Parentesco, filiação, semelhanças

1 - OS PAIS TRANSMITEM AOS FILHOS UMA PORÇÃO DE SUA ALMA, OU NADA MAIS FAZEM DO QUE LHES DAR A VIDA ANIMAL, A QUE UMA NOVA ALMA VEM JUNTAR DEPOIS A VIDA MORAL?

RESP.: Somente a vida animal, porque a alma é indivisível. Um pai estúpido pode ter filhos inteligentes, e vice-versa.

2 - DESDE QUE TIVEMOS MUITAS EXISTÊNCIAS, O PARENTESCO REMONTA ÀS ANTERIORES?

RESP.: Não poderia ser de outra maneira. A sucessão das existências corpóreas estabelece entre os Espíritos liames que remontam às existências anteriores; disso decorrem frequentemente as causas de simpatia entre vós e alguns Espíritos que vos parecem estranhos.

3 - SEGUNDO CERTAS PESSOAS, A DOUTRINA DA REENCARNAÇÃO PARECE DESTRUIR OS LAÇOS DE FAMÍLIA, FAZENDO-OS REMONTAR ÀS EXISTÊNCIAS ANTERIORES?

RESP.: Ela os amplia, em vez de destruí-los. Baseando-o parentesco em afeições anteriores, os laços que unem os membros de uma mesma família são menos precários. A reencarnação amplia os deveres da fraternidade, pois no vosso vizinho ou no vosso criado pode encontrar-se um Espírito que foi do vosso sangue.

4 - ELA DIMINUI, ENTRETANTO, A IMPORTÂNCIA QUE ALGUNS ATRIBUEM À FILIAÇÃO, PORQUE SE PODE SER TIDO COMO PAI UM ESPÍRITO QUE PERTENCIA A UMA OUTRA RAÇA, OU QUE TIVESSE VIVIDO EM CONDIÇÃO BEM DIVERSA?

RESP.: É verdade; mas essa importância se baseia no orgulho. O que a maioria honra nos antepassados são os títulos, a classe, a fortuna. Há quem coraria de haver tido por avô um sapateiro honesto, e se vangloria de descender de um gentil-homem debochado. Mas digam ou façam o que quiserem, não impedirão que as coisas seja como são, porque Deus não regulou as leis da Natureza pela nossa vaidade.

5 - DESDE QUE NÃO FILIAÇÃO ENTRE OS ESPÍRITOS DOS DESCENDENTES DE UMA MESMA FAMÍLIA, O CULTO DOS ANTEPASSADOS SERIA UMA COISA RIDÍCULA?

RESP.: Seguramente que não; porque devemos sentir-nos felizes de pertencer a uma família na qual se encarnam Espíritos elevados. Embora Espíritos não procedam uns dos outros, não têm menos afeição pelos que estão ligados a eles por laços de família, porque os Espíritos são frequentemente atraídos a esta ou àquela família por causa de simpatias ou ligações anteriores. Mas acreditai que os Espíritos de vossos antepassados não se sentem absolutamente honrados com o culto que lhes tributais por orgulho. Seu mérito não recai sobre vós senão na medida em que vos esforçais por seguir os seus bons exemplos. Somente assim a vossa lembrança lhes pode ser, não apenas agradável, mas até mesmo útil.

6 - OS PAIS TRANSMITEM AOS FILHOS, QUASE SEMPRE, SEMELHANÇA FÍSICA. TRANSMITEM TAMBÉM SEMELHANÇA MORAL?

RESP.: Não, porque se trata de almas ou Espíritos diferentes, o corpo procede do corpo, mas o Espírito não procede do Espírito. Entre os descendentes das raças nada mais existe do que consaguinidade.

7 - DE ONDE VÊM AS SEMELHANÇAS MORAIS QUE EXISTEM ÀS VEZES ENTRE PAIS E OS FILHOS?

RESP.: São Espíritos simpáticos, atraídos pela afinidade de suas inclinações.

8 - O ESPÍRITO DOS PAIS NÃO EXERCE INFLUÊNCIA SOBRE O DO FILHO, APÓS O NASCIMENTO?

RESP.: Exerce, e muito, pois como já dissemos, os Espíritos devem concorrer para o progresso recíproco. Pois bem: o Espírito dos pais tem a missão de desenvolver o dos filhos pela educação; isso é para ele uma tarefa. Se nela falhar, será culpado.

