IX - UMA PERIGOSA SINTONIA

IX - UMA PERIGOSA SINTONIA

E foi-lhe dado comunicar folego a imagem da besta, para que não so' a imagem falasse, como ainda fizesse morrer todos aqueles que não adorassem sua imagem. APOCALIPSE - CAP. XIII - VERS. 15.

E sairá a seduzir as nações que ha' nos quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, a fim de reuni-los para a grande peleja. APOCALIPSE - CAP. XX - VERS. 8.


Polifemo havia feito referenda a uma grande invenção da humanidade, simbolizada por uma janela que havia aberto um mundo de possibilidades e de ilusões, atraindo multidões de forma sedutora e irresistivel, tal qual uma hipnose coletiva, contribuindo para uma completa inversão de valores morais e costumes. O que tudo aquilo significava?

Atento aos meus pensamentos, o Instrutor Ulisses sinalizou que aguardasse, pois em questão de alguns minutos teriamos a informação através da própria palavra de Polifemo.

Naquele momento, observei 'Erebo que, a semelhança de um ditador assentado em seu trono de poder, parecia estar satisfeito e em regozijo intimo, saboreando cada palavra no tocante a explanação de Polifemo que prosseguiu: - Pois bem, companheiros, para que nosso projeto reunisse boas chances de êxito, era necessário identificar uma mente diferenciada, que além da inteligência e da astúcia, detivesse também conhecimento psicológico profundo da natureza humana, de suas mazelas, seus anseios mais secretos e das tendâncias e desvios morais de cada um. Não poderia ser um ataque frontal, mas algo que tivesse um inicio silencioso, discreto, que aliado a inteligência e a astúcia, fosse aos poucos inserindo novas idéias, novos costumes de forma gradual e muito cuidadosa, de forma que a titulo de intelectualidade, de inteligencia, de avanço conceitual, aliado a modernidade, trouxesse ao ser humano uma situação de comodismo, de letargia e de preguiça de pensamento e aceitação de novos conceitos como verdades, que fossem entendidos como avançados, progressistas do politicamente correto sem questionamento critico, isto e', uma hipnose coletiva com mensagens subliminares para serem inculcadas nas mentes mais sugestionáveis que sempre registram, guardam e assumem as ditas mensagens inseridas atraves da consecução desse projeto que foi, cuidadosamente, elaborado e executado ao longo desses anos. Fez breve pausa para em seguida prosseguir: - Pois bem, nós ja' tinhamos esta inteligência a nosso dispor. Tanatus era esta mente privilegiada, uma vez que nos acompanha ha' muito tempo e que e de nossa mais absoluta confian^a, para que pudessemos chegar ao exito deste mo¬mento. Quando Erebo e eu o incumbimos dessa grandiosa missao, Tanatus entendeu de imediato o alcance profun¬do que era delineado no projeto, e a ferramenta que tinha em mãos era simplesmente fascinante. Nosso companheiro entregou-se com entusiasmo ao projeto arregimentando, recrutando, treinando e arrebanhando para sua equipe as mentes mais avançadas e privilegiadas, visando ao sucesso dessa grandiosa empreitada. Assim aconteceu.

Podemos dizer hoje que os resultados foram auspiciosos, razão pela qual estamos hoje satisfeitissimos com o projeto que a cada dia avança mais e mais no conceito de uma sociedade que, displicente, não se da' conta que alguns conceitos rotulados de progressistas e modernos foram por nós inspirados e assimilados por um povo negligente, e politicos ardilosos que procuram através de artificios materializarem leis que possam legalizar esses ditos conceitos progressistas.

Confesso que o sucesso ainda não foi absoluto porque no seio do povo, bem como no meio politico, ainda existem mentes lúcidas, que ja' identificaram a origem dessas ondas e resistem as nossas investidas. Estamos tranquilos, pois isso e' questão de tempo! Esse projeto consiste em virtude principal o fato de ser discreto, sorrateiro e paciente. Contamos com a sintonia mental de importantes figuras que tem poder e a influência no legislativo. Chegaremos la', não tenham dúvidas, e' apenas questão de tempo - repetiu o chefe das trevas -, e o tempo corre a nosso favor! - complementou.

A platéia parecia hipnotizada e fascinada com as palavras de Polifemo.

- Mas não vamos tirar o prazer do relato de nosso companheiro - prosseguiu após breve e calculada pausa -, de forma que passo a palavra ao nosso colaborador Tanatus, aquele que soube com inteligência, astúcia e muita psicologia, identificar tendências e inculcar nas mentes invigilantes, descuidadas, descrentes, preguiçosas e presunçosas, novos conceitos de vida, de modernidade e de progresso. E todos aplaudiram e adoraram a besta! - Polifemo debochou mais uma vez, fazendo menção a referenda do Apocalipse de João!

