O SUICÍDIO - RS

1 - O Suicídio

A religião, a moral, todas as filosofias condenam o suicídio como contrário à lei natural.

Todos nos dizem, em princípio, que não se tem direito de abreviar voluntariamente a vida.

Mas, por que não se terá esse direito?

Por que não se é livre de por termo dos próprios sofrimentos?

Estava reservado ao Espiritismo demonstrar, pelo exemplo dos que se mataram, que o suicídio não é apenas uma falta, como infração a uma moral, consideração que pouco importa para certos indivíduos, mas um ato estúpido, pois que nada ganha quem o pratica e até pelo contrário.

Não é pela teoria que ele nos ensina isso, mas pelos próprios fatos que coloca sob os nossos olhos.

Allan Kardec, em O Livro dos Espíritos

2 - NÃO É BOLINHO

Você sabe o que têm em comum, prezado leitor, os nomes abaixo?

John Barrymore (1882-1942), ator norte-americano.

Charles Boyer (1897-1978), ator francês.

Camilo Castelo Branco (1825-1890), escritor português.

Kurt Cobain (1967-1994), músico norte-americano.

Demóstenes (384-322 a.C.), orador e político grego.

Rainer Werner Fassbinder (1946-1982), cineasta alemão.

Hermes Fontes (1888-1930), escritor brasileiro.

Romain Gary (1914-1980), escritor e diplomata francês

Hermann Goerin (1893-1946), marechal alemão.

Vincent van Gogh (1853-1890), pintor holandês.

Ernest Hemingway (1898-1961), escritor norte-americano.

Adolf Hitler (1889-1945), político alemão.

Alan Ladd (1913-1964), ator norte-americano.

Jack London (1876-1916), escritor norte-americano.

Marilyn Monroe (1926-1962), atriz norte-americana.

Nero (37-68), imperador romano.

Antero de Quental (1842-1891), poeta português.

Alberto Santos Dumont (1873-1932), inventor brasileiro.

Saul (1115-1055 a.C), rei hebreu.

Séneca (4-65), filósofo romano.

Getúlio Vargas (1883-1954), político brasileiro.

Virgínia Woolf (1882-1941), escritora inglesa.

Stefan Zweig (1881-1942), escritor judeu-austríaco.

Pedro Nava (1903-1984), médico e escritor brasileiro.

Se você pensou em suicídio, acertou. Todos se mataram!

(Esta lista é somente uma pequena amostra, pois, a cada dia que passa ela aumenta....)
(E o mais engraçado: Muitos dessa lista, tinha muito dinheiro; posição social elevada; eram benquistos por muitos; e milhares desejavam estar em seu lugar.)

Em dado momento de suas existências, por motivos variados, resolveram que não era interessante continuar a viver.

Incontável o número de personalidades ilustres da Humanidade a entrarem por essa porta falsa, que apenas nos precipita em sofrimentos mil vezes acentuados.

***

Fosse a existência contida nos limites do berço ao túmulo e, sem dúvida, o suicídio seria a grande solução para os problemas e dores da Terra.

Ocorre que somos seres imortais. Já vivíamos antes do berço e continuaremos a viver depois do túmulo, onde colheremos as consequências do que fizemos de nossa vida, de nosso corpo.

Falta a todos aqueles que se precipitam no suicídio um conhecimento mínimo a respeito do assunto.

E exatamente o que o Espiritismo nos oferece, ao estabelecer contato entre a Terra e o Além, convidando-nos a refletir sobre a experiência danosa dos suicidas, que afirmam, invariavelmente, em suas confidências:

- Ah! Se eu soubesse!

Sem dúvida, outro teria sido o rumo de suas cogitações, evitando o abismo.

O objetivo deste livro, amigo leitor, é oferecer-lhe condições para refletir sobre o assunto.

Em sistema de perguntas e respostas, tento abordar aqui todas as facetas relacionadas com o suicídio, à luz da Doutrina Espírita.

Estou certo de que se você o ler atentamente, acabará por convencer-se de que é preferível enfrentar os desafios da Terra, a precipitar-se em tormentos, sinalizados há milênios pelas religiões tradicionais, mas de uma forma distante, especulativa. Hoje temos uma visão de perto, ampla e assustadora, do que acontece com o suicida, graças a esse "binóculo para visualizar o Além ", que é o
Espiritismo.

Estou certo, também, de que você terá sempre à mão este livro para oferecê-lo a amigos, conhecidos, familiares, vizinhos e colegas de trabalho, conscientizando-os de que, segundo a expressão popular, suicídio "não é bolinho ".

Deus o abençoe, meu caro, com o fortalecimento de suas convicções sobre a imortalidade, proporcionado pela Doutrina Espírita, a fim de que jamais permita, em situação alguma, tome corpo em sua mente a perigosa ideia de que seria melhor morrer.

Richard Simonetti


01 - EFEITOS: CONSEQUÊNCIAS IMEDIATAS
02 - EFEITOS: DIFICULDADES DE DESLIGAMENTO
03 - EFEITOS: CONFINAMENTO
04 - EFEITOS: SUCESSÃO DE EXPERIÊNCIAS
05 - EFEITOS: CONSEQUÊNCIAS FUTURAS
06 - EFEITOS: EXISTÊNCIA BREVE
07 - EFEITOS: TENTATIVA FRUSTRADA
08 - EFEITOS: TRANSTORNOS COM A FAMÍLIA
09 - CAUSAS: FUGA

10 - CAUSAS: IDÉIA ACALENTADA

11 - CAUSAS: POR AMOR
12 - CAUSAS: PACTO DE MORTE
13 - CAUSAS: OBSESSÃO
14 - CAUSAS: BOMBAS HUMANAS
15 - CAUSAS: TENDÊNCIA ADQUIRIDA
16 - CAUSAS: AUTOPUNIÇÃO
17 - CAUSAS: INCONSCIÊNCIA
18 - CAUSAS: IMPRUDÊNCIA
19 - CAUSAS: JOVENS
20 - CAUSAS: TÉDIO
21 - CAUSAS: GENÉTICA
22 - CAUSAS: EUTANÁSIA
23 - CAUSAS: FUGA OU DEFESA?
24 - AJUDA: EM FAVOR DELES
25 - AJUDA: REUNIÕES MEDIÚNICAS
26 - AJUDA: ANJOS DA GUARDA
27 - PROFILAXIA: CERTEZAS
28 - PROFILAXIA: EXPERIÊNCIA DE QUASE MORTE
29 - PROFILAXIA: TERAPIA DAS VIVÊNCIAS PASSADAS
30 - PROFILAXIA: VACINA
31 - PROFILAXIA: INDUÇÃO LITERÁRIA
32 - PROFILAXIA: CUSTO / BENEFÍCIO
33 - PROFILAXIA: PRÁTICA DO BEM
34 - PROFILAXIA: FARDO LEVE
35 - PROFILAXIA: FAMÍLIA ESPIRITUAL
36 - PROFILAXIA: ESTATÍSTICA
37 - PROFILAXIA: DÚVIDAS