DRAMA MILENAR DO CRISTO
E DO ANTI-CRISTO

AVISO E CONVITE

Nem todos os homens sabem o que vai por detrás dos invisíveis bastidores que se alargam para além do cenário visível deste mundo e da humanidade. Muitos enxergam apenas os atores materiais do drama milenar entre o Cristo e o Anti-Cristo, que inspiram os humanos atores.

No cenário da humanidade histórica o Cristo é representado pelo Eu espiritual, ou Alma do homem, que o grande Mestre chama o Pai em nós, a Luz do mundo, o Cristo interno, o Reino de Deus, o Tesouro oculto, a Pérola preciosa, a Água viva. O Anti-Cristo, por seu turno, aparece, na história do homem e do gênero humano, na forma do Ego material-mental-emocional, que assume milhares de formas e feitios.

Essas duas Potências máximas do Universo, o Eu crístico e o Ego anti crístico, agem em duas dimensões diametralmente opostas. O Anti-Cristo só conhece "os reinos do mundo e sua glória" e promete dá-los em n compensa aos seus adoradores e servidores, porque são dele, creação do príncipe deste mundo, que é o Poder das Trevas, na linguagem do Cristo.

O Cristo, porém, afirma que "o meu Reino não é deste mundo", não é do caráter deste mundo, que "jaz no maligno", que é "dominado pelo Príncipe deste mundo."

Sendo que este mundo é governado pelo Anti-Cristo, como ele mesmo afirma e como o Cristo confirma, não é de estranhar que o "Príncipe deste mundo" não tolere nos seus domínios um intruso como o Cristo, cujo Reino não é deste mundo, embora esteja no mundo; é natural que o Anti-Cristo considere o Cristo como um indesejável, um contrabandista, um subversivo, e o hostilize, ora aberta, ora ocultamente, de acordo com a estratégia que lhe pareça ser mais eficiente na época.

Nos primeiros tempos, prevalecia a hostilidade aberta e violenta; mais tarde, a traição hipócrita revezou com a luta declarada; hoje em dia, predomina uma terceira estratégia do Anti-Cristo contra o Cristo: a tentativa solerte de degradar o Cristo ao nível dos cristãos ou pseudo-cristãos. A tendência moderníssima é fazer o Cristo à imagem e semelhança dos cristãos, já que estes não têm a coragem de subir às alturas daquele. Fazer descer o Cristo ao nosso nível condiz muito mais com o comodismo e o menor esforço dos que não querem sublimar-se ao nível dele. Em livros, filmes e teatros, do alto das cátedras universitárias e dos púlpitos das igrejas se proclama um pseudo-Cristo profano, horripilante caricatura do Cristo do Evangelho e da realidade.

E o que há de mais repugnante é que são precisamente sacerdotes e pastores de igrejas cristãs, que, de preferência, promovem essa deturpação do Cristo.

Violência, traição, deturpação — são estas as armas prediletas com que o Anti-Cristo luta contra a intrusão do Cristo em seus domínios terrestres.

Aparentemente, o Cristo é sempre derrotado pelo Anti-Cristo, sempre crucificado, morto e sepultado, desce até aos infernos — na realidade, porém, o Cristo sempre ressuscita, mesmo de túmulos fechados, sigilados e guardados por seus inimigos. É proibido ressuscitar — mas ele sempre ressuscita... Os seus verdadeiros amigos o encontram sempre glorioso, por toda a parte, em todos os tempos.

O drama milenar do Cristo e do Anti-Cristo continua, e todo o homem acompanha ou este ou aquele grupo, por seu modo de pensar, de falar e de viver — e mais ainda, pelo seu modo de ser.

Nas seguintes páginas passaremos a descrever alguns episódios dessa luta milenar entre as duas Potências máximas do Universo. Sabedo Cristo sobre o quartel-general do Anti-Cristo, levantarão protesto contra este livro, porque não querem, de forma alguma, que seja desmascarada a sua estratégia.

Às almas sinceras, porém, mostraremos o caminho que as levará, em linha reta, rumo ao Cristo do Evangelho, ao Rei Imortal dos séculos.

Huberto Rohden

ADVERTÊNCIA:

A substituição da tradicional palavra latina CREAR pelo neologismo moderno CRIAR é aceitável em nível de cultura primária, porque favorece a alfabetização e dispensa esforço mental - mas não é aceitável em nível de cultura superior, porque deturpa o pensamento.

CREAR: é a manifestação da Essência em forma de existência.

CRIAR: é a transição de uma existência para outra existência.

O Poder Infinito é o CREADOR do universo; um fazendeiro é CRIADOR de gado.

Há entre os homens gênios CREADORES, embora não sejam talvez CRIADORES.

A conhecida lei de Lavoisier diz que "na natureza nada se CREA e nada se aquila, tudo se transforma", esta lei está certa se grafarmos "nada se crea", mas se escrevermos "nada se cria", ela resulta totalmente falsa.

Por isto, preferimos a verdade e clareza do pensamento a quaisquer convenções acadêmicas.

..TOMANDO PERSPECTIVA CERTA
..UM BRADO DE ALERTA
..A ESTRATÉGIA DOS ANTI-CRISTOS ..O CONTÁGIO DO CRISTIANISMO...
..O CONTÁGIO PAGÃO ..O CONTÁGIO JUDAICO
..O CONTÁGIO POLÍTICO-RELIGIOSO ..O EQUÍVOCO DO PECADO ORIGINAL
..A SUPOSTA ALMA DO CRISTIANISMO ..A QUINTESSÊNCIA DO CRISTIANISMO..
..O DEUS MONISTA DE JESUS ..A GRANDIOSA SAPIÊNCIA CÓSMICA...
..A SUBLIMAÇÃO DE JESUS... ..JESUS E OS ESSÊNIOS
.."UM SÓ É O VOSSO GUIA - O CRISTO" ..DA ILUSÓRIA TRANSUBSTANCIAÇÃO...
..O ANTI-CRISTO DA TEOLOGIA TRAINDO... ..JESUS PANI-PRESENTE ou ......
..O CRISTIANISMO TEMPORÁRIO E... ..A TRAGÉDIA DE DUAS PALAVRINHAS
..O CONTRABANDO DA IMACULADA CONCEIÇÃO ..RESPEITO OU DESRESPEITO À VIDA HUMANA
..COMO REALIZAR A MENSAGEM DO CRISTO ..O MISTÉRIO DO AMOR INTEGRAL
..DO DRAMA MILENAR DO CRISTO À ... ..PARA REALIZAR A NOVA CREATURA EM CRISTO
..A TEOLOGIA À LUZ DA ECONOMIA E... ..A DECADÊNCIA DO CRISTIANISMO E...
..A VISÃO DE D. BOSCO: O BRASIL.... ..POSTSCRIPTUM