ORAI E VIGIAI

"Orai e vigiai para não cairdes em tentações", recomenda o Mestre Jesus.

É bom verificar que as tentações não estão nas esquinas das ruas ou em determinadas pessoas, mas, sim, dentro de cada um de nós, pois assim disse o Mestre:

"Orai e vigiai", demonstrando que as tentações são resultado da nossa falta de oração e vigilância.

Verifiquemos a prece. Orar é entrar em sintonia vibratória perfeita com o plano superior da vida e de lá, através de um ato reflexo, recebermos as energias de que necessitamos para as soluções dos nossos problemas.

Quantas vezes formulamos as nossas preces, formulamos pedidos e não somos devidamente atendidos?

Cumpre observar que Deus, a Divina Providência, não atende pedidos egoísticos e pessoais. Para termos as nossas preces integralmente atendidas, é necessário lembrar que somos todos irmãos, que a humanidade é uma família e que Deus é nosso Pai. Quando estivermos diante de algum problema pessoal ou familiar, verifiquemos que existem milhares de famílias com os mesmos problemas, e se formularmos as nossas petições de maneira humanitária, receberemos nossa parte.

Jesus nos ensina que tudo que pedirmos por meio da prece, se tivermos fé, haveremos de receber.

Ora, fé é a vontade de querer, mas a vontade de querer o melhor para nós e para os outros. Fazemos a prece dominical, ou seja, o Pai-Nosso, às vezes de uma maneira mecânica sem nenhum resultado edificante, mas, se pararmos para analisar, verificamos que em primeiro lugar dizemos: "Pai Nosso", e assim reconhecemos a Deus como Pai de todas as criaturas da Terra e de outros mundos, reconhecemos também a todos nós como irmãos.

Em seguida, dizemos: "Seja feita a Tua vontade". Só Deus realmente tem condições de analisar os nossos pedidos e suas respectivas conseqüências.

E, continuando, rogamos: "Perdoa as nossas ofensas assim como nós perdoamos aqueles que nos têm ofendido".

É lógico que estamos impondo a nós mesmos a lei de ação e reação. Estamos pedindo ao Todo-poderoso que perdoe as nossas faltas se perdoarmos aos que nos ofendem, ou seja, pedimos para que se cumpra em nós a lei universal de Causa e Efeito.

É chegada a hora de percebermos que Deus, Nosso Pai, não está interessado em "salvar" apenas uma parte da humanidade e sim todas as criaturas.

Oremos e vigiemos, ou seja, façamos da prece a bússola que nos orientará em todos os atos da nossa vida.

Vigiemos para verificar se estamos aplicando na nossa vida os ensinamentos evangélicos do Cristo Redentor.

A prece nos livra de todos os males. Quando oramos aumentamos o nosso padrão vibratório, elevamos a nossa mente às alturas espirituais e nos colocamos fora do alcance das perseguições e de tentações menos dignas que ainda abrigamos em nosso ser.

Por meio da vigilância, que consiste numa auto-análise, estudamos os nossos pensamentos, as nossas emoções, os nosso atos e procuramos pautar a nossa vida segundo as leis do amor.

Nunca nos coloquemos na posição negativa de achar que devido à nossa imperfeição e que devido aos nossos erros, o Pai não escutará as nossas preces, nunca.

Conscientizemo-nos de que Deus conhece o móvel dos nossos erros e dos nossos desacertos, e que Ele nos ama com amor infinito e eterno independente da condição em que estejamos no momento.

E formulemos as nossas preces de maneira huumanitária e fraternal e assim alcançaremos o nosso objetivo. que é a conscientização espiritual para nosso benefício e de toda a humanidade.

Quando chegarmos ao fim do nosso dia, saibamos fazer as nossas preces de agradecimento pela bênção de sermos e existirmos, pela bênção da reencarnação, pela bênção do trabalho e pela bênção do dia.

E peçamos a Deus Sua bênção a toda a humanidade, a nossa família universal e mais importante, antes de nos entregarmos ao sono reparador, analisemos os nossos atos, o nosso comportamento, e os nossos relacionamentos.

Estão em harmonia com as leis de Deus?

Estão em desarmonia?

Onde devo melhorar?

Onde devo mudar?

Tudo isto constitui bases para aplicarmos seguramente os ensinamentos de Jesus: "Orai e vigiai?"

Eunilto de Carvalho