9 - POR QUE PAIS BONS E VIRTUOSOS TÊM FILHOS PERVERSOS? OU SEJA: POR QUE AS BOAS QUALIDADES DOS PAIS NÃO ATRAEM SEMPRE, POR SIMPATIA, BONS ESPÍRITOS COMO FILHOS?

RESP.: Um mau Espírito pode pedir bons pais, na esperança de que os seus conselhos o dirijam por uma senda melhor, e muitas vezes Deus o atende.

10 - OS PAIS PODERÃO , PELOS SEUS PENSAMENTOS E AS SUAS PRECES, ATRAIR PARA O CORPO DO FILHO UM BOM ESPÍRITO, EM LUGAR DE UM ESPÍRITO INFERIOR?

RESP.: Não. Mas podem melhorar o Espírito da criança a que deram nascimento e que lhes foi confiada. Esse é o seu dever; filhos maus são uma prova para os pais.

11 - DE ONDE VEM A SEMELHANÇA DE CARÁTER QUE EXISTE FREQUENTEMENTE ENTRE OS IRMÃOS, SOBRETUDO ENTRE OS GÊMEOS?

RESP.: Espíritos simpáticos, que se aproximam pela similitude de seus sentimentos e que sentem felizes de estar juntos.

12 - NAS CRIANÇAS CUJOS NASCEM LIGADOS, E QUE TÊM CERTOS ÓRGÃOS COMUNS, HÁ DOIS ESPÍRITOS, OU SEJA, DUAS ALMAS?

RESP.: Sim, mas a sua semelhança faz que muitas vezes não vos pareçam mais do que uma.

13 - MAS SE OS ESPÍRITOS SE ENCARNAM NOS GÊMEOS POR SIMPATIA, DE ONDE LHES VEM A AVERSÃO QUE ÀS VEZES SE NOTA ENTRE ELES?

RESP.: Não é uma regra que os gêmeos tenham de ser Espíritos simpáticos; Espíritos maus podem querer lutar juntos no teatro da vida.

14 - QUE PENSAR DAS HISTÓRIAS DE CRIANÇAS QUE LUTAM NO VENTRE DA MÃE?

RESP.: Imagem! Para figurar que o seu ódio era muito antigo, fazendo remontar à fase anterior ao nascimento. Geralmente não percebeis bem as imagens poéticas.

15 - DE ONDE VEM O CARÁTER DISTINTIVO QUE SE OBSERVA EM CADA POVO?

RESP.: Os Espíritos também formam famílias pela similitude de suas tendências, mais ou menos purificadas, segundo a sua elevação. Pois bem: um povo é uma grande família em que se reunem Espíritos simpáticos. A tendência a se unirem, que têm os membros dessas famílias, é a origem da semelhança que determina o caráter distintivo de cada povo. Acreditas que Espíritos bons e humanos procurarão um povo duro e grosseiro? Não. Os Espíritos simpatizam com as coletividades, como simpatizam com os indivíduos. Procuram o seu meio.

16 - O HOMEM CONSERVA, EM SUAS NOVAS EXISTÊNCIAS, OS TRAÇOS DO CARÁTER MORAL DAS EXISTÊNCIAS ANTERIORES?

RESP.: Sim, isso pode acontecer. Mas ao melhorar-se, ele se modifica. Sua posição social também pode não ser a mesma. Se de senhor ele se torna escravo, suas inclinações serão muitos diferentese teríeis dificuldades em reconhecê-lo. O Espírito sendo o mesmo, nas diversas encarnações, suas manifestações podem ter, de uma para outra, certas semelhanças. Estas, entretanto, serão modificadas pelos costumes da nova posição, até que um aperfeiçoamento notável venha a mudar completamente o seu caráter, pois de orgulhoso e mau pode tornar-se humilde e humano, desde que se haja arrependido.

17 - NAS SUAS DIFERENTES ENCARNAÇÕES, O HOMEM CONSERVA OS TRAÇOS DO CARÁTER FÍSICO DAS EXISTÊNCIAS ANTERIORES?

RESP.: O corpo é destruído e o novo corpo não tem nenhuma relação com o antigo. Entretanto, o Espírito se reflete no corpo. Embora seja este apenas matéria, é modelado pelas qualidades do Espírito que lhe imprime um certo caráter, principalmente ao semblante, sendo pois com razão que se apontam os olhos como o espelho da alma, o que quer dizer que o rosto, mais particularmente, reflete a alma. Porque há pessoas excessivamente feias, que no entanto têm alguma coisa que agrada, quando encerram um Espírito bom, sensanto, humano; enquanto há belos semblantes que nada te despertam, ou até mesmo provocam a tua repulsa. Poderias supor que só os corpos perfeitos encarnam Espíritos mais perfeitos que eles, quando encontras, todos os dias, homens de bem sobn aparências disformes? Sem uma parecença pronunciada, a semelhança dos gostos e das tendências pode dar, aquilo que se chama um ar de conhecido.

