METAFÍSICA DA SAÚDE 2

APRESENTAÇÃO

Fui incumbido pelo meu parceiro nesta obra, Luiz Antonio Gasparetto, a fazer a apresentação do segundo volume, passando minha experiência com a Metafísica. Os fundamentos da Metafísica da Saúde constam do primeiro volume desta obra.

Seria redundante voltar ao tema, porém recomendo a leitura do primeiro capítulo do volume 1: "Você é a causa de tudo".

Para conhecer minha experiência de vida, é importante compreender algumas características da trajetória. De maneira resumida, vou passar alguns fatos marcantes que me conduziram a compreender a Metafísica e inseriram-me nessa consciência de vida.

Tive uma infância boa, sem maiores transtornos, como qualquer garoto interionano de classe média.

Aos 14 anos me encontrava repleto de expectativas de uma vida promissora, que não se enquadravam na pequena cidade paranaense onde nasci (Cambira). Foi quando, por "obra do destino", surgiu um convite para morar em São Paulo, com uma família com a qual só tivemos contato uma vez, na ocasião de sua visita a minha cidade.

Tive o consentimento dos meus pais, que não queriam abafar a perspectiva de um adolescente sedento por explorar novos horizontes.

Com apenas 14 anos me encontrava longe da família, numa cidade estranha e desconhecida. Foi necessária muita determinação para me desgarrar da família. Principalmente para mim, que era um garoto mimado, que sequer conseguia dormir longe da mãe.

Lembro-me de um fato, quando tinha aproximadamente 10 anos de idade... estávamos no sítio de um tio e me envolvi nas brincadeiras com os primos. No momento de empolgação concordei em permanecer na casa daquele tio, enquanto minha mãe foi dormir na casa de outro tio, que ficava num sítio ao lado, a alguns quilômetros dali. Quando anoiteceu, a saudade "bateu" e a dependência da figura materna "falou mais alto" e, sozinho, me pus a caminhar à noite, cortando as pastagens e o matagal, até chegar à casa onde estava minha mãe.

Em São Paulo, em plena fase da adolescência, teve início uma trajetória repleta de desafios, mas, confesso, sem grandes sofrimentos.

Minha vida sempre foi muito dinâmica, nada permanecia estático, mal conseguia uma estabilidade. E uma nova reviravolta no curso dos acontecimentos me colocava em outra condição; tinha que começar tudo novamente dentro de um outro segmento de trabalho. E também novas amizades. Foram muitos altos e baixos, tanto no âmbito social quanto financeiro.

Somente um fator permaneceu inalterável e sempre progressivo: o filosófico e espiritualista. Sou de berço católico, e logo que cheguei a São Paulo desvendei a existência do plano espiritual. Estudei muito a doutrina dos espíritos, de Alan Kardec, que me desenvolveu a consciência da espiritualidade, ampliando minha ótica da vida.

Nunca abandonei esse lado, que sempre permaneceu paralelo a tudo o que vivi. Atuei em diversos segmentos profissionais; atuei no comércio, em empresa prestadora de serviços (cadastro e crédito), com vendas, ocasião que me propiciou viajar por quase todo o país.

Fiz muitas amizades, adquiri uma ampla bagagem de relacionamento social.

Tudo na minha vida valeu a pena, pois contribuiu de alguma forma para o meu desenvolvimento pessoal. Os altos e baixos no trabalho desenvolveram-me a garra para recomeçar sempre que necessário, com grande dose de otimismo e bom humor.

O domínio de amigos persuasivos desenvolveu-me a firmeza e a consciência interior para me libertar da alienação.

Pode-se dizer que, apesar de uma vida repleta de experiências, não tive uma trajetória de sofrimento, mas sim, de vencer bloqueios, superar obstáculos e ampliar horizontes, passando de um simples garoto interiorano acanhado, com baixa autoestima, um jovem inseguro e gago a um comunicativo professor de autoajuda, palestrante e escritor (hoje com 5 livros editados).

Considero-me um vitorioso; mesmo não usufruindo hoje dos resultados palpáveis daquilo que vivenciei, conto com uma boa condição interna, desenvolvida graças aos tropeços e desafios.

Pode-se dizer que minha maior vitória está no mundo interior; consequentemente, os resultados gradativamente vão surgindo a minha volta. Este livro, por exemplo, é um deles.

Durante anos de minha vida fiquei observando o quanto as situações influenciavam no meu estado de espírito.

Quando as coisas não davam certo, me entristecia profundamente; isso reforçava a crença de que o mecanismo da vida determinava minha condição.

Os tropeços abalavam minha capacidade realizadora. Achava que a vida trazia as situações e eu não tinha poder para alterar o curso dos acontecimentos.

Foi então que tomei contato com a Metafísica, por meio dos livros da Louise L. Hay, logo que foram traduzidos para o Português e chegaram ao Brasil, há mais ou menos 11 anos.

Durante aproximadamente um ano me dediquei a refletir sobre o curso da minha vida. Observava o quanto eu influenciava nos resultados das situações em que me encontrava. Quando as coisas não saíam bem, eu também não estava me sentindo legal. Na verdade, tudo acontecia de acordo com aquilo em que eu acreditava. Foi preciso coragem para admitir o fato de que os resultados desastrosos obtidos na minha atuação estavam de acordo com o meu desempenho. A verdade é que contribuímos para o surgimento de todas as dificuldades que nos rodeiam.

