AVE-MARIA !

Na tarde calma do dia longo, depois do trabalho afanoso em que pormenorizamos o dever, a labuta comum de todo instante e sentimos o palpitar de nossos corações junto à humanidade, quando despimos a máscara da convenção social e nos perfilamos face a face diante de nós mesmos, nossos corações, recolhidos ao santuário secreto de nossas almas, procuram o som argentino de um hino de amor, o cântico suave de uma oração, o perfume discreto de uma flor, a doce saudade de um paraíso perdido e genuflexos pronciamos: Ave-Maria !

Ave-Maria, Rainha dos anjos, Mãe dos homens, Senhora nossa, cheia de luz, bendita és, porquanto, ainda hoje, como Mãe terna e bendita, carinhosa e dedicada, do teu trono de estrelas, despedes, para a Terra do martírio de teu filho, a mais santa bênção, a mais terna e doce compaixão.Sentimos, no imo de nossos espíritos, a paz do Senhor que desce sobre o mundo e verificamos que só o teu amor tem sustentado milhões de seres humanos para que não se precipitem no mal.

O teu regaço acolhedor, refúgio das mães sofredoras, dos pobres desamparados, das crianças desvalidas, continua a ser através os séculos, o santuário bendito de todas as consolações. E juntos de ti dissipam-se as tristezas e amarguras. No céu límpido de noites estreladas vemos o reflexo imenso de tua irradiação sem par, a cair sobre a Terra como bálsamo para as chagas, como lenitivo para os sofredores. Benditas sejas, Nossa Senhora, bendita, hoje e sempre !

Se um dia, a Mãe Divina entregou ao homem o Filho bem amado para que as criaturas terrestres aprendessem, na dor, o caminho da luz e da imortalidade, doou-nos também, como acréscimos de misericórdia, a tua inconfundível proteção, para que a Terra inteira fosse eternamente banhada de esperança !

Assim, até hoje os homens choram e riem, padecem mas se consolam, caem mas levantam-se, desanimam-se mas, ao sopro divino do teu coração, novo alento lhes fortalece o ânimo. Real Senhora ! Bendito sejas !

Guarda-nos, Mãe carinhosa, no teu afeto, no teu amor, até podermos contemplar as claridades do reino divino de Teu Celeste Filho, sem as peias de nossos erros.

Ave-Maria !

BEZERRA DE MENEZES