EM PRECE

 

Senhora, nossa Mãe, face ao Evangelho do Senhor, nosso Mestre, teu filho bem amado, rogamos-te neste instante complascência para nossos espíritos endividados perantes os séculos. Sentimos o perpassar do tempo em sua carreira desenfreada, dobrando as esquinas das civilizações, tudo arrebatando, tudo levando e modificando.

Vimos o homem de ontem e o de hoje. Sentimos a fragilidade da matéria várias vezes e nas lutas que nos consumiram as existências terrestres, usufruimos sempre a incomparável bêncão do teu amor que junto ao teu grandioso Filho nos amparou, reconduzindo-nos ao carreiro da dor, para renovação e transformação. Beneficiados hoje pela Luz do Evangelho que nos aponta os rumos gloriosos do infinito amor do Pai, levados à meditação para conhecimento de nossos próprios erros e justa correção, aquinhoados pela tua bondade que até mesmo no Gólgota soube nos dar o perdão misericordioso, abraçando a humanidade pecadora por filha bem amada, viemos hoje, Senhora, na nova etapa de tempo que nos é proporcionada, suplicar-te o dom de sermos garimpeiros da luz, fazendo surgir do fundo dos as pérolas benditas do conhecimento pela evangelização sistemática de moços e crianças, pela exemplificação nos nossos lares, pela colaboração em toda parte.

Que possamos acender luzes de amor nos leitos dos sofredores, bênçãos de ternura nos berços órfãos, ósculos carinhosos possamos deixar nas frontes enrugadas pelas desilusões. Compenetrados de nossa responsabilidade, face ao conhecimento que nos visita, concede-nos empreender, enfim, a nossa jornada de renovação em busca da Verdade, burilando nossos espíritos com a chama sagrada de resignação e da coragem, ante os obstáculos maiores.

Que nosso conúbio com o bem, seja o traço marcante do novo período de nossa existência e que nossos lábios possam traduzir hoje e sempre hinos de gratidão ao Todo Sábio. Virgem Mãe, rogamos-te pela paz do mundo, pelos espíritos pertubados das sombras, mas pedimos-te, principalmente, pelos obreiros aos quais teu Filho confiou a luz do Evangelho redivivo na face da Terra.

Mãe querida, que as tuas claridades vençam a treva, a noite densa dos corações foragidos no mal e que teu Filho excelso seja glorificado hoje e sempre

Bezerra de Menezes