITISMO?

RESP.: Essas escolas do mundo constituem sempre grandes tentativas para aquisição das profundas verdades espirituais, mas os seus mestres, com raras exceções, se perdem na vaidade dos títulos acadêmicos ou nas falsas apreciações dos valores convencionais. Os preconceitos científicos, por enquanto, impossibilitam a aproximação legítima da Psicologia oficial e do Espiritismo. Os processos da primeira falam da parte desconhecida do mundo mental, a que chamam subconsciência, sem definir essa cripta misteriosa da personalidade humana, examinando-a apenas na classificação pomposa das palavras. Entretanto, somente à luz do Espiritismo poderão os métodos psicológicos apreender que essa zona oculta, da esfera psíquica de cada um, é o reservatório profundo das experiências do passado, em existências múltiplas da criatura, arquivo maravilhoso onde todas as conquistas do pretérito são depositadas em energias potenciais, de modo a ressurgirem no momento oportuno.

53 - COMO PODEREMOS COMPREENDER OS CHAMADOS COMPLEXOS OU ASSOCIAÇÕES DE IDÉIAS NO FENÔMENO MENTAL?

RESP.: Sabemos que as associações de idéias não têm causa nas células nervosas, constituindo antes ações espontâneas do espírito dentro do vasto mecanismo circunstancial; ações essas, oriundas do seu esforço incessante, projetadas através do cérebro material, que não é mais que um instrumento passivo.

54 - POR QUE, RELATIVAMENTE AO ESTUDO DOS PROCESSOS MENTAIS, SE ENCONTRAM DIVIDIDOS NO CAMPO DA OPINIÃO OS PSICOLOGISTAS DO MUNDO?

RESP.: Os psicologistas humanos, que se encontram ainda distantes das verdades espirituais, dividem-se tão-só pelas manifestações do personalismo, dentro de suas escolas; mesmo porque, analisando apenas os efeitos não investigam as causas, perdendo-se na complicação das nomenclaturas científicas, sem uma definição séria e simples do processo mental, onde se sobrelevam as profundas realidades do espírito.

55 - O ESPIRITISMO ESCLARECERÁ A PSICOLOGIA QUANTO AO PROBLEMA DA SEDE DA INTELIGÊNCIA?

RESP.: Somente com a cooperação do Espiritismo poderá a ciência psicológica definir a sede da inteligência humana, não nos complexos nervosos ou glandulares do corpo perecível, mas no espírito imortal.

56 - A VOCAÇÃO É UMA LEMBRANÇA DAS EXISTÊNCIAS PASSADAS?

RESP.: A vocação é o impulso natural oriundo da repetição de análogas experiências, através de muitas vidas. Suas características, nas disposições infantis, são o testemunho mais eloquente da verdade reencarnacionista.

57 - OS BONS OU MAUS PENSAMENTOS DO SER ENCARNADO AFETAM A ORGANIZAÇÃO PSÍQUICA DE SEUS IRMÃOS NA TERRA, AOS QUAIS SEJAM DIRIGIDOS?

RESP.: Os bons pensamentos produzem sempre o máximo bem sobre aqueles que representam o seu objetivo, por se enquadrarem na essência da Lei única, que é o Amor em todas as suas divinas manifestações; os de natureza inferior podem afetar o seu objeto, em identidade de circunstâncias, quando a criatura se fez credora desses choques dolorosos, na justiça das compensações. Sobre todos os feitos dessa natureza, todavia, prevalece a Providência Divina, que opera a execução de seus desígnios de equidade, com misericórdia e sabedoria.

58 - COM A DIFUSÃO DA LUZ ESPIRITUAL, ALARGARÁ O HOMEM A NOÇÃO DE PÁTRIA, DE MODO A ABRANGER NO MESMO NÍVEL TODAS AS NAÇÕES DO MUNDO?

RESP.: A luz espiritual dará aos homens um conceito novo de pátria, de maneira a proscrever-se o movimento destruidor pelos canhões e balas homicidas. Quando isso se verifique, o homem aprenderá a valorizar o berço em que renasceu, pelo trabalho e pelo amor, destruindo-se concomitantemente as fronteiras materiais e dando lugar à era nova da grande família humana, em que as raças serão substituídas pelas almas e em que a pátria será honrada, não com a morte, mas com a vida bem aplicada e bem vivida.

59 - A DESIGUALDADE VERIFICADA ENTRE AS CLASSES SOCIAIS, NO USUFRUTO DOS BENS TERRENOS, PERDURARÁ NAS ÉPOCAS DO PORVIR?

RESP.: A desigualdade social é o mais elevado testemunho da verdade da reencarnação, mediante a qual cada espírito tem sua posição definida de regeneração e resgate. Nesse caso, consideramos que a pobreza, a miséria, a guerra, a ignorância, como outras calamidades coletivas, são enfermidades do organismo social, devido à situação de prova da quase generalidade dos seus membros. Cessada a causa patogênica com a iluminação espiritual de todos em Jesus-Cristo, a moléstia coletiva estará eliminada dos ambiente humanos.

60 - PODE ADMITIR-SE, EM SOCIOLOGIA, O CONCEITO DE IGUALDADE ABSOLUTA?

RESP.: A concepção igualitária absoluta é um erro grave dos sociólogos, em qualquer departamento da vida. A tirania política poderá tentar uma imposição nesse sentido, mas não passará das espetaculosas uniformizações simbólicas para efeitos exteriores, porquanto o verdadeiro valor de um homem está no seu íntimo, onde cada espírito tem sua posição definida pelo próprio esforço. Nessa questão existe uma igualdade absoluta de direitos dos homens perante Deus, que concede a todos os seus filhos uma oportunidade igual nos tesouros inapreciáveis do tempo. Esses direitos são os da conquista da sabedoria e do amor, através da vida, pelo cumprimento do sagrado dever do trabalho e do esforço individual. Eis por que cada criatura terá o seu mapa de méritos nas sendas evolutivas, constituindo essa situação, nas lutas planetárias, uma grandiosa escala progressiva em matéria de raciocínios e sentimentos, em que se elevará naturalmente todo aquele que mobilizar as possibilidades concedidas à sua existência para o trabalho edificante da iluminação de si mesmo, nas sagradas expressões do esforço individual.

61 - PODERÃO OS HOMENS RESOLVER SEM ATRITOS AS CHAMADAS QUESTÕES PROLETÁRIAS?

RESP.: Sim, quando se decidirem a aceitar e aplicar os princípios sagrados do Evangelho. Os regulamentos apaixonados, as greves, os decretos unilaterais, as ideologias revolucionárias, são cataplasmas inexpressivas, complicando a chaga da coletividade. O socialismo é uma bela expressão de cultura humana, enquanto não resvala para os pólos do extremismo. Todos os absurdos das teorias sociais decorrem da ignorância dos homens relativamente à necessidade de sua cristianização. Conhecemos daqui os maus dirigentes e os maus dirigidos, não como homens ricos e pobres, mas como a avarentos e a revoltados. Nessas duas expressões, a criaturas operaram o desequilíbrio de todos os mecanismos do trabalho natural. A verdade é que todos os homens são proletários da evolução e nenhum esforço de boa realização na Terra é indigno do espírito encarnado. Cada máquina exige uma direção especial, e o mecanismo do mundo requer o infinito de aptidões e de conhecimentos. Sem a harmonia de cada peça na posição em que se encontra, toda produção é contraproducente e toda boa tarefa impossível. Todos os homens são ricos pelas bênçãos de Deus e cada qual deve aproveitar, com êxito,os "talentos" recebidos, porquanto, sem exceção de um só, prestarão um dia, além-túmulo, contas de seus esforços. Que os trabalhadores da direção saibam amar, e que os da realização nunca odeiem. Essa é a verdade pela qual compreendemos que todos os problemas do trabalho, na Terra, representam uma equação de Evangelho.

62 - RECONHECENDO-SE O ESTADO COMO APARELHAMENTO DE LEIS CONVENCIONAIS, É JUSTIFICÁVEL A SUA EXISTÊNCIA, BEM COMO A DAS CLASSES ARMADAS, QUE O SUSTENTAM NO MUNDO?

RESP.: Na situação (ou condição) atual do mundo e considerando a heterogeneidade dos caracteres e das expressões evolutivas das criaturas, examinadas isoladamente, justifica-se a necessidade dos aparelhos estatais nas convenções políticas, bem como das classes armadas que os mantêm no orbe, como institutos de ordem para a execução das provas individuais, nas continências humanas até que o homem perceba o sentido de concórdia e fraternidade dentro das leis do Criador, prescindindo então da obrigatoriedade de certas determinações das leis humanas, convencionais e transitórias.

63 - COMO SE DEVERÁ COMPORTAR O ESPIRITISTAS PERANTE A POLÍTICA DO MUNDO?

