CORAÇÃO

Palavras - formas da imagem
O coração quando ama
Que o cérebro deita aos molhos.
É céu que brilha de rastros,
Pranto - divina linguagem
Luz de Deus que desce à lama,
Do coração pelos olhos.
Ou lama que sobe aos astros.
.
Chiquito de Morais
Sabino Batista
..  
Rio morto, árvore peca,
No mundo, ninguém conhece
De tudo vi no sertão,
A força de redenção
No entanto, pior é a seca
De uma lágrima que desce
Que lavra no coração.
Dos olhos ao coração.
.
Virgilio Brandão
Carlos Câmara
..  
Coração, padece a chama
Coração, canta de leve,
Do martírio em que te elevas!
Não fales palavra triste...
Se muito sofre quem ama,
Perto de mãe carinhosa,
Quem não ama vive em trevas.
Filho morto não existe.
.
Bernardo de Passos
Rubens de Sá
..  
Dois corações que se amam
Quem diz que o céu não diz nada,
Têm desses elos fatais:
Que a Terra o contempla à-toa,
Se presença prende muito,
Olhe a lua retratada
Separação prende mais.
No coração da lagoa.
.
Plínio P.Ribeiro
Ismael Martins
..  
Assembléias, multidões!...
Coração sempre querido
Não te iludas a caminho...
Que busquei por toda a parte,
Na alcova do coração,
Perdi-te por te prender,
Cada um vive sozinho.
Achei-te por muito amar-te.
.
Jonatas Batista
Lívio Barreto
..  
Horrível transe sacode
Coração, serve e perdoa,
As forças do coração,
Esquece ofensas e mágoas...
Quando a vida diz que pode
A fonte, de pedra em pedra,
E a morte afirma que não.
Retira o lodo das águas.
.
Francisco Otaviano
Artur Ragazzi
.  
Entre as mágoas do caminho,
Todo tesouro acessível
Não te esqueças, coração:
Ao golpe subtil da traça
A rosa é bênção no espinho,
Atormenta e despedaça
A fonte serve no chão.
As fibras do coração.
.
Milton da Cruz
Casimiro Cunha
.  
Se cantas com o coração
formosa prece resumes,
pois as notas da canção
no Céu se fazem perfumes !
Meimei
.  
   

 

 

TERRA - CORAÇÃO
Contempla o campo agreste, enquanto o arado oprime
A terra maternal que exibe o seio em chaga...
Tudo é maldade ultriz na lâmina que esmaga,
Tudo é bênção de amor na vítima sublime.
Mas no solo que geme, inerme, sob a adaga
Do arado que aparenta iniquidade e crime,
Surge a messe feliz que, em júbilo, se exprime,
Multiplicando o pão que nos sustenta e afaga.
Como a terra, é também o coração humano
Que sofre golpes mil de angústia e desengano
Algemado ao paul da sombra que de adensa...
Mas, depois da aflição de obscuro destino
Em si mesmo produz o excelso dom divino
De brilhar e servir na Eterna Recompensa.
Amal Ornellas