OCUPAÇÕES E MISSÕES DOS ESPÍRITOS

1 - OS ESPÍRITOS CUIDAM DE OUTRA COISA, ALÉM DO SEU MELHORAMENTO PESSOAL?

RESP.: Concorrem para a harmonia do Universo, executando a vontade de Deus, do qual são os ministros. A vida Espírita é uma ocupação contínua, mas nada tem de penosa como a da Terra, pois não está sujeita à fadiga corpórea nem às angústias da necessidade.

2 - OS ESPÍRITOS INFERIORES E IMPERFEITOS DESEMPENHAM TAMBÉM UM PAPEL ÚTIL NO UNIVERSO?

RESP.: Todos têm deveres a cumprir. O último dos pedreiros não concorre tão bem para a construção do edifício como o do arquiteto?

3 - OS ESPÍRITOS TÊM, INDIVIDUALMENTE, ATRIBUTOS ESPECIAIS?

RESP.: Todos nós teremos de viver em toda parte e adquirir o conhecimento de todas as coisas, presidindo sucessivamente as funções concernentes a todos os planos do Universo. Mas, como se diz no Eclesiastes, há um tempo para cada coisa. Assim, este cumpre hoje o seu destino neste mundo, aquele o cumprirá ou já cumpriu em ouro tempo, sobre a terra, na água, no ar, etc..

4 - AS FUNÇÕES QUE OS ESPÍRITOS DESEMPENHAM NA ORDEM DAS COISAS SÃO PERMANENTE PARA CADA UM E PERTENCEM ÀS ATRIBUIÇÕES EXCLUSIVAS DE CERTAS CLASSES?

RESP.: Todos devem percorrer os diferentes graus da escala paa se aperfeiçoarem. Deus, que é justo, não poderia ter dado a uns a ciência sem trabalho, enquanto outros só a adquirem de maneira penosa.

5 - OS ESPÍRITOS DA ORDEM MAIS ELEVADA, NADA MAIS TENDO A ADQUIRIR, ENTREGAM-SE A UM REPOUSO ABSOLUTO OU TÊM AINDA OCUPAÇÕES?

RES.: Que querias que ele fizessem por toda a eternidade? A eterna ociosidade seria um suplício eterno.

6 - QUAL É A NATUREZA DE SUAS OCUPAÇÕES?

RESP.: Receber diretamente as ordens de Deus, transmití-las por todo o Universo e velar pela sua execução.

7 - AS OCUPAÇÕES DOS ESPÍRITOS SÃO INCESSANTES?

RESP.: Incenssantes, sim, se entendemos que o seu pensamento está sempre em atividade, pois eles vivem pelo pensamento. Mas é necessário não equiparar as ocupações dos Espíritos com as ocupações materiais dos homens. Sua própria atividade é um gozo pela consciência que eles têm de ser úteis.

8 - CONCEBE-SE ISSO PARA OS BONS ESPÍRITOS; MAS ACONTECE O MESMO COM OS ESPÍRITOS INFERIORES?

RESP.: Os Espíritos inferiores têm ocupações apropriadas à sua natureza. Confiais ao trabalhador braçal e ao ignorante os trabalhos do homem culto?

9 - ENTRE OS ESPÍRITOS, HÁ OS QUE SÃO OCIOSOS OU QUE NÃO SE OCUPEM DE ALGUMA COISA ÚTIL?

RESP.: Sim, mas esse estado é temporário e subordinado ao desenvolvimento de sua inteligência. Certamente que os há, como entre os homens, vivendo apenas para si mesmos; mas essa ociosidade lhes pesa e, cedo ou tarde, o desejo de progredir lhes faz sentir a necessidade de atividade, e são então felizes de poderem tornar-se úteis. Falamos de Espíritos que atingiram o ponto necessário para terem consciência de si mesmos e de seu livre-arbítrio. Porque, em sua origem, eles são como crianças recém-nascidas que agem mais por instinto do que por uma vontade determinada.