A figura enigmática de Tanatus assumiu a explanação. Sua fisionomia era impassivel e extremamente fria, não demonstrando nenhum sentimento ou reação emocional diante da platéia que o aplaudia em delirio.

Esperou que a ovação terminasse para com voz firme e pausada iniciasse sua explanação. Observei que o timbre de voz de Tanatus era baixo e sibilante, mas cristalino, que se espalhava pelo ambiente como se houvesse uma caixa de ressonância invisivel que ampliasse sua voz pelo ambiente.

- Agradeço as palavras elogiosas do comandante Polifemo e a confiança de 'Erebo, nosso chefe supremo! A confiança destes amigos foi fator preponderante e ponto critico de sucesso nesse nosso projeto.

Dizendo tais palavras, fez rápida e calculada menção com a cabeca, cumprimentando os chefes das trevas, que pareciam satisfeitos com a reverência.

- Companheiros - continuou Tanatus com sua fala calculada e pausada -, a janela mágica a que nosso comandante Polifemo se referiu, voces ja' identificaram, não e' mesmo?

Como um professor catedrático que lecionava para calouros, Tanatus demonstrava completo domínio das técnicas de exposição, fazendo pausas calculadas, observando a reação de cada um dos presentes, saboreando sua posição privilegiada de conhecimento e sucesso de um projeto de extremo interesse das forças das trevas. Tanatus sabia disso e tinha plena convicção de sua importância naquele contexto.

- Pois bem, se existe entre voces alguem que ainda nao se deu conta do que estamos falando, eu vou facilitar, portanto ouçam com atençao porque e' algo tão simples que de tão simples, poucos seres humanos encarnados se deram conta do que realmente esta ocorrendo.

Tanatus parecia um eximio mestre do suspense. Tal qual uma série de novela que e' interrompida em um momento de grande ansiedade e expectativa, cuja revelação do que ira acontecer fica para o capitulo do dia seguinte, assim tambem agia aquela mente perversa e astuta, parecendo esconder em seu intimo um prazer inenarrável, que sua fisionomia fria e enigmática não revelava.

Depois de alguns minutos de silencio absoluto, prosseguiu:

- Estou falando da televisão! Não e' algo absolutamente simples? Mas o ser humano sente-se fascinado diante dessa janela, onde um mundo irreal passa a sua frente estimulando seus sentidos, suas paixões, suas tendências emocionais e suas taras! A televisão e' uma ferramenta simplesmente magnifica! Por meio dela levamos ao mundo novas idéias, novos conceitos e novos costumes! - fez breve pausa para em seguida prosseguir. - Levamos também modernidade, formamos opiniões e penetramos na intimidade de cada lar e de cada mente! Estão vendo? Simples assim! - Tanatus estalou os dedos como faz um hipnotizador ou um mágico.

Confesso que ja' havia identificado a janela que Polifemo havia se referido, mas mesmo assim a revelação de Tanatus era intrigante e assustadora.

- Mas nem sempre foi assim - continuou Tanatus. - O inicio foi muito trabalhoso e demandou paciência, astúcia e muita psicologia para que o trabalho fosse desenvolvido de forma gradual e muito discreta para nao causar transtornos, nem suspeitas. Tudo de forma gradativa e sorrateira. Tivemos de identificar, naqueles que detinham o poder dentro do sistema, as mentes propicias de sintonia para levar nossa inspiração de programas, novelas, filmes e seriados.

Tanatus fez nova pausa, para prosseguir:

- A pergunta e': se a besta e' tão assustadora como e' descrita no Apocalipse, por que as pessoas não fogem assustadas? A resposta e' muito simples: porque não e' tão assustadora assim, muito pelo contrário, ela e' atraente e seduz as pessoas. As pessoas se comprazem, pois a besta vende ilusões, traz em seu bojo a fascinação pelo irreal, pela fama, pela condição de celebridades, e para alcançar isso, as pessoas não se importam em vender a alma ao diabo! - Tanatus gargalhou de forma sinistra, para prosseguir com sua voz ciciosa. - A televisão traz um mundo de fantasia que sabe explorar as tendências de cada um. Existem programas para todos os gostos: luxúria, mentiras, vaidades, traições, adúlterio, esperteza, sedução, sexo, pornografia, violência e muito mais!

A platéia estava atenta de forma que apenas a voz sibilante de Tanatus ecoava pela abóbada da caverna.

