FILHO

 

FILHO QUE NÃO NASCEU
Fui trazido ao teu colo e sussurro, baixinho:
-"Mãe, eu serei na carne o sonho de teu sonho!..."
Depois, em prece ardente, em ti meus olhos ponho,
Pássaro fatigado ante a úsnea do ninho.
Abraço-te. És comigo a esperança e o caminho...
Em seguida - oh! irrisão -, eis que, num caos medonho,
Expulsas-me a veneno, e, bruto, me empeçonho,
Serpe oculta a ferir-te em silêncio escarninho.
Já me dispunha a dar o golpe extremo, quando
Surge alguém que me obriga a deixar-te dançando
Em formoso salão onde o prazer fulgura.
Passa o tempo. Hoje volto...É o amor que em mim arde
Mas encontro-te, oh! mãe, a gemer, triste e tarde,
Sombra que foi mulher, enjaulada à loucura.
José Guedes

 

MEU FILHO
..
Filho meu de outro tempo, armei-te de ouro e lança
Exortei-te a sonhar; "ama, constrói, ensina!..."
E transformaste o mando em presença assassina
Vejo-te a trilha em fogo onde a memória alcança.
..
Quis ver-te reencarnado... O amor jamais descansa.
E achei-te - águia enjaulada em gaiola mofina -
Cego e mudo a esmolar e a gemer em surdina.
Trazes luto no peito e chagas na lembrança!...
..
Chorei ao reencontrar-te em provações supremas...
Louvo, entanto, meu filho, as ríspidas algemas
Da dor a nos zurzir, ao redor de teus passos !...
..
O pranto lavará nossas culpas longevas,
E, um dia, subirás da humilhação nas trevas
Para a glória da luz na concha dos meus braços.
..
Epiphanio Leite