RESP.: O sincero discípulo de Jesus está investido de missão mais sublime, em face da tarefa política saturada de lutas materiais. Essa é a razão por que não deve provocar uma situação de evidência para si mesmo nas administrações transitórias do mundo. E, quando convocado a tais situações pela força das circunstâncias, deve aceitá-las não como galardão para a doutrina que professa, mas como provação imperiosa e árdua, onde todo êxito é sempre difícil. O espiritista sincero deve compreender que a iluminação de uma consciência é como se fora a iluminação de um mundo, salientando-se que a tarefa do Evangelho, junto das almas encarnadas na Terra é a mais importante de todas, visto constituir uma realização definitiva e real. A missão da doutrina é consolar e instruir, em Jesus, para que todos mobilizem a suas possibilidades divinas no caminho da vida. Trocá-las por um lugar no banquete dos Estados é inverter o valor dos ensinos, porque todas as organizações humanas são passageiras em face da necessidade de renovação de todas as fórmulas do homem na lei do progresso universal, depreendendo-se daí que a verdadeira construção da felicidade geral só será efetiva com bases legítimas no espírito das criaturas.

64 - COMO DEVEMOS ENCARAR A POLÍTICA DO RACISMO?

RESP.: Se é justo observarmos nas pátrias o agrupamento de múltiplas coletividades, pelos laços afins da educação e do sentimento, a política do racismo deve ser encarada como erro grave, que pretexto algum justifica, porquanto não pode apresentar base séria nas suas alegações, que mal encobrem o propósito nefasto de tirania e separatividade.

65 - NO QUADRO DOS VALORES ESPIRITUAIS, QUAL A POSIÇÃO DAS CIÊNCIAS ABSTRATAS COMO A MATEMÁTICA, A ESTATÍSTICA E A LÓGICA, POR EXEMPLO, QUE REQUEREM O MÁXIMO DE MÉTODO E OBSERVAÇÃO PARA AS SUAS ATIVIDADES DEDUTIVAS?

RESP.: Ainda aqui, observamos a Matemática e a Estatística medindo, calculando e enumerando o patrimônio das expressões materiais e a Lógica orientando as atividades intelectuais do homem, nas contingências de sua vida no planeta. Não podemos desprezar a cooperação das ciências abstratas nos postulados educativos, por adestrarem as inteligências, dilatando a espontaneidade nos espíritos de maneira a estabelecer a facilidade de compreensão dos valores da vida planetária, mas temos de reconhecer que as suas atividades, quase todas circunscritas ao ambiente do mundo, são processos ou meios para que o homem atinja a ciência da vida em suas mais profundas revelações espirituais, ciência que simboliza a divina finalidade de todas as investigações e análises das organizações existentes na Terra.

66 - AS CIÊNCIAS ESPECIALIZADAS COMO A ASTRONOMIA, A METEOROLOGIA, A BOTÂNICA E A ZOOLOGIA, FORAM CRIADAS PELO ESFORÇO DO ESPÍRITO HUMANO, NA EVOLUÇÃO DAS CIÊNCIAS FUNDAMENTAIS?

RESP.: Como atividades complementares das ciências fundamentais, esses estudos especializados representam um conjunto de conquistas do espírito humano, no sagrado labor da entidade abstrata a que chamamos "civilização". Tais esforços constituem a catalogação ds pesquisas e realizações propriamente humanas; todavia, convergem para a ciência integral no plano infinito, onde se irmanarão com os valores morais na glorificação do homem redimido.

67 - COMO INTERPRETAR NOSSO PARENTESCO COM OS ANIMAIS?

RESP.: Considerando que eles igualmente possuem, diante do tempo, um porvir de fecundas realizações, através de numerosas experiências chegarão, um dia, ao chamado REINO HOMINAL, como, por nossa vez, alcançaremos, no escoar dos milênios, a situação de angelitude. A escala do progresso é sublime e infinita. No quadro exíguo dos vossos conhecimentos, busquemos uma figura que nos convoque ao sentimento de solidariedade e de amor que deve imperar em todos os departamentos da natureza visível e invisível. O mineral é atração. O vegetal é sensação. O animal é instinto. O homem é razão. O anjo é divindade. Busquemos reconhecer a infinidade de laços que nos unem nos valores gradativos da evolução e ergamos em nosso íntimo o santuário eterno da fraternidade universal.

68 - É A FILOSOFIA A INTERPRETAÇÃO SINTÉTICA DE TODAS AS ATIVIDADES DO ESPÍRITO EM EVOLUÇÃO NA TERRA?

RESP.: A Filosofia constitui, de fato, a súmula das atividades evolutivas do Espírito encarnado na Terra. Suas equações são as energias que fecundam a Ciência, espiritualizando-lhe os princípios, até que unidas uma à outra, indissoluvelmente, penetrem o átrio divino das verdades eternas.

69 - OS TRABALHADORES DO ESPIRITISMO DEVEM BUSCAR OS INTELECTUAIS PARA A COMPREENSÃO DOS SEUS DEVERES ESPIRITUAIS?

RESP.: Os operários da doutrina devem estar sempre bem dispostos na oficina do esclarecimento, todas as vezes que procurados pelos que desejem cooperar sinceramente nos seus esforços. Mas provocar a atenção dos outros no intuito de regenerá-los, quando todos nós, mesmos os desencarnados, estamos em função de aperfeiçoamento e aprendizado, não parece muito justo, porque estamos ainda com um dever essencial, que é o da edificação de nós mesmos.
No labor da Doutrina, temos de convir que o Espiritismo é o Cristianismo redivivo, pelo qual precisamos fornecer o testemunho da verdade e, dentro do nosso conceito de relatividade, todo o fundamento da verdade da Terra está em Jesus-Cristo. A verdade triunfa por si, sem o concurso das frágeis possibilidades humanas. Alma alguma deverá procurá-la supondo-se elemento indispensável à sua vitória. Como seu órgão no planeta, o Espiritismo não necessita de determinados homens para consolar e instruir as criaturas, depreendendo-se que os próprios intelectuais do mundo é que devem buscar, espontaneamente, na fonte de conhecimentos doutrinários, o benefício de sua iluminação.

70 - A PROPAGANDA DOUTRINÁRIA PARA A MULTIPLICAÇÃO PROSÉLITOS É A NECESSIDADE IMEDIATA DO ESPIRITISMO?

RESP.: De modo algum. A direção do Espiritismo, na sua feição de Evangelho redivivo, pertence ao Cristo e seus prepostos, antes de qualquer esforço humano, precário e perecível. A necessidade imediata dos arraiais espiritistas é a do conhecimento e aplicação legítima do Evangelho, da parte de todos quantos militam nas suas fileiras, desejosos de luz e de evolução. O trabalho de cada um na iluminação de si mesmo deve ser permanente e metodizado.
Os fenômenos acordam o espírito adormecido na carne, mas não fornecem as luzes interiores, somente conseguidas à custa de grande esforço e trabalho individual. A palavra dos guias e mentores do Além ensina, mas não pode constituir elementos definitivos de redenção, cuja obra exige de cada um sacrifícios e renúncias santificantes, no laborioso aprendizado da vida.

71 - NOS TRABALHOS ESPIRITISTAS, ONDE PODEREMOS ENCONTRAR A FONTE PRINCIPAL DE ENSINO QUE NOS ORIENTE PARA A ILUMINAÇÃO? PODEREMOS OBTÊ-LA COM AS MENSAGENS DE NOSSOS ENTES QUERIDOS, OU APENAS COM O FATO DE GUARDARMOS O VALOR DA CRENÇA NO CORAÇÃO?

RESP.: Numerosos filósofos hão compendiado as teses e conclusões do Espiritismo no seu aspecto filósofico, científico e religioso; todavia, para a iluminação do íntimo só tendes no mundo o Evangelho do Senhor, que nenhum roteiro doutrinário poderá ultrapassar. Aliás, o Espiritismo em seus valores cristãos não possui finalidade maior que a de restaurar a verdade evangélica para os corações desesperados e descrentes do mundo.
Teorias e fenômenos inexplicáveis sempre houve no mundo. Os escritores e os cientistas doutrinários poderão movimentar seus conhecimentos na construção de novos enunciados para as filosofias terrestres, mas a obra definitiva do Espiritismo é a da edificação da consciência profunda no Evangelho de Jesus-Cristo.
O plano invisível poderá trazer-vos as mensagens mais comovedoras e convincentes dos vossos bem-amados; podereis guardar os mais elevados princípios de crença no vosso mundo impressivo. Todavia, esse é o esforço, a realização do mecanismo doutrinário em ação, junto de vossa personalidade. Só o trabalho de auto-evangelização, porém, é firme e imperecível. Só o esforço individual no Evangelho de Jesus pode iluminar, engrandecer e redimir o espírito, porquanto, depois de vossa edificação com o exemplo do Mestre, alcançareis aquela verdade que vos fará livres.

72 - HÁ ALGUMA DIFERENÇA ENTRE A CRENÇA E A ILUMINAÇÃO?