- Mas nem sempre foi assim. Nosso inicio foi bem modesto, como tinha de ser. Não se faz alterações de conceitos e costumes de abrupto, visto que saltaria a vista, seria uma aberração, uma agressão. Não, ele foi muito discreto, silencioso, mas firme, absoluto. Algumas mentes encarnadas com objetivos nobres dentro do contexto da televisão foram, aos poucos, sob nossa influência, cedendo aos encantos daquela imagem refletida naquela janela sedutora. Afinal, a televisão tinha de trazer diversão ao povo, mas o que o povo queria mesmo? Não importava muito o real anseio do povo para programas instrutivos e de qualidade, porque as novelas teriam de trazer apelos amorosos e sensuais. Institutos de pesquisas identificaram que cenas mais picantes traziam picos de audiência e, então, inspirados por nos deste lado, os escritores e roteiristas foram apimentando as cenas de forma gradativa. Cenas de sexo, mesmo que simulado, serviam para estimular as mentes que identificavam em si mesmas os próprios desvios. As cenas repetiam-se com sucesso absoluto e em horários cada vez mais inapropriados. Cenas de adúlterio, de separação de cônjuges, traições, violência foram sob nossa inspiração ganhando cada vez mais espaço em folhetins aparentemente inofensivos, mas suas mensagens subliminares foram, aos poucos, ganhando espaço inexorável na sociedade tecendo novos conceitos de vida, a titulo de pensamentos progressistas e modernistas. Paulatinamente, nosso trabalho foi sendo coroado de êxito, e depois de algum tempo nos permitindo avançar de forma mais agressiva, vez que muitos valores ja' haviam sido subvertidos, e a imagem da besta que proferia blasfêmias era idolatrada, e o povo em delirio entrega-se ao deleite dos sentidos primitivos, embriagando-se nas bebidas e viajando nas drogas em grandiosas festas pagas a titulo de diversão e folclore. Uma maravilha que nos traz muito orgulho, e' a televisao vem cumprindo seu papel com fidelidade. Na guerra sem fronteiras pela audiência e sob nossa inspiração, os responsáveis pela televisão produzem programas e novelas cada vez mais apelativas, em que sugerem de forma ostensiva que infidelidade conjugal e' algo normal, que traição e' assunto corriqueiro, que alcançar sucesso a qualquer custo e' questão de inteligência, que romper com padrões antigos de educação e questão de modernidade reservado aos corajosos e vitoriosos.

- Sinto-me realmente feliz e recompensado quando vejo cenas de violência e sexo em horaáios impróprios, assistidos por jovens cada vez mais jovens, a liberalidade sexual dos jovens prafrentex a titulo de modernidade e o ridiculo da preservação da virgindade entre os jovens que sofrem com o preconceito por preservar esses valores antiquados. Não poderia deixar de mencionar as propagandas que, sob nossa influencia, trazem o prazer e a liberdade da bebida atraves da inocente cervejinha, depois as drogas mais leves e depois as mais pesadas. E' apenas questão de tempo e uma coisa puxa outra porque e' irresistivel. Quem pode resistir a besta?

Tanatus fez nova e breve pausa, para tirar o máximo proveito de sua narrativa.

- E' algo extraordinario - continuou -, pois nós mesmos não previamos que seria algo tão 'obvio. Basta raciocinar um pouco: existe algum lar hoje que não tenha pelo menos um aparelho de televisão? Em verdade, poderia ir ate' mais longe fazendo a seguinte afirmação: existe alguma casa hoje onde não exista pelo menos dois aparelhos de televisão? Poderia dizer, sem titubear, que e' a minoria. Dessa forma, nossa mensagem atinge, sem medo de errar, a maioria absoluta da população, e os novos conceitos são propagados de forma exponencial.

- E' com imensa satisfação que vejo pessoas horas e horas a fio diante da imagem da televisão, como se fosse uma hipnose coletiva, assistindo a programas de violencia, novelas com mensagens avançadas e programas de cultura inútil, em que reunem um determinado número de pessoas fúteis e vazias, selecionadas a dedo, para compor um quadro lamentável que por semanas se digladiam, em busca de quinze minutos de celebridade, sem se importar que para isso tenham de expor seus requisitos fisicos e suas deformidades morais em uma rede de futricas e discussoes estéreis, sob delirio da audiência que ainda paga para assistir o que vai acontecer no meio da noite embaixo dos edredons. Acho tudo isso divertidissimo e me sinto recompensado.

- O povo quer diversão, e nossa tarefa e' suprir essa demanda inspirando os responsáveis encarnados que tem a missão de levar a diversão ao povo! O povo tem exatamente o nivel de diversão que deseja porque esse desejo ja' esta' cristalizado em seu subconsciente - gargalhou Tanatus de forma sinistra.