Não é fácil admitir essa verdade. Reconhecer que nós mesmos somos causadores daquilo que deu errado.

É cômodo crer que a vida não é boa, que as pessoas são responsáveis por nossa infelicidade, mas o difícil é admitir que não estamos fazendo o nosso melhor.

Conquistar a harmonia, o bem-estar e, principalmente, resgatar a saúde do corpo.

A METAFÍSICA NO DIA A DIA

Os fundamentos metafísicos não estão distantes da sua realidade; ao contrário, é justamente na realidade que se manifestam as causas metafísicas dos distúrbios do corpo. A raiz dos problemas físicos está na atitude interior frente às situações do cotidiano. E a postura da pessoa determina a saúde do corpo ou desencadeia as doenças que afetam o organismo. De acordo com o órgão afetado e o tipo de alteração que ele apresenta, o corpo revela como a pessoa se encontra na área da vida que se correlaciona a esse órgão. Observando e interpretando o comportamento das pessoas, pode-se ter uma noção da sua vulnerabilidade a determinada doença ou o fortalecimento de um determinado órgão.

O corpo é um sensor que acusa o modo como lidamos com os acontecimentos. Cada parte dele reflete uma emoção. Todas as alterações metabólicas do organismo têm sua origem no desequilíbrio emocional. Na vida somos cercados por situações do ambiente que afetam nossas emoções; pode-se dizer que, dependendo do nosso estado emocional, vamos ter um tipo de reação diante dos acontecimentos. De acordo com essas alterações emocionais, vamos manter a saúde ou provocar as doenças.

Todos os acontecimentos que nos cercam, sejam em nossa casa, sejam no ambiente de trabalho, estão ligados a padrões de comportamento desenvolvidos ao longo da vida.

Assim sendo, torna-se importante o trabalho de auto-observação, a fim de interpretar nossas atitudes indevidas e reformular esses procedimentos inadequados.

Agindo dessa forma, estaremos aprimorando nosso desempenho na vida e expressando os potenciais latentes na alma.

Ao adquirir a consciência metafísica de uma disfunção do organismo obtemos um importante recurso para a reorganização do mundo interno, o que reflete no ambiente externo, e principalmente no corpo, em forma de saúde e vitalidade.

Consciente do padrão interno que está desencadeando a doença no corpo e sabendo quais são as atitudes positivas que estabelecem a saúde física, psíquica e emocional, você terá à mão um importante recurso de autoajuda.

Que esta obra possa contribuir para uma melhor qualidade de vida.

Valcapelli

CAPÍTULO I - SISTEMA CIRCULATÓRIO

A - VASOS SANGUÍNEOS (ARTÉRIA, VEIAS, COLESTEROL)
- ANEURISMA
- ARTERIOSCLEROSE
- VARIZES
- TROMBOSE
- FLEBITE

B - CORAÇÃO
- PROBLEMAS CARDÍACOS
- TAQUICARDIA
- ANGINA
- INFARTO

C - PRESSÃO ARTERIAL
- PRESSÃO ALTA
- PRESSÃO BAIXA

D - SANGUE
- TIPOS SANGUÍNEOS - A, B, O, AB
- ANEMIA
- COAGULAÇÃO SANGUÍNEA
- HEMORRAGIA
- LEUCEMIA

E - CONSIDERAÇÕES FINAIS


CAPÍTULO II - SISTEMA URINÁRIO

A - RINS
- PROBLEMAS RENAIS
- CÁLCULOS RENAIS
- CÓLICA RENAL

B - BEXIGA
- ENURESE NOTURNA
- INCONTINÊNCIA URINÁRIA
- PROBLEMAS NA BEXIGA
- CISTITE
- URETRITE

C - CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

CAPÍTULO III - SISTEMA REPRODUTOR

3 - SISTEMA REPRODUTOR FEMININO

A - FRIGIDEZ

B - OVÁRIOS
- SÍNDROME DO OVÁRIO POLICÍSTICO
- CISTOS DO OVÁRIO
- TUBAS UTERINAS
- LAQUEADURA
- INFERTILIDADE OU ESTERELIDADE

C - ÚTERO
- PROBLEMAS NO ÚTERO

D - MENSTRUAÇÃO
- PROBLEMAS MENSTRUAIS
- AMENORRÉIA
- MENOPAUSA

E - VAGINA
- VAGINISMO
- RESSECAMENTO VAGINAL
- COCEIRA NOS LÁBIOS VAGINAIS
- CORRIMENTO VAGINAL (LEUCORREIA)

F - MAMA (GLÂNDULAS MAMÁRIAS)
- FLACIDEZ DAS MAMAS
- COCEIRA NAS MAMAS
- AMAMENTAÇÃO
- MASTITE
- NÓDULOS MAMÁRIOS

IV - SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO

A - TESTÍCULOS

B - PRÓSTATAS
- PROBLEMAS NA PRÓSTATA

C - PÊNIS

D - CONSIDERAÇÕES FINAIS