BEM-AVENTURADOS SOIS

"Bem-aventurados os que choram porque serão consolados, bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fortes, bem-aventurados os que padecem perseguição por amor da justiça, porque deles é o reino dos céus" (Mateus, 5: 5-6 e 10).

"Bem-aventurados os pobres, porque vosso é o reino de Deus. Bem-aventurados os que agora tendes fome, porque sereis fartos, bem-aventurados vós, que agora chorais, porque rireis" (Lucas, 6: 20-21).

Somos espíritos eternos, criados por Deus, nosso Pai, destinados à felicidade e à perfeição, somos regidos pela lei do amor.

E uma extensão da lei do amor é a lei de ação e reação, causa e efeito. Quando fomos criados por Deus, fomos projetados a reinos inferiores da natureza, com a finalidade de evoluirmos, e assim passarmos pelos reinos mineral, vegetal e animal e agora pelo reino hominal.

Neste caminho evolutivo para fins de aprendizagem e para aprendermos o uso devido do livre-arbítrio, vivemos em discordância com as leis divinas, e construímos carmas, ou seja, conseqüências dos nossos atos, ou melhor, reação das nossas ações, e assim sofremos.

Já estamos conscientes de que Deus é Pai, e não castiga os Seus filhos.

Nós somos arquitetos do nosso próprio destino.

Se vivermos em harmonia com as leis divinas estaremos isentos de sofrimentos e dores. Se, por outro lado, vivermos em discordância com as leis divinas, sofreremos. Fácil é perceber que todos os nossos sofrimentos são resultantes das nossas transgressões às leis divinas e naturais.

As nossas aflições, os nossos sofrimentos têm, portanto, uma causa justa, pois Deus é justiça, se sofremos é porque merecemos. E se não encontramos a causa das nossas dores nesta vida, podemos situá-las nas vidas passadas, visto que só agora estamos nos esforçando para viver em conformidade com a lei do amor.

Quando sofremos, esquecemos da realidade do nosso ser e achamos que os nossos problemas, as nossas dores são infindáveis e insolúveis, esquecendo que somos espíritos eternos, trilhando o caminho da evolução espiritual.

À medida que vamos nos conscientizando do que somos na realidade, vamos eliminando do nosso ser, naturalmente, todo mal negatividade e imperfeição e vamos conquistando o direito da felicidade eterna. Esta é a razão pela qual Jesus nos diz: "Bem-aventurados os esfomeados, os injustiçados, os infelizes, os que choram porque eles serão consolados e atingirão a felicidade eterna".

É que Jesus sabe que os nossos defeitos, as nossas imperfeições, são temporárias. Não fomos criados destinados à dor e ao sofrimento. A dor é um sistema de alerta, dizendo para nós que estamos vivendo em discordância com a lei do amor, mas a partir do momento em que vivermos em harmonia com a lei, estaremos isentos e seremos felizes, porque para isto fomos criados e para isto existimos.

Bem-aventurados os que sofrem, porque por meio do sofrimento, aprendemos a lei do amor.

Pela dor aprendemos a divina lição das leis que regem os nossos destinos em todos os mundos e em todos os universos.

Jesus nos ensina claramente que as nossas dores e sofrimentos são temporários. Sofremos com justiça, porque nós mesmos fabricamos os nossos dissabores, porém eles desaparecerão à medida que nos conscientizarmos e vivermos em harmonia com as leis divinas e as lei naturais.

Eunilto de Carvalho