Diretrizes

Cresce a planta atraída pelo Sol. Avança o rio buscando o mar.

Renova-se a árvore desdobrando ramos e enrijando fibras.

Engrandece-se o amor distribuindo bênçãos. Sofre o homem sublimando aspirações.

A manifestação da Misericórdia Divina chega á Terra em diretrizes imutáveis, que são leis inamovíveis fomentando o progresso.

No limiar da vida, o princípio espiritual são fascículos de luz.

No mineral a vida repousa e dorme. No vegetal a vida sonha e sente.

No animal a vida se desenvolve e adquire instintos que a resguardam.

No homem, a vida se levanta e compreende. No anjo, a vida se liberta e engrandece.

A constante diretriz é crescer, superar, aperfeiçoar.

Modela-se o vaso saindo da lama desprezada, graças às ágeis mãos do oleiro; a utilidade doméstica toma forma sob a lâmina vigorosa do instrumento que fere a madeira, aprimorando-a para se tomar comodidade e conforto; incandesce-se o minério e se faz moldável ao império do calor que o aquece; aprimora-se o homem através dos atos que lhe traçam os dias na Terra, plasmando nele os valores da ascensão ou da queda, aos quais se afeiçoe.

Em tudo palpita a ordem, em todo lugar vibra o equilíbrio, se manifesta o vigor da Lei.

O chicote que vergasta nem sempre está punindo; não poucas vezes trabalha pela retificação do infrator.

A reprimenda não tem caráter de humilhação; antes, é advertência para evitar novo erro.

A bitola que limita também ministra a bênção da direção, tanto quanto o trilho que obriga a máquina a deslizar nele, e imprime-lhe diretriz segura para atingir o objetivo ao qual se destina.

É necessário, pois, que em nossos atos esteja presente sempre a ordem, essa filha da obediência e irmã da disciplina, formando uma harmônica tríade para o nosso sucesso na materialização dos objetivos elevados que perseguimos.

Examinemos com a necessária atenção o ensinamento do Mestre que, desejando administrar-nos preciosa lição, sintetizou sublimes discursos na singeleza deste postulado: "Conhece-se a árvore pelo fruto", deixando que se compreendesse que os seus seguidores se fariam identificar pelos atos.

Para que te possas tornar conhecido como discípulo do Senhor, é necessário agires no bem, infatigavelmente. Para tal, é imprescindível que imprimas em todos os compromissos a austera diretriz do Evangelho vivo e vibrante, como normativa segura para a própria felicidade.

Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros. João: 13-35.

Que, pois, o Espiritismo vos esclareça e recoloque, para vós, sob verdadeiros prismas, a verdade e o erro, tão singularmente deformados pela vossa cegueira! Agireis então como bravos soldados que, longe de fugirem ao perigo, preferem as lutas dos combates arriscados, à paz que lhes não pode dar glória, nem promoção! Cap. V - Item 24, § 5.

Joanna de Ângelis