METAFÍSICA DA SAÚDE 4

1 - APR€S€NTAÇÃO

O sistema nervoso sempre foi uma incógnita para a ciência. Somente nos últimos anos, com o desenvolvimento tecnológico, a neurociência avançou na descoberta de funções neurológicas, antes desconhecidas.

Recentemente foi descoberta a existência de células nervosas que se regeneram, quebrando um importante conceito da neurologia, de que células nervosas não se regeneram.

Esta obra exigiu um extenso estudo sobre as mais recentes descobertas da neurociência.

Os conhecimentos científicos são imprescindíveis para se compreender a relação metafísica entre as qualidades inerentes ao ser e o funcionamento do Sistema Nervoso.

Além dos aspectos fisiológicos, existe a instância psíquica que, por sua vez, é ainda mais complexa pela subjetividade e especificidade com que é constituída a psique humana.

Fez-se necessário arrebanhar os conhecimentos das três vertentes da psicologia: psicanalítica, comportamental e humanista.

Apesar de as concepções metafísicas serem calcadas fundamentalmente no ser, consideram-se os níveis psicobiofísicos, nos quais se instala a saúde ou manifestam-se as doenças.

Afinal, são nas esferas físicas e psicológicas que os sinais se manifestam para serem estudados, inclusive, pela metafísica da saúde.

A abordagem metafísica não desconsidera nenhum desses fatores, ao contrário, agrega conhecimentos para obter ampla visão dos processos de manifestações do ser na vida.

Desse modo, apresentamos a você, leitor, mais esse importante estudo, que compõe a obra Metafísica da Saúde, agora composta por quatro volumes.

Nossas pesquisas não param aqui, já estamos trabalhando no quinto volume, para que você tenha uma visão ainda mais ampla das suas qualidades e reconheça os conflitos e as dificuldades relacionadas com as principais doenças que afetam o seu corpo.

Valcapelli e Gasparetto

2 - OS PRINCÍPIOS DA MCTAFÍSICA

A Metafísica compreende os aspectos estruturais e energéticos que coordenam as matérias orgânicas e inorgânicas. E' um estudo especial sobre a essência do Universo, sua formação e dos seres que nele habitam. Ela proporciona uma ótica ampla acerca dos fatores tempo e espaço; da concepção de certo e errado e das categorias imutáveis e eternas, que constituem as causas primitivas dos processos existenciais.

O significado literal da palavra é: meta = além e física = matéria, portanto, Metafísica refere-se àquilo que está além do físico. Compreende as esferas psíquicas, emocionais, energéticas, espirituais e sentimentais. Essa terminologia foi criada por Aristóteles, muito embora o filósofo tenha deixado esse assunto à margem de suas investigações. Esse estudo passou a ser organizado com o surgimento da Ontologia: uma parte da Metafísica que estuda o Ser enquanto Ser. A Metafísica parte do princípio de que é a alma quem organiza a matéria e não o físico que cria a essência.

Empregar esse termo para referir-se meramente àquilo que transcende o físico, não faz jus ao profundo significado da palavra. Desde sua criação ela refere-se ao que é essencial organizador dos processos estudados. Pode-se atribuir a terminologia a diferentes áreas de estudos, desde que se investiguem os aspectos causais e não simplesmente aquilo que estiver além do fato em si. Usá-lo inadvertidamente, permanecendo na periferia dos processos, sem se aprofundar nas pesquisas, banaliza um termo que traz em si a responsabilidade, por parte de quem o emprega no seu trabalho, de alcançar os fundamentos centrais que definem os objetos da investigação.

A concepção metafísica pode ser empregada em diferentes áreas de estudos. Nós a utilizamos na saúde. Intitulamos nosso trabalho de Metafísica da Saúde no intuito de investigar o corpo como veículo da vida, no qual se manifestam os potenciais e os sentimentos do ser.

Nessa abordagem, os fundamentos metafísicos não estão distantes da sua realidade; ao contrário, é justamente no ambiente que se manifestam as causas metafísicas dos distúrbios do corpo. A raiz dos problemas físicos está na atitude interior, frente às situações do cotidiano. A postura da pessoa é determinante para a preservação da saúde, e os conflitos interiores desencadeiam as doenças que afetam o organismo.

