MEDICINA

1) O que tem maior peso no desequilíbrio do processo saúde-doença? Os determinantes sociais ou as alterações biológicas decorrentes de carmas ou formas de vida?

Os determinantes biológicos, decorrentes dos mecanismos cármicos, são os responsáveis pelo equilíbrio ou desarmonia no binômio saúde-doença em razão das necessidades de evolução impostas pelo perispírito, encarregado de armazenar as conquistas evolutivas, que decorrem das ações do Espírito sobre a matéria no transcurso das experiências transatas.

Mesmo os impositivos sociais são conseqüências inevitáveis das realizações do ser, que não pode fugir de si mesmo, dos compromissos assumidos e desempenhados conforme o direcionamento que se haja dado, recomeçando o processo de crescimento no lugar onde as condições lhe serão propiciatórias para a recuperação moral e espiritual, e lhe facultem os recursos indispensáveis para o próprio desenvolvimento.

Cada ser, portanto, reencarna no grupo social de que tem necessidade para evoluir, a fim de valorizar circunstâncias e condições específicas para a manifestação dos tesouros que lhe dormem em germe.

2) Podemos afirmar que cada um é responsável por suas próprias enfermidades? Estão na construção psíquica os determinantes da condição de saúde-doença?

O ser humano é, essencialmente, o Espírito que o organiza.

Como decorrêncía, é, inevitavelmente, o resultado do que pensa, do que fala e do que faz.

Sua mente é dínamo gerador de energia, cuja qualidade resulta dos fatores que lhe constituem os interesses emocionais, as preferências intelectuais e morais. Conforme organize as aspirações e as exteriorize, as mesmas se transformam em fontes de vida, elaborando as construções do bem e do mal que passam a fazer parte do seu comportamento .

Na área da saúde temos a resposta do pensamento, portanto, do próprio Espírito produzindo equilíbrio ou gerando desarmonia a expressar-se em forma de doença que lhe afeta o corpo, a emoção ou o psiquismo, levando-o às mais variadas patologias que resultam das aspirações sustentadas pela mente.

Desse modo, cada um conduz os determinantes do esquema saúde-doença, que se exteriorizam quando as matrizes cármicas facultam a instalação dos processos compatíveis com as realizações que ficaram no passado.

Da mesma forma, a mente equilibrada ou que se resolve pela renovação altera os mecanismos afligentes do sofrimento, modificando as paisagens atormentantes e gerando novas áreas de harmonia, portanto, de saúde.

3) Qual a receita para uma vida saudável no campo material e espiritual?

A harmonia da mente responde pelo bem-estar espiritual, daí decorrendo a vida saudável no campo orgânico. O equilíbrio psicofísico é a grande meta que deve ser alcançada pelo ser humano. Para consegui-lo, torna-se indispensável o conhecimennto de si mesmo como fator preponderante a fim de saber quem se é, de onde se veio, para onde se vai, pensando e agindo com eqüidade e justiça, nunca desejando aos outros aqui que não deseja para si mesmo, conforme a diretriz terapêutica proposta por Jesus.

4) Quais das ações de saúde aproximam-se mais de uma visão de saúde integral (corpo/espírito)? A clássica medicina ocidental ou as práticas alternativas, tais como acupuntura, fitoterapia, homeopatia e outras?

O ser humano é constituído de Espírito, perispírito e matéria. A visão organicista do academicismo ancestral tentou reduzi-la ao conjunto celular sob a regência do cérebro que, sofrendo anóxia, tudo levaria ao caos do princípio.

Porém, à medida que se dilataram os horizontes da compreensão em torno da realidade estrutural do indivíduo, que se inicia nos campos da energia pensante e se dilata no conjunto em que se apresenta, tem havido uma diferente visão em torno das suas necessidades, dos seus valores.

A medicina ocidental na sua proposta unicista do ser, aplicou a terapia compatível com a organização eminentemente material tendo em vista o conjunto transitório e não a realidade permanente. Não obstante, os pais da Medicina ocidental já intuíam que o indivíduo é uma energia envolta em células. Abandonado o conceito pelo materialismo, no século passado, como reação ao desordenado espiritualismo imposto pela fé cega, lentamente é retomado o conceito baseado na energia, já que tudo quanto existe no Universo é resultado da mesma. Abrem-se, então, possibilidades para a visão espiritualista e espiritista em torno da criatura, facultando uma complexa alteração na terapia convencional que cede espaço às modernas contribuições das alternativas, algumas delas multimilenárias e de resultados não agressivos ao organismo fisiopsíquico do ser.