10 - OS ESPÍRITO EXAMINAM OS NOSSOS TRABALHOS DE ARTE SE INTERESSAM POR ELES?

RESP.: Examinam o que pode provar a elevação dos Espíritos e seu progresso.

11 - UM ESPÍRITO QUE TEVE UMA ESPECIALIDADE NA TERRA: UM PINTOR, UM ARQUITETO, POR EXEMPLO, INTERESSA-SE DE PREFERÊNCIA PELOS TRABALHOS QUE CONSTITUIRAM OBJETO DE SUA PREDILEÇÃO DURANTE A VIDA?

RESP.: Tudo se confunde num objetivo geral. Se for bom, se interessará na proporção em que eles lhe permiterem ajudar a elevação das almas a Deus. Esqueceis, aliás, que um Espírito dedicado a determinada arte na existência em que o conheceste, pode ter praticado outra em anterior existência, porque é necessário que tudo saiba para tornar-se perfeito. Assim, segundo o seu grau de adiantamento, pode ser que nenhuma delas constitua uma especialidade para ele. É isso o que eu entendo quando digo que tudo se confunde num objetivo geral. Notai ainda isto: o que é sublime para vós, no vosso mundo atrasado, não passa de infantilidade, comparado com o que há nos mundos mais avançados. Como quereis que os Espíritos que habitam esses mundos onde existem artes desconhecidas para vós, admirem o que, para eles, não é mais que um trabalho escolar? Já o disse: eles examinam aquilo que pode provar progresso.

12 - CONCEBEMOS QUE ASSIM DEVE SER PARA OS ESPÍRITOS BASTANTE ADIANTADOS. MAS FALAMOS DOS ESPÍRITOS MAIS VULGARES, QUE NÃO SE ELEVARAM AINDA ACIMA DAS IDÉIAS TERRENAS?

RESP.: Para esses é diferente. Seu ponto de vista é mais limitado e podem admirar aquilo mesmo que admirais.

13 - OS ESPÍRITOS SE IMISCUEM ALGUMAS VEZES EM NOSSAS OCUPAÇÕES E EM NOSSOS PRAZERES?

RESP.: Os Espíritos vulgares, como disseste,sim; estão incessantemente ao vosso redor e tomam parte às vezes bastante ativa naquilo que fazeis, segundo a sua natureza. E é bom que o façam, para impulsionar os homens nos diferentes caminhos da vida, excitar ou moderar as suas paixões.

14 - OS ESPÍRITOS QUE TÊM MISSÕES A CUMPRIR, CUMPREM-NAS EM ESTADO ERRANTE OU ENCARNADO?

RESP.: Pode fazê-lo num e noutro estado. Para certos Espíritos errantes, essa é uma grande ocupação.

15 - EM QUE CONSISTE AS MISSÕES DE QUE PODEM SER ENCARREGADOS OS ESPÍRITOS ERRANTES?

RESP.: São tão variadas que seria impossível descrevê-las; existem, aliás, as que não podeis compreender. Os Espíritos executam a vontade de Deus e não podeis penetrar todos os seus desígnios.

16 - OS ESPÍRITOS COMPREENDEM SEMPRE OS DESÍGNIOS QUE ESTÃO ENCARREGADOS DE EXECUTAR?

RESP.: Não; há os que são instrumentos cegos, mas outros sabem muito bem com que o objetivo agem.

17 - SÓ HÁ ESPÍRITOS ELEVADOS NO CUMPRIMENTO DE MISSÕES?

RESP.:A importância das missões está em relação com a capacidade e a elevação do Espírito. O estafeta que leva um despacho cumpre também uma missão, que não é a do general.

18 - A MISSÃO DE UM ESPÍRITO LHE É IMPOSTA OU DEPENDE DE SUA VONTADE?

RESP.: Ele a pede e alegra-se de a obter.

19 - A MESMA MISSÃO PODE SER PEDIDA POR MUITOS ESPÍRITOS?