18 - A morte arquiva os serviços inacabados das criaturas humanas?

RESP.:- No mundo, a morte parece uma estação de problemas insolúveis, arquivando serviços inacabados. Entretanto, isso é apenas aparência.

19 - As conseqüências dos crimes obscuros dos homens terminam com a morte?

RESP.:- Dramas passionais, crimes que não foram investigados pelos juízes humanos, tragédias Íntimas e assaltos na sombra, cujos protagonistas sabemos identificar por vítimas e carrascos, não desaparecem no silêncio do túmulo, porque a vida prossegue, além da morte, desdobrando causas e conseqüências.

20 - O princípio de causa e efeito funciona além da morte?

RESP.:- O princípio de causa e efeito tanto funciona na existência humana, quanto além dos implementos físicos perecíveis.

21 - Para onde nos conduz a Morte?

RESP.:- Porque nós outros, seres humanos, encarnados e desencarnados, somos ainda discípulos imperfeitos e inexperientes da vida, a morte não nos impele, em definitivo, às esferas superiores e nem nos rebaixa, indefinidamente, a círculos degradantes.

22 - Para as criaturas humanas o que significa a vida terrestre?

RESP.:- Considera-nos a Lei Divina por inteligências juvenis, sob o patrocínio da escola, concedendo-nos, na vida terrestre, o mais alto campo edificante e reeducativo.

23 - Qual a conexão entre a consangüinidade e o destino?

RESP.:- Nos elos da consangüinidade, reavemos o convívio de todos aqueles que se nos associaram ao destino, pelos vínculos do bem ou do mal, através das portas benditas da reencarnação.

24 - Que precisamos para vencer na luta doméstica?

RESP.:- Devemos revestir-nos de paciência, amor, compreensão, devotamento, bom ânimo e humildade, a fim de aprender e vencer, na luta doméstica. No mundo, o lar é a primeira escola da reabilitação e do reajuste.

25 - O que foram em vidas anteriores, os pais despóticos?

RESP.:- Quase sempre, os pais despóticos de hoje são aqueles filhos do passado, em cuja mente inoculamos o egoísmo e a intolerância.

26 - E o filho rebelde?

RESP.:- O filho rebelde e vicioso é o irmão que arrojamos, um dia, à intemperança e à delinqüência.

27 - E a filha desatinada?

RESP.:- A filha detida nos desregramentos do coração é a jovem que, noutro tempo, induzimos ao desequilíbrio e à crueldade.

28 - E o marido desleal?

RESP.:- O marido ingrato e desleal, em muitas circunstâncias, é o mesmo esposo do pretérito, que precipitamos na deserção, com os próprios exemplos menos felizes.

29 - E a esposa desorientada?

RESP.:- A companheira desorientada, que nos amarga o sentimento, e a mulher que menosprezamos, em outra época, obrigando-a a resvalar no poço da loucura.

30 - E os parentes abnegados?

RESP.:- Os parentes abnegados, em que nos escoramos, são os amigos de outras eras, com os quais já construímos os sólidos alicerces da amizade e do entendimento, propiciando-nos o reeconforto da segurança recíproca.

31 - Como influi o nosso passado no clima familiar e na atividade profissional?

RESP.:-Cada elo de simpatia ou cada sombra de desafeto, que surpreendemos na família ou na atividade profissional, são forças do passado a nos pedirem mais amplas afirmações de trabalho na vitória do bem.

32 - Em vista de tudo isso, que nos cabe fazer ante os parentes?

RESP.: -Diante dos parentes e dos companheiros de jornada, consagremo-nos à felicidade de todos e façamos o melhor ao nosso alcance, a benefício de cada um.

33 - O que devemos fazer se a presença de alguém nos é penosa?

RESP.:- Se a presença de alguém nos é penosa ou difícil ao coração, anulemos os impulsos negativos que nos surjam na alma e convertamos as nossas relações com esse alguém numa sementeira constante de paz e luz.

34 - Todo laço de parentesco possui razão de ser?

RESP.:- Ninguém possui sem razão esse ou aquele laço de parentesco, de vez que não existe nas obras da Criação.