Trabalhando-se nas causas geradoras das enfermidades, mais facilmente se poderão conseguir resultados salutares nas opções terapêuticas, revitalizando-se os campos energéticos no perispírito: chakras, meridianos, onde se situam os registros desencadeadores dos processos depurativos a expressar-se como enfermidades no corpo somático, na emoção e no psiquismo.

Em tempo não distante, as duas vertentes do conhecimento médico - oriente e ocidente - dar-se-ão as mãos, objetivando a saúde do ser humano sem preconceitos nem imposições que não mais se justificam na era do conhecimento profundo.

As cirurgias desempenharão, então, um papel emergencial, a fim de facultar ao homem o tempo necessário para trabalhar as causas dos problemas afligentes no seu organismo, modificando o comportamento mental e moral, graças a cuja conduta alterar-se-ão os efeitos perturbadores antes registrados.

5) Os pontos de acupuntura atingem, direta ou indiretamente, o perispírito, ou que outras zonas da organização humana ?

Tendo-se em vista o conceito chinês sobre a acupuntura, a energia ch'i é captada pelo corpo humano graças aos portais de entrada que se encontram espalhados pela pele. Trata-se dos locais acupunturais, que fazem parte constitutiva dos meridianos encarregados de conduzir a energia até aos órgãos na sua estrutura geral, fluindo por intermédio de doze pares e, dessa forma, oferecendo ao organismo a energia necessária para manter o seu equilíbrio.

Segundo outro conceito do mesmo pensamento filosófico chinês, existe uma polaridade universal expressa pelo yin e pelo yang. Essa tese faz recordar a Teoria da Complementaridade, segundo a qual a dualidade partícula/onda, na sua complexidade seria equivalente ao yin/yang, que se encontra presente em todos os corpos, inclusive no Universo.

A saúde seria, conforme essa teoria, o perfeito equilíbrio entre essas duas forças. Qualquer tipo de distonia, seja de natureza física, mental ou espiritual, gera um desequilíbrio no organismo, que se converte em desajuste ou enfermidade no departamento correspondente do corpo.

Somente através da harmonia da energia ch 'i por intermédio dos meridianos direito/esquerdo se consegue o equilíbrio yin/ yang, portanto, a reconquista da saúde.

Os locais acupunturais que se encontram nos meridianos da pele são constituídos por propriedades elétricas que os tornam diferentes dos campos da epiderme comum. São, portanto, circuitos elétricos que levam a energia dos pontos acupunturáveis à intimidade dos órgãos.

Também ensina a filosofia chinesa que o indivíduo é um microcosmo, reflexo do macrocosmo no qual se encontra mergulhado, conceito com o qual anuímos completamente.

A energia, portanto, aplicada nos pontos de acupuntura é absorvida pelos nervos e pelas células gliais em torno dos quais se encontram, encaminhando-a a todos os departamentos do organismo e produzindo o equilíbrio de que necessita o ser.

Dessa forma, a energia ch'i é captada pelo perispírito, que se encarrega de estimular as futuras células a um desenvolvimento harmônico, enquanto no organismo físico os neurotransmissores, como as endorfinas que aliviam e suplimem a dor, são liberados sob a ação dessa mesma irradiação.

O perispírito é alcançado, desse modo, diretamente, em razão dos seus campos energéticos que se encontram espalhados por todo o corpo humano, preservando-lhe a forma, o equilíbrio e a coleta de dados que arquiva para futuros empreendimentos.

6) Como se processa a relação físico-perispírito no desenvolvimento das enfermidades?

Assinalado por deficiências vibratórias específicas decorrentes do mau uso do organismo em existência anterior ou na atual o campo de energia apresenta-se debilitado, exteriorizando-se em ondas de freqüência descontínua que dificulta o processo da mitose celular ou diminui a produção de leucócitos, dessa forma deixando livre o espaço para as infecções, as deteriorações e desequilíbrios emocionais que aí se instalam.

É do Espírito, através do seu perispírito, que partem as correntes de energia, encarregadas de contribuir para o metabolismo orgânico, e não do corpo para aquele núcleo que lhe distribui as forças.

Todo labor terapêutico deve ter como meta prioritária atingir o cerne do ser - o Espírito - a fim de que se renovem as estruturas pensantes que proporcionam as vibrações de equilíbrio, portanto, de saúde.

7) Qual o conceito de saúde no mundo espiritual?

O conceito de saúde mais próprio para o homem, e que é tido como importante no mundo espiritual é o que decorre da consciência do dever retamente cumprido, tendo em vista as altas aspirações de progresso cultivadas, constituindo a perfeita harmonia entre desejar e conseguir. É saudável, todo aquele que age corretamente, porque pensa com elevação de propósitos e mantém-se sereno diante das determinações da Vida.

Espírito Vianna de Carvalho