RESP.: Todos os homens da Terra, ainda os próprios materialistas, crêem em alguma coisa. Todavia, são muito poucos os que se iluminam. O que crê, apenas admite; mas o que se ilumina vibra e sente. O primeiro depende dos elementos externos, nos quais coloca o objetivo da sua crença; o segundo é livre das influências exteriores, porque há bastante luz no seu próprio íntimo, de modo a vencer corajosamente nas provações a que foi conduzido no mundo.
É por essa razão que os espiritistas sinceros devem compreender que não basta acreditar no fenômeno ou na veracidade da comunicação com o Além, para que os seus sagrados deveres estejam totalmente cumpridos, pois a obrigação primordial é o esforço, o amor ao trabalho, a serenidade nas provas da vida, o sacrifício de si mesmo, de modo a entender plenamente a exemplificação de Jesus Cristo, buscando a sua luz divina para a execução de todos os trabalhos que lhes competem no mundo.

73 - A ANÁLISE PELA RAZÃO PODE COOPERAR, DE MODO DEFINITIVO, NO TRABALHO DE NOSSA ILUMINAÇÃO ESPIRITUAL?

RESP.: É certo que o homem não pode dispensar a razão para vencer na tarefa confiada ao seu esforço, no círculo da vida; contudo, faz-se mister considerar que essa razão vem sendo trabalhada, de muitos séculos no planeta, pelos vícios de toda sorte. Temos plena confirmação deste asserto no ultra-racionalismo europeu, cuja avançada posição evolutiva, ainda agora, não tem vacilado entre a paz e a guerra, entre o direito e a força, entre a ordem e a agressão.
Mais que em toda parte do orbe, a razão humana ali se elevou às mais altas culminâncias de realização e, todavia, desequilibrada pela ausência do sentimento ressuscita a selvageria e o crime, embora o fausto da civilização. Reconhecemos, pois, que na atualidade do orbe toda iluminação do homem há de nascer, antes de tudo, do sentimento. O sábio desesperado do mundo deve volver-se para Deus como a criança humilde, para cuidar dos legítimos valores do coração, porque apenas pela reeducação sentimental, nos bastidores do esforço próprio, se poderá esperar a desejada reforma das criaturas.

74 - EM MATÉRIA DE CONHECIMENTO, ONDE PODEREMOS LOCALIZAR A MAIOR NECESSIDADE DO HOMEM?

RESP.: Como nos tempos mais recuados das civilizações mortas, temos de reafirmar que a maior necessidade da criatura humana ainda é a do conhecimento de si mesma.

75 - COMO INTERPRETAR A ANSIEDADE DO PROSELITISMO ESPÍRITA, EM MATÉRIA DE FENOMONELOGIA, ANTE ESSA NECESSIDADE DE ILUMINAÇÃO?

RESP.: Os espiritistas sinceros devem compreender que os fenômenos acordam a alma, como o choque de energias externas que faz despertar uma pessoa adormecida; mas somente o esforço opera a edificação moral, legítima e definitiva. É uma extravagância de consequências desagradáveis, atirar-se alguém à propaganda de uma idéia sem haver fortalecido a si mesmo na seiva de seus princípios enobrecedores.
O Espiritismo não constitui uma escola de leviandade. Identificado com a sua essência consoladora e divina, o homem não pode acovardar-se ante a intensidade das provações e das experiências. Grande erro praticariam as entidades espirituais elevadas, se prometessem aos seus amigos do mundo uma vida fácil e sem cuidados, solucionando-lhes todos os problemas e entregando-lhes a chave de todos os estudos.
É egoísmo e insensatez provocar o plano invisível com os pequeninos caprichos pessoais. Cada estudioso desenvolva a sua capacidade de trabalho e de iluminação e não guarde para outrem o que lhe compete fazer em seu próprio benefício. O Espiritismo, sem Evangelho, pode alcançar as melhores expressões de nobreza, mas não passará de atividade destinada a modificar-se ou desaparecer. E o espírita que não cogitou da sua iluminação com Jesus-Cristo, pode ser um cientista e um filósofo, com as mais elevadas aquisições intelectuais, mas estará sem leme e sem roteiro no instante da tempestade inevitável da provação e da experiência, porque só o sentimento divino da fé pode arrebatar o homem das preocupações inferiores da Terra para os caminhos supremos os páramos espirituais.

76 - EXISTE DIFERENÇA ENTRE DOUTRINAR E EVANGELIZAR?

RESP.: Há grande diversidade entre ambas as tarefas. Para doutrinar, basta o conhecimento intelectual dos postulados do Espiritismo; para evangelizar é necessário a luz do amor no íntimo. Na primeira, bastarão a leitura e o conhecimento; na segunda, é preciso vibrar e sentir com o Cristo. Por estes motivos, o doutrinador muitas vezes não é senão o canal de conhecimentos, mas o sincero evangelizador será sempre o reservatório da verdade, habilitado a servir às necessidades de outrem sem privar-se da fortuna espiritual de si mesmo.

77 - PARA ACELERAR O ESFORÇO DE ILUMINAÇÃO, A HUMANIDADE NECESSITARÁ DE DETERMINADAS INOVAÇÕES RELIGIOSAS?

RESP.: Toda inovação é indispensável, mesmo porque a lição do Senhor ainda não foi compreendida. A cristianização das almas humanas ainda não foi além da primeira etapa. Alguns séculos antes de Jesus, o plano espiritual, pela boca dos profetas e dos filósofos exortava o homem do mundo ao conhecimento de si mesmo. O Evangelho é a luz interior dessa edificação.
Ora, somente agora a criatura terrestre prepara-se para o conhecimento próprio através da dor; portanto, a evangelização da alma coletiva, para a nova era de concórdia e de fraternidade, somente poderá efetuar-se, de modo geral, no terceiro milênio.
É certo que o planeta já possui as suas expressões isoladas de legítimo evangelismo, raras na verdade, mas consoladoras e luminosas. Essas expressões, porém, são obrigadas às mais altas realizações de renúncia em face da ignorância e da iniquidade do mundo. Esses apóstolos desconhecidos são aquele "sal da Terra" e o seu esforço divino será respeitado pelas gerações vindouras, como os símbolos vivos da iluminação espiritual com Jesus Cristo, bem-aventurados de seu Reino, no qual souberam perseverar até o fim.

78 - EM FACE DA CIÊNCIA E DA FILOSOFIA COMO INTERPRETAR A RELIGIÃO NAS ATIVIDADES DA VIDA?

RESP.: Religião é o sentimento Divino, cujas exteriorizações são sempre o Amor, nas expressões mais sublimes. Enquanto a Ciência e a Filosofia operam o trabalho da experimentação e do raciocínio, a Religião edifica e ilumina os sentimentos. As primeiras se irmanaram na Sabedoria, a segunda personifica o Amor, as duas asas divinas com que a alma humana penetrará, um dia, nos pórticos sagrados da espiritualidade.

79 - "NO PRINCÍPIO ERA O VERBO..." COMO DEVEMOS ENTENDER ESTA AFIRMATIVA DO TEXTO SAGRADO?

RESP.: O apóstolo João ainda nos adverte que "o Verbo era Deus e estava com Deus". Deus é amor e vida e a mais perfeita expressão do Verbo para o orbe terrestre era e é Jesus, identificado com a sua misericórdia e sabedoria, desde a organização primordial do planeta. Visível ou oculto, o Verbo é o traço da luz divina em todas as coisas e em todos os seres, nas mais variadas condições do processo de aperfeiçoamento.

80 - POR QUE RAZÃO A PALAVRA DAS PROFECIAS PARECE DIRIGIDA INVARIAVELMENTE AO POVO DE ISRAEL?

RESP.: Em todos os textos das profecias, Israel deve ser considerada como o símbolo de toda a humanidade terrestre, sob a égide sacrossanta do Cristo.

81 - DEVE-SE ATRIBUIR AO JUDAÍSMO MISSÃO ESPECIAL, EM COMPARAÇÃO COM AS DEMAIS IDÉIAS RELIGIOSAS DO TEMPO ANTIGO?

RESP.: Embora as elevadas concepções religiosas que floresceram na Índia e no Egito e todos os grandes ideais de conhecimento da divindade, que povoaram a antiga Asia em todos os tempos, deve-se reconhecer no judaísmo a grande missão da revelação do Deus único. Enquanto os cultos religiosos se perdiam na divisão e na multiplicidade, somente o judaísmo foi bastante forte na energia e na unidade para cultivar o monoteísmo e estabelecer as bases da lei universalista, sob a luz da inspiração divina.
Por esse motivo, não obstante os compromissos e os débitos penosos que parecem perpetuar os seus sofrimentos, através das gerações e das pátrias humanas no doloroso curso dos séculos, o povo de Israel deve merecer o respeito e o amor de todas as comunidades da Terra, porque somente ele foi bastante grande e unido para guardar a idéia verdadeira de Deus, através dos martírios da escravidão e do deserto.

82 - COMO DEVE SER CONSIDERADA, NO ESPIRITISMO, A CHAMADA "SANTÍSSIMA TRINDADE", DA TEOLOGIA CATÓLICA?

