PACTOS, TALISMÃS, FEITICEIROS

1 - HÁ ALGUMA COISA DE VERDADEIRO NOS PACTOS COM OS MAUS ESPÍRITOS?

RESP.: Não, não há pactos, mas uma natureza má simpatiza com Espíritos maus. Por exemplo: queres atormentar o teu vizinho e não sabes como fazê-lo; chamas então os Espíritos inferiores que, como tu, só querem o mal, e para te ajudar querem que também os sirvas nos seus maus designios. Mas disto não se segue que o teu vizinho não possa livrar deles, por uma conjuração contrária ou pela sua própria vontade. Aquele que deseja cometer uma ação má, pelo simples fato de o querer, chama em seu auxílio os maus Espíritos, ficando obrigado a servi-los como eles o auxiliam, pois eles também necessitam dele para o mal que desejam fazer. É somente nisso que consiste o pacto.

2 - QUAL O SENTIDO DAS LENDAS FANTÁSTICAS, SEGUNDO AS QUAIS CERTOS INDIVÍDUOS TERIAM VENDIDO SUA ALMA A SATANÁS EM TROCA DE FAVORES?

RESP.: Todas as fábulas encerram um ensinamento e um sentido moral, e o vosso erro é tomá-las ao pé da letra. Essa é uma alegoria que se pode explicar assim: aquele que chama em seu auxílio os Espíritos, para deles obter os dons da fortuna ou qualquer outro favor, rebela-se contra a Providência, renuncia à missão que recebeu e às provas que deve sofrer neste mundo, e sofrerá as consequências disso na vida futura. Isso não quer dizer que sua alma esteja sempre condenada ao sofrimento. Mas, porque em vez de se desligar da matéria ele se afunda cada mais, o gozo que preferiu na Terra não o terá no mundo dos Espíritos, até que resgate a sua falta por meio de novas provas, talvez maiores e mais penosas. Por seu amor aos gozos materiais coloca-se na dependência dos Espíritos impuros, estabelece-se entre eles um pacto tácito, que conduz à perdição, mas que sempre lhe será fácil romper com a assistência dos bons Espíritos, desde que queira com firmeza.

3 - UM HOMEM MAU, COM O AUXÍLIO DE UM MAU ESPÍRITO QUE LHE FOR DEVOTADO, PODE FAZER O MAL AO SEU PRÓXIMO?

RESP.: Não, Deus não o permitiria.

4 - QUE PENSAR DA CRENÇA DO PODER DE ENFEITIÇAR QUE CERTAS PESSOAS TERIAM?

RESP.: Algumas pessoas têm um poder magnético muito grande, do qual podem fazer mau uso, se o seu próprio Espírito for mau. Nesse caso poderão ser secundadas por maus Espíritos. Mas não acrediteis nesse pretenso poder mágico que só existe na imaginação das pessoas supersticiosas, ignorantes das verdadeiras leis da Natureza. Os fatos que citam são fatos naturais mal observados e sobretudo mal compreendidos.

5 - QUAL PODE SER O EFEITO DE FÓRMULAS E PRÁTICAS COM AS QUAIS CERTAS PESSOAS PRETENDEM DISPOR DA VONTADE DOS ESPÍRITOS?

RESP.: O de torná-las ridículas, se são de boa-fé; no caso contrário, são tratantes que merecem castigo. Todas as fórmulas são charlatanice; não há nenhuma palavra sacramental, nenhum signo cabalístico, nenhum talismã que tenha qualquer ação sobre os Espíritos, porque eles são atraídos pelo pensamento e não pelas coisas materiais.

6 - CERTOS ESPÍRITOS NÃO DITARAM, ALGUMAS VEZES, FÓRMULAS CABALÍSTICAS?

RESP.: Sim, tendes Espíritos que vos indicam signos, palavras bizarras, ou que vos prescrevem certos atos, com a ajuda dos quais fazeis aquilo que chamais conjuração. Mas ficai bem seguros de que são Espíritos que zombam de vocês e abusam da vossa credulidade.

7 -AQUELE QUE, COM OU SEM RAZÃO, CONFIA NAQUILO A QUE CHAMA VIRTUDE DE UM TALISMÃ, NÃO PODE, POR ESSA MESMA CONFIANÇA, ATRAIR UM ESPÍRITO? POR QUE ENTÃO É O PENSAMENTO QUE AGE: O TALISMÃ É UM SIGNO QUE AJUDA A DIRIGIR O PENSAMENTO?

RESP.: Isso é verdade; mas a natureza do Espírito atraído depende da pureza da intenção e da elevação dos sentimentos. Ora, é difícil que aquele que é tão simplório para crer na virtude de um talismã não tenha um objetivo mais material do que moral. Qualquer que seja o caso, isso indica estreiteza e fraqueza de idéias, que dão azo aos Espíritos imperfeitos e zombadores.

8 - QUE SENTIDO SE DEVE DAR AO QUALIFICATIVO DE FEITICEIRO?

