A BÍBLIA E SEUS ABSURDOS

OPINIÃO DO FILÓSOFO LEON DENIS SOBRE O DEUS DA BÍBLIA

Deus é apresentado na Bíblia sob aspectos múltiplos e contraditórios.
Dizem-no o melhor dos pais e fazem-no desapiedado para com os filhos culpados.
Atribuem-lhe a onipotência, a infinita bondade, a soberana justiça,
e rebaixam-no até ao nível das paixões humanas,
mostrando-o terrível, parcial, implacável.
Fazem-no criador de tudo o que existe, dão-lhe a presciência, e,
depois, apresentam-no como arrependido da sua obra.
... Não se pode considerar a Bíblia como A PALAVRA DE DEUS nem uma revelação sobrenatural.

LEMBRETE:O CANAL PAGO "DISCOVERY CHANNEL", NO MÊS DE ABRIL/2005; FÊZ UMA APRESENTAÇÃO DA "SEMANA EGÍPCIA", AONDE MOSTROU PELOS AVANÇOS CIENTÍFICOS ATUAIS QUE MUITAS COISAS QUE NÃO BATEM COM A "BÍBLIA", COMO POR EXEMPLO O FILHO
DE RAMSÉS, DIZ A BÍBLIA QUE FOI MORTO POR DEUS, (POR SER O PRIMOGÊNITO); MAS NA REALIDADE, FOI UMA PANCADA MUITO
FORTE NA CABEÇA NA PARTE DETRÁS, ENTÃO: "NÃO FOI MORTO POR DEUS", MAS, MORTO EM "NOME DE DEUS" - Edivaldo

A crítica histórica fixou que a Bíblia não é essencialmente diferente dos textos sagrados encontráveis em todas as outras religiões.
Félicen Challaye

PREFÁCIO

Este trabalho versa sobre os livros atribuídos a Moisés e o que se pensa ter sido escrito por Josué. É o que os autores denominam de Hexateuco, reconhecendo-se, pois, o Pentateuco e esse livro uma unidade (vide: Pentateuco - Hexateuco, de S. Movinckel, Berlin, 1964).

Ao longo cia análise que fiz, de versículo a versículo, houve momentos em que pensei em desistir, diante dos quadros terríveis que se sucediam ante os meus olhos. Vi, estarrecido, entre outros absurdos, três mil israelitas serem massacrados porque preferiram um "bezerro de ouro", àquele "Deus" autoritário e impiedoso. Os gritos de clemência dos apóstatas ecoaram, lugubremente, pelas planícies, ao pé do Monte Sinai. "Deus", implacável, iracundo, exigia vingança! O sangue jorrou sobre a Terra, como se não fosse estancar jamais.

E tantas outras carnificinas "presenciei", horrorizado. Que "Deus" é esse? Por que tanta ânsia sanguinária? Era sempre insatisfeito; queria sangue, e mais sangue, que jorrava, abundante, dos pescoços de crianças, de idosos degolados e de animais! Nada demovia "Deus" de seus instintos assassinos.

Era implacável a sua ira, tanto quanto para com os seus "filhos", quando o traíam, como para as populações vencidas nas guerras que promovia. A sua ordem era, sempre, PASSAR A FIO DE ESPADA TUDO QUE VIVESSE na cidade conquistada. Até os animais não escapavam. Afinal de contas, eles também têm sangue!...

Entrego, com tristeza, esta obra ao público. É a primeira vez que, ao concluir um trabalho, me sinto deprimido, acabrunhado. Perdoe-me, caro leitor, por fazê-lo compartilhar do meu mais profundo desgosto em assistir, absolutamente impotente, ao que os homens fizeram de Deus, transformando-O à sua imagem e semelhança.

Esse "Deus" algoz deveria ter ficado no passado histórico dos hebreus. Ali, de qualquer sorte, ele age com desenvoltura, entre um povo extraordinariamente belicoso, pleno de ambições, que não vacila em fazer prevalecer os seus avassaladores objetivos.

Não se pense que sou uma blasfemo, que nutro ojeriza ao conteúdo do Velho Testamento; em absoluto! É que não posso aceitar um "Deus" que promove, como "Senhor dos Exércitos", crimes hediondos, levando o "povo eleito" à prática de terríveis atitudes perante o seu próximo. Nos estandartes das tropas israelitas deveria ter inscrita, em letras indeléveis, vistosas, rubras: OLHO POR OLHO, DENTE POR DENTE!

Esses estandartes, quando apareciam ao longe, os desafetos de Israel tremiam nas bases. Sabiam que, se perdessem a batalha (e normalmente perdiam), seriam humilhados, teriam suas mulheres estupradas e violentadas, crianças e idosos trucidados.

A cidade conquistada seria, por ordem de "Deus", transformada em cinzas... Mas, caro leitor, fiquemos, por enquanto, por aqui. Caso pretenda, após este sombrio preâmbulo, penetrar as páginas desta obra, recomendo que as perlustre aos poucos, evitando o exacerbamento das emoções e da angústia.

Tristemente,

Carlos Bernardo Loureiro

..Capítulo I - O primeiro livro de Moisés ..Capítulo II - O segundo livro de Moisés
..Capítulo III - O terceiro livro de Moisés ..Capítulo IV - O quarto livro de Moisés
..Capítulo V - Deuteronômio ..Capítulo VI - O livro de Josué
..Capítulo VII - Dados sobre a vida e obra de Moisés
A autoridade da Bíblia - Léon Denis
..1 - Origens do Antigo Testamento 22 - Sobre a origem dos Evangelhos
..3 - Sobre a autenticidade dos Evangelhos ..4 - Sobre o sentido oculto dos Evangelhos
..5 - Sobre a Reencarnação ..6 - Sobre as relações dos primeiros cristãos com os Espíritos
..7 - Os fenômenos espíritas na Bíblia ..8- O sentido às expressões: deuses e demônios
..9 - Sobre o perispírito ou corpo sutil ..10 - Galileu e a Congregação do Índex
..11 - Pio X e o Modernismo ..12 - Sobre a Telepatia