RESP.: Os textos primitivos da organização cristã não falam da concepção da Igreja Romana, quanto à chamada "Santíssima Trindade". Devemos esclarecer, ainda, que o ponto de vista católico provém de sutilezas teológicas sem base séria nos ensinamentos de Jesus. Por largos anos, antes da Boa Nova, o bramanismo guardava a concepção de Deus, dividido em três princípios essenciais, que os seus sacerdotes denominavam Brama, Vishnu e Çiva.
Contudo, a Teologia, que se organizava sobre os antigos princípios do politeísmo romano, necessitava apresentar um complexo de enunciados religiosos, de modo a confundir os espíritos mais simples, mesmo porque sabemos que se a igreja foi, a princípio, depositária das tradições cristãs, não tardou muito que o sacerdócio eliminasse as mais belas expressões do profetismo, inumando o Evangelho sob um acervo de convenções religiosas, e roubando às revelações primitivas a sua feição de simplicidade e de amor.
Para esse desiderato, as forças que vinham disputar o domínio do Estado, em face da invasão dos povos considerados bárbaros, se apressaram, no poder, em transformar os ensinos de Jesus em instrumento de política administrativa, adulterando os princípios evangélicos nos seus textos primitivos e assimilando velhas doutrinas como as da Índia legendária, e organizando novidades teológicas, com as quais o Catolicismo se reduziu a uma força respeitável, mas puramente humana, distante do Reino de Jesus, que, na afirmação do Mestre, simples e profunda, não tem ainda fundamentos divinos na face da Terra.

83 - COMO INTERPRETAR A ANTIGA SENTENÇA "DEUS FEZ O MUNDO DO NADA?"

RESP.: O primeiro instante da matéria está, para os Espíritos da minha esfera, tão obscuro quanto o primeiro momento da energia espiritual nos círculos da vida universal. Compreendemos, contudo, que, sendo Deus o Verbo da criação, o "nada" nunca existiu para o nosso conceito de observação, porquanto o Verbo, para nós outros, é a luz de toda a Eternidade.

84 - OS DIAS DA CRIAÇÃO, NAS ANTIGAS REFERÊNCIAS DO VELHO TESTAMENTO, CORRESPONDEM A PERÍODOS INTEIROS DA EVOLUÇÃO GEOLÓGICA?

RESP.: Os dias da atividade do Criador, tal como nos refere o texto sagrado, correspondem aos largos períodos de evolução, dentro dos milênios indispensáveis ao trabalho da gênese planetária, salientando-se que, com esses, a Bíblia encerra outros grandes símbolos inerentes aos tempos imemoriais, das origens do planeta.

85 - QUAL A POSIÇÃO DO VELHO TESTAMENTO NO QUADRO DE VALORES DA EDUCAÇÃO RELIGIOSA DO HOMEM?

RESP.: No quadro de valores da educação religiosa, na civilização cristã, o Velho Testamento, apesar de suas expressões altamente simbólicas, poucas vezes acessíveis ao raciocínio comum, deve ser considerado como a pedra angular, ou como a fonte-máter da revelação divina.

86 - OS DEZ MANDAMENTOS RECEBIDOS POR MOISÉS NO SINAI, BASE DE TODA JUSTIÇA ATÉ HOJE, NO MUNDO, FORAM ALTERADOS PELAS SEITAS RELIGIOSAS?

RESP.: As seitas religiosas, de todos os tempos, pela influenciação de seus sacerdotes, procuram modificar os textos sagrados; todavia apesar das alterações transitórias, os dez mandamentos, transmitidos à Terra por intermédio de Moisés, voltam sempre a ressurgir na sua pureza primitiva, como base de todo o direito no mundo, sustentáculo de todos os códigos da justiça terrestre.

87 - COMO ENTENDER A PALAVRA DO VELHO TESTAMENTO QUANDO NOS DIZ QUE DEUS FALOU A MOISÉS NO SINAI?

RESP.: Estais atualmente em condições de compreender que Moisés trazia consigo as mais elevadas faculdades mediúnicas, apesar de suas características de legislador humano. É inconcebível que o grande missionário dos judeus e da Humanidade pudesse ouvir o Espírito de Deus. Estais, porém, habilitados a compreender, agora, que a Lei ou a base da lei, nos dez mandamentos, foi-lhe ditada pelos emissários de Jesus, porquanto todos os movimentos de evolução material e espiritual do orbe se processaram, como até hoje se processam, sob o seu augusto e misericordioso patrocínio.

88 - APESAR DE SUAS EXPRESSÕES TÃO HUMANAS, MOISÉS VEIO AO MUNDO COMO MISSIONÁRIO DIVINO?

RESP.: Examinando-se os seus atos enérgicos de homem, há a considerar as características da época em que se verificou a grande tarefa do missionário hebreu, legítimo emissário do plano superior, para entregar ao mundo terrestre a grande e sublime mensagem da primeira revelação. Com expressões diversas, o grande enviado não poderia dar conta exata de suas preciosas obrigações, em face da Humanidade ignorante e materialista.

89 - MOISÉS TRANSMITIU AO MUNDO A LEI DEFINITIVA?

RESP.: O profeta de Israel deu à Terra, as bases da Lei divina e imutável, mas não toda a Lei, integral e definitiva. Aliás, somos obrigados a reconhecer que os homens receberão sempre as revelações divinas de conformidade com a sua posição evolutiva. Até agora, a Humanidade da era cristã recebeu a grande Revelação em três aspectos essenciais: Moisés trouxe a missão da Justiça; o Evangelho, a revelação insuperável do Amor, e o Espiritismo, em sua feição de Cristianismo redivivo, traz, por sua vez, a sublime tarefa da Verdade.
No centro das três revelações encontra-se Jesus-Cristo, como o fundamento de toda a luz e toda sabedoria. É que, com o Amor, a Lei manifestou-se na Terra nos eu esplendor máximo; a Justiça e a Verdade nada mais são do que os instrumentos divinos de sua exteriorização, com aquele Cordeiro de Deus, alma da redenção de toda a Humanidade.
A Justiça, portanto, lhe aplainou os caminhos, e a Verdade, conseguintemente, esclarece os seus divinos ensinamentos. Eis por que, com o Espiritismo simbolizando a Terceira Revelação da Lei, o homem terreno se prepara, aguardando as sublimadas realizações do seu futuro espiritual, nos milênios porvindouros.

90 - QUAL A SIGNIFICAÇÃO DA LEI DE TALIÃO "OLHO POR OLHO, DENTE POR DENTE", EM FACE DA NECESSIDADE DA REDENÇÃO DE TODOS OS ESPÍRITOS PELAS REENCARNAÇÕES SUCESSIVAS?

RESP.: A lei de talião prevalece para todos os espíritos que não edificaram ainda o santuário do amor nos corações e que representam a quase totalidade dos seres humanos. Presos, ainda, aos milênios do pretérito, não cogitaram de aceitar e aplicar o Evangelho a si próprios, permanecendo encarcerados em círculos viciosos de dolorosas reencarnações expiatórias e purificadoras.
Moisés proclamou a Lei antiga, muitos séculos antes do Senhor. Como já foi dito, o profeta hebraico apresentava a Revelação com a face divina da Justiça; mas, com Jesus, o homem ensinava o "olho por olho, dente por dente", Jesus-Cristo esclarecia que o "amor cobre multidão dos pecados".
Daí a verdade de que as criaturas se redimirão pelo amor e se elevarão a Deus por ele, anulando com o bem todas as forças que lhes possam encarcerar o coração nos sofrimentos do mundo.

91 - QUAL É VERDADEIRAMENTE O SEGUNDO MANDAMENTO? "NÃO FARÁS IMAGENS ESCULPIDAS DAS COISAS QUE ESTÃO NOS CÉUS, ETC SEGUNDO ALGUNS TEXTOS OU "NÃO TOMAR O SEU SANTO NOME EM VÃO", CONFORME O ENSINAMENTO DA IGREJA CATÓLICA DE ROMA?

RESP.: A segunda fórmula foi uma tentavia de subversão dos textos primitivos, levada a efeito pela Igreja Romana, a fim de que o seu sacerdócio encontrasse campo livre para desenvolvimento das heranças do paganismo, no que se refere às pomposas demonstrações do culto exterior.

92 - QUAL A INTENÇÃO DE MOISÉS NO DEUTERONÔMIO RECOMENDANDO "QUE NINGUÉM INTERROGASSE OS MORTOS PARA SABER A VERDADE"?

RESP.: Antes de tudo, faz-se preciso considerar-se que a afirmativa tem sido objeto de largas discussões por parte dos adversários da nova revelação que o Espiritismo trouxe aos homens, na sua feição de Consolador. As expressões sectárias, todavia, devem considerar que a época de Moisés não comportava as indagações do invisível, porquanto o comércio com os desencarnados se faria com um material humano excessivamente grosseiro e inferior.

93 - OS CINCO LIVROS MAIORES DA BÍBLIA ENCERRAM SÍMBOLOS ESPECIAIS PARA A EDUCAÇÃO RELIGIOSA DO HOMEM?

RESP.: Todos os documentos religiosos da Bíblia se identificam entre si, no todo, desde a primeira revelação com Moisés, de modo a despertar no homem as verdadeiras noções do seu dever para com os semelhantes e para com Deus.

94 - A PREVISÃO E A PREDIÇÃO, NOS LIVROS SAGRADOS DÃO A ENTENDER QUE OS PROFETAS ERAM DIRETAMENTE INSPIRADOS PELO CRISTO?