O órgão afetado e o tipo de alteração que ele apresenta revelam como as pessoas se encontram numa determinada área da vida e, metafisicamente, correlacionam-se com aquela parte do corpo. Observando e interpretando os comportamentos das pessoas, pode-se ter uma noção da sua vulnerabilidade à determinada doença ou o fortalecimento de um determinado órgão.

O corpo é uma espécie de sensor que acusa o modo como o indivíduo lida com os acontecimentos. Cada parte do organismo reflete uma emoção. Portanto, as alterações metabólicas têm origem no desequilíbrio emocional. Todos enfrentam obstáculos, porém cada um reage de um determinado jeito. Dependendo do modo como se enfrentam as adversidades, produz-se um determinado estado emocional. Dependendo dessa condição interior, mantém-se a saúde ou são provocadas as doenças.

Os próprios eventos exteriores, por si sós, refletem aquilo que é cultivado interiormente. As atitudes mantidas ao longo da vida atraem as situações compatíveis ao modelo interior, consequentemente essas ocorrências provocam os abalos, intensificando os sentimentos nocivos e ocasionando prejuízos à saúde.

O trabalho de observação do ambiente de trabalho e do estilo de vida que a pessoa mantém no lar, serve de visor do mundo interno. Ao mesmo tempo em que são identificados os tipos de reações frente a certos acontecimentos, torna-se possível conhecer as crenças geradoras dos conflitos existenciais.

A aquisição da consciência metafísica das causas das disfunções do organismo proporciona um importante recurso para a reorganização do mundo interno, que se reflete não somente no corpo, para resgatar a saúde, mas também opera transformações no ambiente exterior. Pode-se dizer que os mesmos conflitos emocionais que causaram a doença, também geraram os acontecimentos, que agravaram os sentimentos nocivos.

As pessoas vivem nesse ciclo vicioso e não se dão conta de que elas próprias conspiram a favor dos seus insucessos, e, por sua vez, frustram-se. Para conquistar a saúde e melhorar a qualidade de vida, faz-se necessário promover significativas mudanças, começando dentro, para depois proceder no meio.

O primeiro passo é reformular as crenças. Em seguida, mudar a visão de mundo, interpretando os fenómenos exteriores de maneira mais complacente e menos conflituosa. Por fim, adotar novas atitudes, relacionar-se melhor consigo mesmo e com os outros, respeitar seus limites e cuidar do corpo. Assim sendo, a metafísica da saúde representa um importante recurso de autoajuda.

..OS CAMINHOS DA METAFÍSICA DA SAÚDE

..I - SISTEMA NERVOSO CENTRAL

..1 - SINAPSES

..2 - NEUROTRANSMISSORES

..3 - ACETILEOLINA

..4 - MIASTENIA

..5 - DOPAMINA

..6 - NORADRENALINA E ADRENALINA

..7 - SEROTONINA

..8 - HISTAMINA

..9 - MENINGES

..10 - MENINGITE

..11 - CÉREBRO

..12 - PARKINSON

..13 - ALZHEIMER E OU DEMÊNCIA

..14 - DOR DE CABEÇA OU ENXAQUECA

..15 - AVC (ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL)

..16 - EPILEPSIA OU CONVULSÃO

..17 - TIQUES OU CACOETES

..18 - ESTRESSE

..19 - BURNOUT

..20 - BULBO

..21 - SONO

..22 - INSÔNIA

..23 - CEREBELO

..24 - TRANSTORNO BIPOLAR DO HUMOR

..25 -TRANSTORNO OBSESSIVO-COMPULSÓRIO

..26 - COLUNA VERTEBRAL

..27 - POSTURA CORPORAL

..28 REGIÃO CERVICAL E PESCOÇO

..29 - DOR NO PESCOÇO

..30 - TORÁCICA

..31 - CIFOSE

..32 - ESCOLIOSE

..33 - LOMBAR

..34 - LORDOSE

..35 - HÉRNIA DE DISCO

..36 - SACRO

..37 - CÓCCIX

 

..II - SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO

1 - NERVOS

..2 - GÂNGLIOS

..3 - TERMINAÇÕES NERVOSAS

..4 - TRIGÊMEO

..5 - NEVRALGIA DO TRIGÊMEO

..6 - NERVO CIÁTICO

..7 - DOR CIÁTICA

 

..III- CONSIDERAÇÕES FINAIS