PRESUNÇÃO

Sutil quão traiçoeiro é miasma de fácil assimilação, que produz danos graves nos tecidos delicados da alma.

Herança dos vícios pretéritos de que somente a pouco e pouco se liberta, o Espírito que empreende a tarefa do aprimoramento não deve poupar esforços contra inimigo vigoroso e disfarçado qual esse.

Apresenta-se multiface e sabe afivelar máscaras de hedionda feição, sorrindo nas situações em que se vê descoberto e chorando nos momentos de que se deveria utilizar para a libertação, adquirindo forças novas com inusitada selvageria para continuuar os desmandos a que se afeiçoa.

Reponta aqui na condição de melindre, em cuja exagerada suscetibilidade encontra campo para generalizar suas argumentações falsas, com graves danos para quem lhe enseja a penetração.

Apresenta-se como ufania exarcebada e apropria-se dos requisitos morais daquele que se lhe faz vítima, conquistando láureas à própria incúria.

Alma gêmea do orgulho, é filho especial do egoísmo, inimigo sórdido de toda construção moral do homem, comprazendo-se em desequilibrar e malsinar.

Discreto, enreda mentes invigilantes e, soez, maquina estranhos raciocínios que distraem os seus cultores.

Imantado à própria natureza animal do homem, investe contra a natureza espiritual sob disfarces inesperados.

Esse revel, atro e torvo inimigo do Espírito, é a presunção.

Se alguém admoesta com carinho, objetivando ajudar, ele instila, malsã, odiosa irritabilidade no ouuvinte, inspirando que ali se encontra um mau-caráter desejando humilhar o indefeso lidado!. ..

Quando o amigo convida ao serviço, com mansuetude, o outro amigo, ei-lo a informar que aquele deseja deste fazer besta de carga ...

Se o patrão, por impositivo da ordem, observa o servidor descuidado, eis que a sua maléfica presença degenera o alvitre fazendo que o reprochável subalterno se transforme em inimigo silencioso ...

Quando o cooperador do serviço de elevação adverte o irmão de trabalho, por esta ou aquela raazão, sua voz brada, na acústica da alma: - "Ele toma esta atitude porque é com você" ...

E prossegue arregimentando vítimas que lhe dão guarida às insinuações infelizes, até o desespero em que se verão a braços mais tarde.

Abstém-te do convívio da presunção e arrebenta -lhe o cerco nefando.

Faze honesta fiscalização íntima à luz do Evangelho e descobri-la-às.

Na tarefa de muitos, se te isolas; no agrupamennto fraterno, se te supões desconsiderado; na atividade encetada, se reclamas falta de auxílio; na comunidade, se te tens na conta de humilhado; na realização do bem, se suspeitas de deslealdades sistematicamente; e se te afirmas desamado, cuidado! - a presunção está corroendo-te por dentro.

Examina Jesus e toma-O como modelo, situando-te no devido lugar, e se prossegues acreditando que necessitas lapidar a alma na incessante faina do bem, com otimismo e perseverança, estarás combatendo esse verdugo ominoso que tanto poderás chamar presunção como orgulho, melindre ou suscetibilidade, mas que em resumo é, sem dúvida, um dos piores inimigos da tua evolução.

Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos Céus. Mateus: 5-3.

Joanna de Ângelis