RESP.: Nos textos sagrados das fontes divinas do Cristianismo, as previsões e predições se efetuaram sob ação direta do Senhor, pois só Ele poderia conhecer bastante os corações, as fraquezas e as necessidades dos seus rebeldes tutelados, para sondar com precisão as estradas do futuro, sob a misericórdia e a sabedoria de Deus.

95 - OS ESPÍRITOS ELEVADOS, COMO OS PROFETAS ANTIGOS, DEVEM SER CONSIDERADOS COMO ANJOS OU COMO ESPÍRITOS ELEITOS?

RESP.: Como missionários do Senhor, junto à esfera de atividade propriamente material, os profetas antigos eram também dos "chamados" à luminosa sementeira. Para a nossa compreensão, a palavra "anjo", neste passo deve designar somente as entidades que já se elevaram ao plano superior, plenamente redimidas, onde são "escolhidos" na tarefa sagrada d'Aquele cujas palavras não passarão.
O Eleito, porém, é aquele que se elevou para Deus em linha reta, sem as quedas que nos são comuns, sendo justo afirmar que o orbe terrestre só viu um eleito, que é Jesus-Cristo. A compreensão do homem, todavia, em se tratando de angelitude, generalizou a definição, estendendo-a a todas as almas que se justifica, entendendo-se que a palavra "anjo" significa "mensageiro".

96 - OS PROFETAS HEBRAICOS REPRESENTAVAM O PAPEL DE SACERDOTES DOS CRENTES DA LEI?

RESP.: Em todos os tempos houve a mais funda diferença entre o sacerdócio e o profetismo. Os antigos profetas de Israel nunca se caracterizaram por qualquer expressão de servilismo às convenções sociais e aos interesses econômicos, tão ao gosto do sacerdócio organizado, em todas as eras e em todos os lugares.
Extremamente dedicados ao esforço próprio, não viviam do altar de sua fé, mas do trabalho edificante, fosse na indumentária dos escravos oprimidos, ou no insulamento do deserto que as suas aspirações religiosas sabiam povoar de um santo dinamismo construtivo.

97 - OS PROFETAS DO CRISTO TÊM VOLTADO À ESFERA MATERIAL PARA TRAZER AOS HOMENS NOVAS EXPRESSÕES DE LUZ PARA O FUTURO DA HUMANIDADE?

RESP.: Em tempo algum as coletividades humanas deixaram de receber a sublime cooperação dos enviados do Senhor, na solução dos grandes problemas do porvir. Nem sempre a palavra da profecia poderá ser trazida pelas mesmas individualidades espirituais dos tempos idos; contudo os profetas de Jesus, isto é, as poderosas organizações espirituais do planos superiores, têm estado convosco, incessantemente, impulsionando-vos à evolução em todos os sentidos, multiplicando as vossas possibilidades de êxito nas experiências difíceis e dolorosas.
É verdade que os novos enviados não precisarão dizer o que já se encontra escrito, em matéria de revelações religiosas; todavia, agem nos setores da Ciência e da Filosofia, da Literatura e da Arte, levantando-vos o pensamento abatido para as maravilhosas construções espirituais do porvir.
Igualmente, é certo que os missionários novos não encontraram o deserto de figueiras bravas, onde os seus predecessores se nutriam apenas de gafanhotos e de mel selvagem, mas ainda são obrigados a viver no deserto das cidades tumultuosas, entre corações indiferentes e incompreensíveis, cercados pela ingratidão e pela zombaria dos contemporâneos, que muitas vezes, lhes impõem o pelourinho e o sacrifício. O amor de Jesus, todavia, é a seiva divina que lhes alimenta a fibra de trabalho e realização, e, sob as suas bênçãos generosas, as grandes almas solitárias atravessam o mundo, distribuindo a luz do Senhor pelas estradas sombrias.

98 - A LEITURA DO VELHO TESTAMENTO E DO EVANGELHO, NOS CIRCULOS FAMILIARES, COMO É DE HÁBITO ENTRE MUITOS POVOS EUROPEUS, FAVORECE A RENOVAÇÃO DOS FLUÍDOS SALUTARES DE PAZ NA INTIMIDADE DO CORAÇÃO E DO AMBIENTE DOMÉSTICO?

RESP.: Essa leitura é sempre útil, e quando não produz a paz imediata, em vista da heterogeneidade de condições espirituais daqueles que a ouvem em conjunto, constitui sempre proveitosa sementeira evangélica, extensiva às entidades do plano invisível, que a assistem, sendo lícito esperar mais tarde o seu florescimento e frutificação.

99 - EM QUE SENTIDO DEVEREMOS TOMAR O CONCEITO DE RELIGIÕES?

RESP.: Religião, para todos os homens, deveria compreender-se como sentimento divino que clarifica o caminho das almas e que cada espírito aprenderá na pauta do seu nível evolutivo. Neste sentido, a Religião é sempre a face augusta e soberana da Verdade; porém na inquietação que lhes caracteriza a existência na Terra, os homens se dividiram em numerosas religiões, como se a fé também pudesse ter fronteiras, à semelhança das pátrias materiais tantas vezes mergulhadas no egoísmo e na ambição de seus filhos. Dessa falsa interpretação têm nascido no mundo as lutas antifraternais e as dissensões religiosas de todos os tempos.

100 - AS RELIGIÕES QUE SURGIRAM NO MUNDO, ANTES DO CRISTO, TINHAM TAMBÉM POR MISSÃO PRINCIPAL A PREPARAÇÃO DA MENTALIDADE HUMANA PARA A SUA VINDA?

RESP.: Todas as idéias religiosas, que as criaturas humanas traziam consigo do pretérito milenário, destinavam-se a preparar o homem para receber e aceitar o Cordeiro de Deus, com a sua mensagem de amor perene e reforma espiritual definitiva. O Cristianismo é a síntese, em simplicidade e luz, de todos os sistemas religiosos mais antigos, expressões fragmentárias das verdades sublimes trazidas ao mundo na palavra imorredoura de Jesus.
Os homens, contudo, não obstante todos os elementos de preparação, continuaram divididos e, dentro das suas características de rebeldia, procrastinaram a sua edificação nas lições renovadoras do Evangelho.

101 - RECONHECENDO-SE QUE VÁRIAS SEITAS NASCERAM IGUALMENTE DO CRISTIANISMO, DEVEMOS CONSIDERÁ-LAS CRISTÃS, OU SIMPLES EXPRESSÕES RELIGIOSAS INSULADAS DA VERDADE DE JESUS?

RESP.: Todas as expressões religiosas nascidas do Cristianismo se identificam pela seiva de amor do tronco que as congrega, apesar dos erros humanos de seus expositores. Os sacerdotes das mais diversas castas inventaram os manuais teológicos, os princípios dogmáticos e as fórmulas políticas; todavia, nenhum esforço humano conseguiu deslustrar a claridade divina do "amai-vos uns aos outros", base imortal de todos os ensinos de Jesus, cuja luminosa essência identifica as castas entre si, em todas as posições e tarefas especializadas que lhes foram conferidas.

102 - SE AS SEITAS RELIGIOSAS NASCIDAS DO CRISTIANISMO TÊM UMA TAREFA ESPECIALIZADA, QUAL SERÁ A DAS CORRENTES PROTESTANTES, ORIUNDAS DA REFORMA?

RESP.: A Reforma e os movimentos que se lhe seguiram vieram ao mundo com a missão especial de exumar a "letra" dos Evangelhos, enterrada até então nos arquivos da intolerância clerical, nos seminários e nos conventos, a fim de que, depois da sua tarefa, pudesse o Consolador prometido, pela voz do Espiritismo cristão, ensinar aos homens o "espírito divino" de todas as lições de Jesus.

103 - O ESPÍRITO, ANTES DE REENCARNAR, ESCOLHE TAMBÉM AS CRENÇAS OU CULTOS A QUE SE DEVERÁ SUBMETER NAS EXPERIÊNCIAS DA VIDA?

RESP.: Todos os Espíritos, reencarnando no planeta, trazem consigo a idéia de Deus, identificando-se de modo geral nesse sagrado princípio. Os cultos terrestres, porém, são exteriorizações desse princípio divino, dentro do mundo convencional, depreendendo-se daí que a Verdade é uma só, e que as seitas terrestres são materiais de experiência e de evolução, dependendo a preferência de cada um do estado evolutivo em que se encontre no aprendizado da existência humana, e salientando-se que a escolha está sempre de pleno acordo com o seu estado íntimo, seja na viciosa tendência de repousar nas ilusões do culto externo, seja, pelo esforço sincero de evolutir, na pesquisa incessante da edificação divina.

104 - CONSIDERANDO QUE A CONVENÇÃO SOCIAL CONFERE AOS SACERDOTES DAS SEITAS CRISTÃS CERTAS PRERROGATIVAS NA REALIZAÇÃO DE DETERMINADOS ACONTECIMENTOS DA VIDA, COMO INTERPRETAR AS PALAVRAS DE MATEUS: - "TUDO O QUE LIGARDES NA TERRA, SERÁ LIGADO NO CÉU", SE OS SACERDOTES, TANTAS VEZES, NÃO SE MOSTRAM DIGNOS DE FALAR NO MUNDO EM NOME DE DEUS?