RESP.: Sim, há sempre muitos candidatos, mas nem todos são aceitos.

20 - EM QUE CONSISTE A MISSÃO DOS ESPÍRITOS ENCARNADOS?

RESP.: Instruir os homens, ajudá-los a avançar, melhorar as suas instituições por meio diretos e materiais. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providência. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido.

21 - QUAL PODE SER A MISSÃO DE PESSOAS VOLUNTARIAMENTE INÚTEIS NA TERRA?

RESP.: Há efetivamente pessoas que são vivem para si mesmas e não sabem tornar-se úteis para nada. São pobres seres que devemos lamentar, porque expiarão cruelmentesua inutilidade voluntária. Seu castigo começa frequentemente desde este mundo, pelo tédio e o desgosto da vida.

22 - MAS, SE TINHAM O DIREITO DE ESCOLHA, POR QUE PREFERIRAM UMA VIDA QUE EM NADA LHES SERIA PROVEITOSA?

RESP.: Entre os Espíritos há também os preguiçosos, que recuam diante de uma vida de trabalho. Deus o permite, pois compreenderão mais tarde à sua própria custa os inconvenientes dessa inutilidade e serão os primeiros a pedir para reparar o tempo perdido. Pode ser ainda que tenham escolhido uma vida mais útil, mas uma vez em ação recusaram, deixando-se arrastar pelas sugestões dos Espíritos que os incitavam à ociosidade.

23 - AS OCUPAÇÕES COMUNS NOS PARECEM ANTES DEVERES DO QUE MISSÕES PROPRIAMENTE DITAS. A MISSÃO, SEGUNDO A IDÉIA LIGADA A ESSA PALAVRA, TEM UM SENTIDO MUITO MENOS EXCLUSIVO E SOBRETUDO MENOS PESSOAL. DESSE PONTO DE VISTA,COMO SE PODE RECONHECER QUE UM HOMEM TEM UMA MISSÃO REAL NA TERRA?

RESP.: Pelas grandes coisas que ele realiza, pelo progresso que faz os seus semelhantes realizarem.

24 - OS HOMENS INCUMBIDOS DE MISSÃO IMPORTANTE SÃO PREDESTINADOS A ELA, ANTES DO NASCIMENTO, E TÊM CONHECIMENTO DISSO?

RESP.: Às vezes, sim, mas na maioria das vezes ignoram. Só têm um vago objetivo ao vir para a Terra; sua missão se desenvolve após o nascimento e segundo as circunstâncias. Deus os impulsiona pela via em que devem cumprir os seus desígnios.

25 - QUANDO UM HOMEM FAZ UMA COISA ÚTIL, É SEMPRE EM VIRTUDE DE UMA MISSÃO ANTERIOR E PREDESTINADA OU PODE TER RECEBIDO UMA MISSÃO NÃO PREVISTA?

RESP.: Nem tudo o que um homem faz é consequência de uma missão predestinada; ele é frequentemente o instrumento de que um Espírito se serve para fazer executar alguma coisa que considera útil. Por exemplo, estivesse encarnado; procura o escritor mais apto a compreender o seu pensamento e a executá-lo: dá-lhe então a idéia e o dirige na execução. Assim, este homem veio à Terra com a missão de fazer essa obra. Acontece o mesmo com alguns trabalhos de arte e com as descobertas. Acrescentemos ainda que, durante o sono do corpo, o Espírito encarnado comunica-se diretamente com o Espírito errante, e que se entendem sobre a execução.

26 - O ESPÍRITO PODE FALIR NA SUA MISSÃO, POR SUA CULPA?

RESP.: Sim, se não for um Espírito superior.

27 - QUAIS SÃO PARA ELAS AS CONSEQUÊNCIAS?

RESP.: Terá de reiniciar a tarefa; está nisso a punição; depois, sofrerá as consequências do mal que tenha causado.

