Ensino permanente

Ensina e serve bem, aplicando os recursos do conhecimento e da emoção com equilíbrio, fazendo-te sentir por aqueles que te observam e buscam. Nem a palavra burilada e profunda enunciada sem sentimento, tampouco o verbo lamurioso e comovido no qual falte a sabedoria.

O ensino que se faz conhecido pela forma e conteúdo cuidadoso, a par de uma participação de quem o transmite, é melhor recebido e mais convence.

Não te importe que seja uma multidão a ouvir-te ou uma única pessoa atenta ao teu lado. Valhe-te da consideração pela pessoa, despreocupado com a quantidade daqueles que devem receber a mensagem.

A obra do amor não é apressada, embora a urgência de que se reveste. Sê coloquial quando conversando, evitando o discurso inoportuno que deve ser utilizado diante da multidão.

O respeito de que te revistas e o qual tenhas para com aqueles que te escutem, torna-se de relevante importância, porquanto ele dará a medida moral da tua pessoa. Nem por isso, assumas postura artificial, estudada, que facilmente se percebe, minimizando a tua e a autenticidade do que apresentas.

Ensina com amor e serve com paciência. Jesus manteve convivência íntima somente com doze discípulos, conquanto falasse sempre à multidão. No testemunho, entretanto, esteve a sós.

Convocando Paulo, enviou-o como mensagem viva e o apóstolo dos gentios saiu pelo mundo eurasiano apresentando-O com afinco. Jerusalém, porém, recusou Jesus e Atenas ridicularizou Paulo...

Não obstante, ao largo do tempo, o amor e as lições de que se fizeram portadores arrebataram as multidões, tornando-se conhecidos em quase todo o mundo.

Porque ainda não são vividos os ensinos que nos legaram, estás convocado a atualizá-los e oferecê-los às criaturas. Não te descoroçoem a indiferença de uns ou a zombaria de outros.

Eles não podem valorizar o que desconhecem e por isso continuam desatentos enquanto que o teu conhecimento dá-lhes responsabilidade e compreensão da vida.

Convencido do valor das idéias superiores que te iluminam a consciência, não te afastes do dever para o qual fosse chamado.

Consolando alguém, orientando outrem, amando a todos, expondo a indivíduos em grupos ou a multidões, segue adiante.

A semente, no solo, aguarda pelo momento da germinação. O Combustível preservado espera o instante de transformar-se em energia e força.

A água da fonte permanece até ser retirada. O diamante dorme no carvão bruto, enquanto não chega a lapidação.

Assim também a tua realização desabrochará mais tarde em bênçãos pelo caminho que hoje percorres com sacrifícios e sofrimentos.

Talvez não vejas, da Terra, o resultado desse esforço, mas isso não é importante. O indispensável é ensinar e servir hoje para ser feliz agora e amanhã.

Joanna de Ângelis