RESP.: Faz-se indispensável observar que as palavras do Cristo foram dirigidas aos apóstolos e que a missão de seus companheiros não era restrita ao ambiente das tribos de Israel, tendo a sua divina continuação além das próprias atividades terrestres. Até hoje, os discípulos diretos do Senhor têm a sua tarefa sagrada, em cooperação com o Mestre Divino, junto da Humanidade - a Israel mística dos seus ensinamentos.
Os méritos dos apóstolos de modo algum poderiam ser automaticamente transferidos aos sacerdotes degenerados pelos interesses políticos e financeiros de determinados grupos terrestres, depreendendo-se daí que a Igreja Romana, a quem mais tem abusado desses conceitos, uma vez mais desviou o sentido sagrado da lição do Cristo.
Nessas circunstâncias, os discípulos leais devem manter-se em plano superior ao do convencionalismo terrestre, agindo com a própria consciência e com a melhor compreensão de responsabilidade, em todos os climas do mundo, porquanto, desse modo, desde que desenvolvam atuação no bem, pelo bem e para o bem, em nome do Senhor, terão seus atos evangélicos tocados pela luz sacrossanta das sanções divinas.

105 - CONSIDERANDO QUE AS RELIGIÕES INVOCAM O EVANGELHO DE MATEUS PARA JUSTIFICAR A NECESSIDADE DO BATISMO EM SEUS CARACTERÍSTICOS CERIMONIAIS, COMO DEVERÁ O ESPIRITISTA PROCEDER EM FACE DESSE ASSUNTO?

RESP.: Os espiritistas sinceros, na sagrada missão de paternidade, devem compreender que o batismo, aludido no Evangelho, é o da invocação das bênçãos divinas para quantos a eles se reúnem no instituto santificado da família. Longe de quaisquer cerimônias de natureza religiosa, que possam significar uma continuação dos fetichismos da Igreja Romana, que se aproveitou do símbolo evangélico para a chamada venda dos sacramentos, o espiritista deve entender o batismo como o apelo do seu coração ao Pai de Misericórdia, para que os seus esforços sejam santificados no trabalho de conduzir as almas a ele confiadas no instituto familiar, compreendendo, além do mais, que esse ato de amor e de compromisso divino deve ser continuado por toda a vida, na renúncia e no sacrifício, em favor da perfeita cristianização dos filhos, no apostolado do trabalho e da dedicação.

106 - QUAL O PROCEDIMENTO A SER ADOTADO PELOS ESPIRITISTAS NA CONSAGRAÇÃO DO CASAMENTO, SEM FERIR AS CONVENÇÕES SOCIAIS, REFLEXAS DOS CULTOS RELIGIOSOS?

RESP.: Os cultos religiosos, em sua feição dogmática, são igualmente transitórios como todas as fórmulas do convencionalismo humano. Que o espiritista sincero e cristão, assumindo os seus compromissos conjugais perante as leis dos homens, busque honrar a sua promessa e a sua decisão, santificando o casamento com o rigoroso desempenho de todos os seus deveres evangélicos, ante os preceitos terrestres e ante a imutável lei divina que vibra em sua consciência cristianizada.

107 - COMO INTERPRETAR A MISSA NO CULTO EXTERNO DA IGREJA CATÓLICA?

RESP.: Perante o coração sincero e fraternal dos crentes, a missa realizada pela igreja de Roma deve ser um ato exterior, respeitável para nós outros, como qualquer cerimônia convencionalista do mundo, que exija a mútua consideração social no mecanismo de relações superficiais da Terra.
A igreja de Roma pretende comemorar, com ela, o sacrifício do Mestre pela Humanidade; todavia, a cerimônia se efetua de conformidade com a posição social e financeira do crente. Ocorrem, dessa maneira, as missas mais variadas, tais como a "do galo" a "nova", a "particular", a "pontificial", a "das almas", a "seca", a "cantada", a "chã", a "campal", etc.. adstritas a um prontuário tão convencionalista e tão superficial, que é de admirar a adaptação ao seu mistifório, por parte do sacerdote inteligente e afeito à sinceridade.

108 - AS APARIÇÕES E OS CHAMADOS MILAGRES RELACIONADOS NA HISTÓRIA DA ORIGEM DAS IGREJAS SÃO FATOS DE NATUREZA MEDIÚNICA?

RESP.: Todos esses acontecimentos, classificados no domínio do sobrenatural, foram fenômenos psíquicos sobre os quais se edificaram as igrejas conhecidas, fatos esses que o Espiritismo veio catalogar e esclarecer, na sua divina missão de Consolador.

109 - COMO PODEMOS DEFINIR O ESPIRITISMO?

RESP. Trata-se de uma filosofia, com bases científicas e consequências religiosas. Ela restaura o evangelho de Jesus, então ele é o Cristianismo Redivivo.

110 - O QUE É FILOSOFIA ESPÍRITA?

RESP.: Partindo da idéia platônica de que filosofar é procurar o sentido para a vida, podemos dizer que a filosofia espírita é essa busca a começar do contato com o Mundo Espiritual. Os que moram "do outro lado" têm uma visão mais ampla sobre o assunto, sem as limitações impostas pela armadura de carne, que inibe nossas percepções.

111 - E O QUE NOS DIZEM OS QUE VIVEM "DO OUTRO LADO"?

RESP.: Dizem de onde viemos, o que fazemos na Terra e para onde vamos, dentro de um continuum evolutivo destinado a nos conduzir à perfeição. Nesse contexto, explicam os porquês das desigualdades, envolvendo condição social, financeira, moral, cultura, intelectual e outras mais que costumam fazer a perplexidade das pessoas, levando-as a duvidar da justiça divina.

112 - E A CIÊNCIA ESPÍRITA?

RESP.: Se a Doutrina propõe o contato com o Além, de onde colhelmos informações sobre a Vida, quem nos garante que estas informações estão corretas, exprimem a verdade? Aí entra a Ciência, envolvendo pesquisas quanto à autenticidade dos fenômenos de intercâmbio.

113 - COMO SE FAZ ESSA PESQUISA?

RESP.: Avaliando o trabalho de grandes médiuns, que produzem fenômenos ostensivos, como a materialização de Espíritos. Se vamos a uma reunião e surge um familiar que faleceu; se ele se faz visível e tangível, permitindo que o toquemos; se evoca fatos que marcaram nossa convivência, com detalhes que ninguém conhece, obviamente temos uma demonstração inquestionável do intercâmbio com os mortos. Haverá, talvez, alguma dúvida para que ouve falar sobre o assunto, mas é de inconfundível autenticidade para quem passa pela experiência. Acontece com muitos pesquisadores.

114 - E O ASPECTO RELIGIOSO? ESPIRITISMO É RELIGIÃO?

RESP.: Se a Doutrina Espírita proclama a existência de Deus; se defende a sobrevivência do Espírito; se adverte quanto às consequências das ações humanas no plano espiritual; se enfatiza a necessidade de reforma íntima; se exalta o esforço do Bem, valores que nos aproximam do Criador, obviamente é uma religião.

115 - AS RELIGIÕES COSTUMAM SER ABSOLUTISTAS, PROCLAMANDO-SE DEPOSITÁRIAS DA VERDADE E DA SALVAÇÃO. O QUE NOS DIZ O ESPIRITISMO?

RESP.: A verdade fundamental está toda contida no AMAI-VOS UNS AOS OUTROS, recomendado por Jesus, o caminho perfeito para nossa integração nos ritmos do Universo. À medida que a vivenciarmos estaremos salvos das dores e desajustes que fazem nossa infelicidade. É o que ensina a Doutrina Espírita.

116 - ESPIRITISMO E ESPIRITUALISMO TÊM O MESMO SIGNIFICADO?

RESP.: Não. Espiritualismo é a crença na existência e sobrevivência do Espírito, o ser pensante. Por isso, católicos, evangélicos, budistas, maometanos, enfim, os religiosos de um modo geral, são todos espiritualistas. O espírita também, pelo mesmo motivo. A diferença é que o Espiritismo desenvolve um novo espiritualismo, uma maneira avançada de apreciar a sobrevivência da alma.

117 - QUAL SERIA A DIFERENÇA ENTRE RELIGIÕES ESPIRITUALISTAS E ESSE "NOVO ESPIRITUALISMO"?

RESP.: Em se tratando da vida espiritual, elas são especulativas. À falta de informações precisas, os teólogos que formularam seus princípios imaginaram como seria o Além. A Doutrina Espírita faz diferente: alicerça seus princípios em informações colhidas no contato com a dimensão extrafísica. Começa exatamente onde terminam as religiões, desbravando o vasto continente espiritual.

118 - A IDÉIA SERIA SEPARAR A REALIDADE DA FANTASIA?

RESP.: Exatamente. Se, tentando descobrir como vivem os franceses partirmos para a imaginação, resvalaremos para a fantasia, desenvolvendo noções totalmente distanciadas da realidade. Mais prático entrevistar alguns franceses, de várias camadas sociais, a nos oferecerem uma visão perfeitade como é a vida na França.