28 - DESDE QUE O ESPÍRITO RECEBE A SUA MISSÃO DE DEUS, COMO DEUS PODE CONFIAR UMA MISSÃO IMPORTANTE E DE INTERESSE GERAL A UM ESPÍRITO QUE PODERIA FALIR?

RESP.: Deus não sabe se o seu general será vitorioso ou vencido? Ele o sabe, ficai certos, e seus planos, quando importantes, não dependem desses que devem abandonar a obra em meio do trabalho. Toda a questão está, para vós, no conhecimento do futuro, que Deus possui, mas que não vos é dado.

29 - O ESPÍRITO QUE SE ENCARNA PARA CUMPRIR UMA MISSÃO TEM O MESMO RECEIO DAQUELE QUE O FAZ COMO PROVA?

RESP.: Não; ele tem experiência.

30 - OS HOMENS QUE SÃO OS FARÓIS DO GÊNERO HUMANO, QUE O ESCLARECEM PELO GÊNIO, TÊM CERTAMENTE UMA MISSÃO. MAS, NO SEU NÚMERO, HÁ OS QUE SE ENGANAM, E QUE AO LADO DE GRANDES VERDADES DIFUNDEM GRANDES ERROS. COMO DEVEMOS CONSIDERAR A SUA MISSÃO?

RESP.: Como falseada por eles. Estão abaixo da tarefa que empreenderam. É necessário porém considerar as circunstâncias; os homens de gênio devem falar de acordo com o tempo, e um ensino que parece errôneo ou pueril para uma época avançada poderia seer suficiente para o seu século.

31 - PODE-SE CONSIDERAR A PATERNIDADE COMO UMA MISSÃO?

RESP.: É, sem contradita, uma missão. E ao mesmo tempo um dever muito grande, que implica, mais do que o homem pensa, sua responsabilidade para o futuro. Deus põe a criança sob a tutela dos pais para que estes a dirijam no caminho do bem, e lhes facilitou a tarefa, dando à criança uma organização débil e delicada, que a torna acessível a todas as impressões. Mas há os que mais se ocupam de endireitar as árvores do pomar e fazê-las carregar de bons frutos, do que de endireitar o caráter do filho. Se este sucumbir por sua culpa, terão de sofrer a pena, e os sofrimentos da criança na vida futura recairão sobre eles, porque não fizeram o que lhes competia para o seu adiantamento no caminho do bem.

32 - SE UMA CRIANÇA SE TRANSVIAR, APESAR DOS CUIDADOS DOS PAIS, ESTES SÃO RESPONSÁVEIS?

RESP.: Não, mas quanto piores as disposições da criança mais a tarefa é pesada e maior será o mérito se conseguirem desviá-la do mau caminho.

33 - SE UMA CRIANÇA SE TORNA UM BOM ADULTO, APESAR DA NEGLIGÊNCIA OU DOS MAUS EXEMPLOS DOS PAIS, ESTES SE SE BENEFICIAM COM ISSO?

RESP.: Deus é justo.

34 - QUAL PODE SER A NATUREZA DA MISSÃO DO CONQUISTADOR, QUE SÓ TEM EM VISTA SATISFAZER A SUA AMBIÇÃO E PARA ATINGIR O ALVO NÃO RECUA DIANTE DE NENHUMA CALAMIDADE?

RESP.: Ele não é, na maioria das vezes, mais do que um instrumento de que Deus se serve para o cumprimento do seus desígnios. Essas calamidades são muitas vezes o meio de fazer avançar mais rapidamente um povo.

35 - AQUELE QUE É INSTRUMENTO DESSAS CALAMIDADES PASSAGEIRAS NADA TEM COM O BEM QUE DELAS RESULTA, POIS SÓ SE PROPÕE UM ALVO PESSOA; NÃO OBSTANTE, APROVEITARÁ DESSE BEM?

RESP.: Cada um é recompensado segundo as suas obras, o bem que desejou fazer e a orientação de suas intuições.