- Os altos indices de audiência são provas cabais do que estamos afirmando, pois existe sintonia de desejos e pensamentos que se materializam por meio de programas que vem ao encontro dos anseios e desejos incutidos no inconsciente coletivo do povo! Poucos são aqueles que realmente desejam programas de cultura, que acrescentam algo, e tambem sabemos que existem mentes direcionadas a esses objetivos, e devo dizer que deles ate tenho pena, porque quase ninguem deseja programas de cultura! São vozes destoantes que clamam no deserto! Não dão audiência e a audiência e' que dita o sucesso, o sucesso e envolvente, traz poder, notoriedade, grana, deslumbramento! Tornou-se ate' fácil, visto que contamos com a perigosa sintonia do povo que se agrada e que se entrega ao delirio por vontade própria, pois se compraz com a astúcia da besta!

- Para nossa satisfação - prosseguiu Tanatus -, podemos dizer que a televisão contribuiu e contribui, formando e deformando mentes fracas que ficam submissas as nossas sugestões. Muitas pessoas descrêem de Deus, e nos aplaudimos.

Algumas filosofias religiosas tem utilizado a televisão como instrumento para que a pretexto de propagar o Evangelho, o fazem com objetivos escusos abusando das criaturas credulas. Nos aplaudimos porque quem e' por nós, não e' contra nós.

Ja' tem se manifestado falsos cristos e falsos profetas que utilizam com astúcia essa janela para se locupletarem... - gargalhou em forma de deboche - Isto e' simplesmente extraordinário! E nos também nos infiltramos la', para estimular essas mentes gananciosas, pois elas tambem se comprazem com a besta!

Aquela exposição de um mestre das trevas trazia em seu contexto algo alarmante. Tanatus demonstrava, além de profundo conhecimento, enorme frieza na consecução daquele plano diabólico, fazendo ironias ao pontuar referências ao Apocalipse em relação a besta e a passagem de Marcos -Cap. IX - vers. 40: Quem não e' contra nós, e' por nós.

Ao sinalizar que seu relato havia chegado ao final, a platéia quase veio abaixo, tantos aplausos e ovações. Percebia-se que Tanatus ocupava, a partir daquele momento, uma posicção de destaque na hierarquia das trevas. 'Erebo assumiu novamente a direção da assembléia para congratular-se com aquele servidor tão prestativo e eficaz em sua ação. Voltando-se para a delirante platéia que ainda aplaudia freneticamente, o supremo comandante das trevas desejava demonstrar quem e' que mandava.

- Silencio! - 'Erebo exclamou com voz trovejante. Novamente o silencio tetrico se fez no ambiente e 'Erebo continuou:

- O longo e frutifero trabalho de Tanatus e' para nós motivo de orgulho e satisfação, mas ainda não vencemos a batalha final! Não podemos dormir sobre os louros das conquistas, temos de aumentar o impeto pelo estimulo das vitorias ate' aqui alcançadas! Tenho certeza de que todos voces aprenderam muito hoje com Deimos e Tanatus, e levem esta lição como precioso aprendizado, porque a luta final e' o que importa! Temos um grande desafio pela frente, e a luta continua! - 'Erebo exclamou com voz de trovao.

Naquele momento, observei as figuras de 'Erebo, Polifemo, Deimos e Tanatus e confesso que senti pena. Mentes privilegiadas, detentoras de conhecimento, de ciência, de psicologia e também de Evangelho. Por que essas criaturas com tanto conhecimento ainda transitam pelas sendas das trevas? - questionei meus próprios pensamentos.

A resposta veio quase que em seguida diante do questionamento de um dos presentes naquela assembléia:

- Com todo respeito, gostaria de perguntar ao grande general e supremo comandante das trevas: Por que estamos nos envolvendo de forma tão violenta nessa batalha? Não estamos incidindo em um grave erro? Sabemos que no final de tudo isso seremos expulsos da terra, ou não seremos? -questionou. - A verdade e' que seremos banidos para um planeta primitivo, onde havera' choro e ranger de dentes! Diga-me, comandante - insistiu o espirito trevoso -, não estamos equivocados? Qual a vantagem nessa luta ingloria? Não e' um tiro no próprio pe' que estamos desferindo?

A platéia ficou emudecida diante da audácia da pergunta. Observei atentamente a fisionomia avermelhada, então congestionada pela ira e os olhos injetados de sangue de 'Erebo e temi pelo perquiridor, diante de uma possivel reacção violenta e intempestiva do supremo comandante das trevas.

IRMÃO VIRGILIO