119 - AINDA QUE A CIÊNCIA ESPÍRITA GARANTA A AUTENTICIDADE DO INTERCÂMBIO COM O ALÉM, COMO PODEMOS TER CERTEZA DE QUE AS INFORMAÇÕES COLHIDAS OFERECEM UMA VISÃO REAL DESSE MUNDO INVISÍVEL?

RESP.: Pelo critério de universalidade. Se perguntarmos a um francês sobre a vida na França, e ele mentir, seremos confundidos. Mas, se perguntarmos a muitos franceses, isoladamente, cotejando as respostas, teremos a verdade. O mesmo acontece no intercâmbio com o Além. Muitos Espíritos entrevistados, com o concurso de muitos médiuns, nos oferecem uma visão objetiva de como vivem.

120 - EXORCISTAS, NAS RELIGIÕES TRADICIONAIS, ATRIBUEM AO DEMÔNIO ESSAS MANIFESTAÇÕES..?

RESP.: Trata-se de uma fantasia teológica que seria perfeitamente superada se os exorcistas se desse ao trabalho de pesquisar, usando a metodologia espírita. Constatariam, tranquilamente, que são as almas dos mortos que se manifestam.

121 - COMO PODEM OS MORTOS ENTRAR EM CONTATO COM OS VIVOS SE ESTÃO DORMINDO, NUM SONO QUE SE PROLONGARÁ ATÉ O CHAMADO JUÍZO FINAL, QUANDO RETOMARÃO SEUS CORPOS PARA O RETORNO À VIDA?

RESP.: Não é o que informam os mortos. O Espírito, o ser pensante, não necessita do corpo para existir e exercitar suas faculdades. A morte apenas o libera das limitações físicas, restituindo-lhe a liberdade que perdera ao reencarnar. E, porque não vive em compartimentos estanques, pode, perfeitamente, comunicar-se com os homens.

122 - SE OS PRINCÍPIOS ESPÍRITAS SÃO TÃO CLAROS E OBJETIVOS, COM ESSA AMPLA VISÃO DAS REALIDADES ESPIRITUAIS, POR QUE AS PESSOAS TÊM DIFICULDADES EM ACEITAR?

RESP.: A única dificuldade está na falta de disposição para apreciá-los. Há variados preconceitos e condicionamentos negativos, relacionados ao assunto. Qualquer pessoa que estude o Espiritismo acabará por converter-se. A Doutrina é extremamente racional e, sobretudo, consoladora. Que o digam aqueles que chegam ao Centro Espírita motivados por situações aflitivas e dolorosas.

123 - HÁ QUEM DIGA QUE O ESPIRITISMO EXISTE DESDE O APARECIMENTO DO HOMEM. É ASSIM MESMO?

RESP.: Podemos fazer tal afirmativa em relação aos princípios espíritas, como a Reencarnação, a Lei de Causa e Efeito, a Sintonia Mediúnica... São leis divinas enunciadas pela Doutrina Espírita, de caráter atemporal. Há noções a respeito delas em todas as culturas e religiões.

124 - SE OS PRINCÍPIOS ESPÍRITAS ESTÃO EM TODAS AS CULTURAS E RELIGIÕES, PODEMOS DIZER QUE ESTÃO PRESENTES TAMBÉM NO CRISTIANISMO?

RESP.: Sem dúvida. Exemplo típico, a reencarnação. Em inúmeras passagens, Jesus reporta-se a João Batista como o profeta Elias de retorno à carne. No célebre diálogo com Nicodemos, mostra como o Espírito reencarna. Há a passagem sobre um cego de nascença, em que os discípulos lhe perguntam se ele tinha nascido cego por ter pecado, o que evidencia que aceitavam a chamada palingenesia, familiarizados a partir das informações de Jesus.

125 - A LEI DE CAUSA E EFEITO, O CARMA DA FILOSOFIA HINDU, TAMBÉM ESTÁ PRESENTE NO EVANGELHO?

RESP.: Certamente. Quando Jesus proclama que a cada um será dado segundo suas obras, evidencia o princípio de ação e reação. Quando despede os beneficiários de suas curas, alertando, vai e não peques mais para que te não suceda pior, define a relação entre nossos males e as faltas que cometemos.

QUESTÕES ATUAIS

126) Entre os espiritistas, muitos há que ainda nela não entenderam os conteúdos doutrinários mais importantes. O que estaria faltando ao Movimento Espírita para corrigir essa falha ?

A Lei de Progresso cumpre-se de forma inexorável. Todos avançamos para a Grande Luz de onde se deriva todo o conhecimento.

Quando um ideal de grande envergadura, qual ocorre com o Espiritismo, cresce em superfície, perde um pouco em profundidade. Não sendo o Espiritismo uma Doutrina dogmática, não se pode exigir que os seus adeptos se submetam às suas diretrizes sob penalidades de quaisquer natureza. Assim sendo, a aprendizagem dos seus postulados com a sua correspondente vivência dá-se paulatinamente. A conquista da consciência espírita ocorre quando o profitente da Causa pode discernir o comportamento que deve ser aplicado ao seu cotidiano, portanto, quando se encontra esclarecido a respeito das responsabilidades que lhe dizem respeito.

Os espíritas sinceros têm-se dedicado com afinco à Doutrina, buscando equacionar as dificuldades que repontam nas diferentes áreas de ação humana. Programas didáticos bem elaborados, cursos de divulgação e trabalhos de fácil aplicação multiplicam-se sob cuidados especiais. Necessário que se mantenham a constância no trabalho, o estudo sistematizado da Doutrina, a tolerância que não conive com o erro, porém compreende as dificuldades naturais que ocorrem, para um correto crescimento do movimento e a vivência de cada espírita de forma coerente com o que lhe ensina o Espiritismo.

127) A convivência nos meios espiritistas com aspectos mais discutíveis dos costumes modernos tem tornado cada vez mais tênue a fronteira entre a tolerância e a conivência. Como enfrentar tal situação?

Tolerar, não significa concordar, conivir. É uma atitude de respeito pelo que pensam ou de como se comportam os outros, mantendo, porém, as próprias convicções, e conduta correta. O Espiritismo tem como máxima lapidar Fora da Caridade não há salvaçâo, que se fundamenta no pensamento e exemplificação de Jesus, quando esteve conosco na Terra. Assim, os postulados que se derivam dos Seus ensinos e que foram muito bem estudados por Allan Kardec, são as diretrizes de segurança que não podem ser desconsideradas.

Todos temos o dever de auxiliar o nosso próximo em desfalecimento ou em tormento de qualquer espécie, no entanto, somos convidados a exemplificar a conduta correta, ensinando-o a comportar-se de forma saudável em nossas Casas dedicadas ao estudo e à prática do Espiritismo.

Os modismos são transitórios e não podemos transferi-los para nossas Sociedades Espíritas, porque temos Leis que nos direcionam com harmonia e que estão muito bem estudadas em O Livro dos Espíritos, na sua Terceira Parte.

128) A aceitação da descoberta do Espírito pela ciência atual, constituirá um marco na evoluçâo da Humanidade, com isso surgindo uma nova sociedade?

Inevitavelmente isto vem ocorrendo. A Divindade propicia ao indivíduo os meios necessários para o seu desenvolvimento, cabendo-lhe a aplicação correta dos mesmos. Allan Kardec iniciou a atividade de investigação científica do Espírito, dando surgimento à Doutrina que, em um dos seus aspectos é eminentemente científica, possuindo, inclusive, parâmetros próprios, embora com elementos independentes e pensantes, que nem sempre se submetem, aos interesses dos investigadores sinceros. Foi ele, desse modo, o cientista que, ao constatar a imortalidade da alma, demonstrou a possiblidade de a Ciência acadêmica, oportunamente, realizar labor equivalente, qual vem ocorrendo com as diferentes doutrinas psíquicas, parapsicológicas, parapsíquicas, psicotrônicas, da Transcomunicação Instrumental. Todos esses diferentes passos e processos de conquista estejam previstos pelo Pensamento Divino, e que se tornaram realidade.

Esse resultado da investigação científica, constatando a imortalidade da alma, reafirma as conquistas da Ciência Espírita, cujos postulados oferecem campo para reflexões filosóficas e morais-religiosas.

A nova sociedade já começou desde o advento do Espiritismo. Com o auxílio das novas descobertas, naturalmente será facilitada a aceitação por parte de incontáveis pessoas que estão acostumadas à reflexão nos paradigmas da experimentação acadêmica.

129) O meio universitário estaria preparado para receber o conhecimento do Espiritismo em seu currículo? É válida a proposta?

Não nos parece próprio apresentar o Espiritismo como uma Doutrina que deve ser estudada nas Universidades, fazendo parte do seu currículo pedagógico. Seria repetir o equívoco experimentado por outras Doutrinas que, no passado, tentaram impor os seus postulados, terminando pelo delírio da intolerância e do fanatismo.

O Espiritismo é uma ciência que deve ser estudada na Entidade Espírita, onde se encontram presentes os instrumentos de aferição de valores que demonstram a excelência dos seus postulados. Examinado em profundidade, abrem-se-lhe as belas facetas filosófica e religiosa, facultando a cada qual insculpir no íntimo as lições hauridas e transformando-o para melhor, de forma que a sociedade experimente a sua renovação moral.

