DE UM DOENTE

Pai, em todas as coisas que vos pedimos, faça-se a vossa vontade e não a nossa, por saberdes, melhor do que nós, o que nos convém para nosso adiantamento moral e felicidade futura.

Senhor ! Vós sois a infinita justiça e eu sei que não há efeito sem causa; a doença que ora suporto é, decerto, consequência de infração às vossas leis ou espiação de minhas faltas passadas.

Eu me submeto, pois, Senhor, aos vossos divinos decretos, pois tudo o que permitis não pode ter outro fim que não seja o bem das vossas criaturas.

Bendito seja o vosso nome por assim me concederdes meios de reparar meus erros e de melhor conhecer os meus deveres, respeitando vossas sábias leis.

Permiti que eu saiba tirar proveito dos meus sofrimentos e que os vossos bons Espíritos me assistam e reanimem.