RESP.: Esses a que chamais feiticeiros são pessoas, quando de boa-fé, que possuem certas faculdades como o poder magnético ou a dupla vista. Como fazem coisas que não compreendeis, as julgais dotadas de poder sobrenatural. Vossos sábios não passaram muitas vezes por feiticeiros aos olhos de ignorantes?

9 - CERTAS PESSOAS TÊM REALMENTE O DOM DE CURAR POR SIMPLES CONTATO?

RESP.: O poder magnético pode chegar até isso, quando é secundado pela pureza de sentimentos e um ardente desejo de fazer o bem, porque então os bons Espíritos auxiliam. Mas é necessário desconfiar da maneira por que as coisas são contadas, por pessoas muito crédulas ou muito entusiastas, sempre dispostas a ver o maravilhoso nas coisas mais simples e mais naturais. É necessário também desconfiar dos relatos interesseiros, por parte de pessoas que exploram a credulidade em proveito próprio.

10 - A BÊNÇÃO E A MALDIÇÃO PODEM ATRAIR O BEM E O MAL PARA AQUELES A QUE SÃO LANÇADAS?

RESP.: Deus não ouve uma maldição injusta, e aquele que a pronuncia é culpável aos seus olhos. Como temos as tendências opostas do bem e do mal, pode nesses casos haver uma influência momentânea, mesmo sobre a matéria; mas essa influência nunca se verifica sem a permissão de Deus, como acréscimo de prova para aquele que a sofre. De resto, mais frequentemente se maldizem os maus e bendizem os bons. A bênção e a maldição não podem jamais desviar a Providência da senda da justiça: esta não fere o amaldiçoado se ele não for mau, e sua proteção não cobre aquele que não a mereça.

11 - DEVE ACREDITAR-SE NA INFLUÊNCIA OCULTA DE CERTOS OBJETOS, COMO JÓIAS, ETC.. QUE PARECEM ACOMPANHADOS DE UMA ATUAÇÃO INFELIZ E FATAL?

RESP.: Os objetos, mormente os de uso pessoal, têm a sua história viva e, por vezes, podem constituir o ponto de atenção das entidades perturbadas, de seus antigos possuidores no mundo; razão por que parecem tocados, por vezes, de singulares influências ocultas, porém, nosso esforço deve ser o da libertação espiritual, sendo indispensável lutarmos contra os fetiches, para considerar tão somente os valores morais do homem na sua jornada para o Perfeito.

12 - OS FENÔMENOS PREMONITÓRIOS ATESTAM A POSSIBILIDADE DA PRESCIÊNCIA COM RELAÇÃO AO FUTURO?

RESP.: Os Espíritos de nossa esfera não podem devassar o futuro, considerando essa atividade uma característica dos atributos do Criador Supremo, que é Deus. Temos de considerar, todavia, que as existências humanas estão subordinadas a um mapa de provas gerais, onde a personalidade deve movimentar-se com o seu esforço para a iluminação do porvir, e, dentro desse roteiro, os mentores espirituais mais elevados podem organizar os fatos premonitórios, quando convenham à demonstração de que o homem não se resume a um conglomerado de elementos químicos, de conformidade com a definição do materialismo dissolvente.

13 - QUE DIZERMOS DA CARTOMANCIA EM FACE DO ESPIRITISMO?

RESP.: A cartomancia pode enquadrar-se nos fenômenos psíquicos, mas não no Espiritismo evangélico, onde o cristão deve cultivar os valores do seu mundo íntimo pela fé viva e pelo amor no coração, buscando servir a Jesus no santuário de sua alma, não tendo outra vontade que não aquela de se elevar ao seu amor pelo trabalho e iluminação de si mesmo, sem qualquer preocupação pelos acontecimentos nocivos que se foram, ou pelos fatos que hão de vir, na sugestão nem sempre sincera dos que devassam o mundo oculto.

14 - COMO INTERPRETAR OS IMPULSOS DAQUELES QUE ACREDITAM NA INFLUÊNCIA DOS CHAMADOS TALISMÃS DA FELICIDADE PESSOAL?

RESP.: Criaturas há que, para manter sua energia espiritual sempre ativa, precisam concentrar a atenção em algum objeto tangível, visando os estados sugestivos indispensáveis às suas realizações, como esses crentes que não prescindem de imagens e símbolos materiais para admitir a eficácia de suas preces.
Ficai certos, porém, de que o talismã para a felicidade pessoal, definitiva, se constitui de um bom coração sempre afeito à harmonia, à humildade e ao amor, no integral cumprimento dos desígnios de Deus.

15 - OS CHAMADOS "HOMENS DE SORTE" SÃO GUIADOS PELOS ESPÍRITOS AMIGOS?

RESP.: Aquilo que convencionastes apelidar "sorte" representa uma situação natural no mapa de serviços do Espírito reencarnado, sem que haja necessidade de admitirdes a intervenção do plano invisível na execução das experiências pessoais. A "sorte" é também uma prova de responsabilidade no mecanismo da vida, exigindo muita compreensão da criatura que recebe, no que se refere à misericórdia divina, a fim de não desbaratar o patrimônio de possibilidades sagradas que lhe foi conferido.