As experiências mediúnicas podem ser realizadas em qualquer lugar onde predominem os valores nobres da investigação e da análise, conforme ocorreu no passado e ainda sucede no presente.

Sob esse aspecto, o meio universitário está preparado para receber as informaçôes do Espiritismo.

O Espiritismo poderá e deverá ser estudado nas Universidades como parte dos programas transversais, que objetivam complementar os cursos aumentando a capacidade de discernimento dos alunos e abrindo-lhes mais amplos espaços culturais para o entendimento da vida e das suas finalidades. Não porém, como disciplina sujeita à avaliação curricular e à promoção dos educandos.

Em nossa forma de análise, somos de parecer que o ensino deve ser sempre leigo, dando liberdade a cada estudante de examinar o que lhe aprouver e escolher o que lhe seja de melhor, conforme ensinava o Apóstolo Paulo (l Tess. 5:21) com outras palavras.

130) Em que termos se pode entender o limite do conhecimento dos Espíritos entre aquilo que detêm e o que conseguem revelar-nos?

A desencarnação não oferece sabedoria a Espírito algum.

Cada qual atravessa a aduana da morte conduzindo os recursos e valores que lhe são próprios. No entanto, ao despertar após o túmulo, todos somos convidados ao estudo e à realização interior pelo trabalho edificante.

As Entidades Venerandas que zelam pelo progresso da comunidade humana em nome de Deus, somente expõem o que convém ao homem saber, de maneira que as informações não ultrapassem a sua capacidade de absorção empurrando-o para experiências inoportunas e esclarecimentos que não podem ser utilizados. O progresso, desse modo, obedece a planificação superior, que vai ocorrendo na medida do desenvolvimento das próprias criaturas.

Assim, os Espíritos, por sua vez, prosseguem aprendendo e desenvolvendo a sua capacidade de inteligência e de crescimento moral sem a pressa perturbadora nem a ansiedade de penetrar nas fontes da sabedoria extemporaneamente.

131) Onde se poderia situar o surgimento do Espírito: na elaboração da mônada, em momento posterior onde se manifestasse de alguma forma o Espírito inteligente ou em fase posterior ainda, no reino animal ou pré-hominal?

Deus cria o psiquismo antes da mônada, que já é uma forma primitiva de energia em processo de materialização. Esse psiquismo dorme no mineral, sonha no vegetal, sente no animal e adquire a função de pensar no homem, prosseguindo no rumo da Transcendência Divina. A semelhança de uma semente que possui em latência todos os elementos que irão constituir o futuro vegetal o psiquismo desenvolve-se lentamente, passando por diferentes processos de adaptação e de intumescimento, a fim de desdobrar e permitir que surja das próprias entranhas o Ser Espiritual que é a sua fatalidade.

132) Haverá saltos no processo evolutivo? Em caso positivo, onde se situariam os elos?

O processo de crescimento e desenvolvimento do psiquismo dá-se mui lentamente nos reinos primários, acelerando-se no período da inteligência, sem que ocorram saltos, conforme o conceito habitual. Todos os seres passam pelo mesmo processo, pelo menos no planeta terrestre. Sem dúvida, ocorrerá da mesma forma em outras Esferas do Universo, dependendo dos fatores constitutivos de cada uma delas.

133) Tendo em conta a precedência do mundo espiritual, até que ponto é verdadeiro afirmar-se que tudo quanto aqui existe, há também na Espiritualidade?

Sendo o terrestre o mundo das formas, das cópias imperfeitas, quanto aqui existe, na Espiritualidade, se encontra na sua expressão mais elevada, o que equivale dizer que a realidade é mais aprimorada do que a sua condensação material.

134) Como o governo espiritual do mundo observa os problemas atuais e que providências estariam sendo adotadas para a Evolução espiritual do homem na Terra?

A Divindade estabeleceu Leis de ordem e equilíbrio que mantem a harmonia Cósmica esplendendo em toda parte.

Os Mentores de cada Orbe se responsabilizam pelo cumprimento das referidas Leis, através das revelações que são dirigidas a todas as consciências, despertando-as para a verdade.

No caso específico da Terra, Jesus sempre enviou Seus mensageiros, que buscaram alertar e esclarecer as criaturas humanas a respeito das suas responsabilidades, culminando com a Sua vinda pessoal, para ensinar e viver a proposta de vida abundante, encerrando parte do ministério com o próprio sacrifício, e retornando depois em Espírito, assim provando a imortalidade da alma.

Até hoje continua enviando Missionários do conhecimennto e do amor, de modo que os seres humanos se sintam amparados e estimulados ao avanço, sem protecionismo, sem indiferença.

Acompanhando o processo de transformação do planeta de mundo de provas e expiações para mundo de regeneração, enviou o Espiritismo ou Consolador Prometido, a fim de que todos os indivíduos tenham a informação e a prova que lhes faltavam para se entregarem a tranformação moral indispensável a própria evolução.

Como conseqüência, participando das ocorrências que se operam no mundo terrestre, inspira, ampara e conduz o pensamento das criaturas para a realidade espiritual, deixando, no entanto, que funcione a Lei do livre-arbítrio, que faculta a cada um a escolha do caminho a percorrer, a sementeira e, por efeito, as conseqüencias da sua eleição e sua ensementação ...

135) Numa perspectiva de planeta de regeneração, a dor ainda continuará a ser a alavanca do progresso espiritual do homem?

A dor tem função educativa, promotora do ser humano que, desdenhando a Lei natural - o amor - aprende pelo sofrimento o que recusou pela alegria. Enquanto se comporte de maneira reprochável, a dor lhe será o mecanismo de despertamento inevitável.

No planeta de regeneração, ainda se estará sob a injunção do sofrimento quando necessário, porque essa não é a etapa última da evolução, do progresso dos mundos. Outras etapas se desdobrarão até o Infinito, porquanto esse não tem limite ...

136) Por que se explora tão pouco o recurso da Música no Movimento Espírita? Haverá algum preconceito?

Allan Kardec, examinando a grandeza da mensagem da Arte para a Humanidade, referiu-se à futura manifestação da cultura artística promovida pelo Espiritismo. À semelhança do que ocorreu no passado, chegaria o momento em que se apresentaria a arte caracterizada pela expressão do pensamento espírita, conforme já vem ocorrendo lentamente.

A fim de que se expressem novas formas de comportamento em todas as áreas do progresso humano, a Divindade faz que se reencarnem na Terra os grandes Missionários, a fim de darem cumprimento a esses objetivos elevados.

Neste crepúsculo de milênio e quase amanhecer de uma Nova Era. Já se encontram em processos de renascimento orgânico os Missionários da beleza, qual tem sucedido em todos os períodos passados, trazendo programas de rara sensibilidade e emoção, promovendo as variadas expressões da Cultura, da Ciência e da arte.

O Espiritismo é Doutrina destituída de qualquer manifestação ritualística, e acreditamos que o cuidado mantido pelos seus adeptos em introduzir música nas suas atividades, ao invés de preconceito, deve ser o zelo para que não sejam desvirtuados os labores, que se transformariam em realizações de outro teor. Não obstante, nas suas atividades culturais e artísticas, a música tem recebido uma grande aceitação pelos excelentes resultados que faculta, educando a sensibilidade, promovendo a meditação, enriquecendo de beleza e fomentando o desenvolvimento, da harmonia em todos quantos participam dessas realizações.

137) Os astros impõem, mas não dispõem. Em A Gênese vemos a desqualificação da Astrologia como Ciência. No entanto é idéia que atravessa os milênios e as diferentes culturas. Há alguma conceituação atual que nos possa levar a valoricar a Astrologia como Ciência? Em caso positivo qual a sua fundamentação?

Concordamos, totalmente, com a orientação do Codificador do Espiritismo em torno das influências dos astros nos destinos humanos.

As ocorrências que dizem respeito à vida são elaboradas pelo próprio Espírito, que é o autor do que lhe sucede através dos pensamentos cultivados e das ações praticadas. Não fora assim, e estaríamos diante de uma grande injustiça divina, que permite ao indivíduo nascer e renascer sob a injunção de signos zodiacais que exerceriam sobre sua existência uma influência boa ou má, da qual não se pode evadir, sem que tenha culpa ou haja conquistado mérito para tanto.

Certamente, a construção do comportamento e os fenômenos positivos ou negativos que acontecem com as criaturas são resultados das suas necessidades evolutivas. Em razão dos seus créditos e débitos poderá reencarnar-se, isto sim, sob a vibração deste ou daquele corpo celeste, mas sem que essa exerça uma ação de tal ordem que lhe modifique o quadro das experiências iluminativas.

Não podemos negar a influência magnética da lua sobre as marés, a Terra, e desta sobre aquela, o mesmo ocorrendo em todo o Universo. No que tange, porém, aos destinos e ao futuro dos seres humanos, somos inteiramente concordes com a Lei de Causa e Efeito que constitui mecanismo equânime para apresentar-se a Justiça Divina aos seres humanos.

Da 126 a 137 - Espírito de Vianna de Carvalho.