ANTIPATIAS
BIBLIOGRAFIA
01- AGENDA CRISTÃ, pag. 79 02 - AS POTÊNCIAS OCULTAS DO HOMEM, pag.116
03 - APÓS A TEMPESTADE, pag. 87 04 - ENTRE A TERRA E O CÉU, pag. 170
05 - GIOVANA, pag. 47 06 - INFÂNCIA E MEDIUNIDADE, pag. 123
07 - O ALVORECER DA ESPIRITUALIDADE, pag. 97 08 - O CONSOLADOR,pag. 106
09 - O LIVRO DOS ESPÍRITOS, q. 291, 386 10 - O LIVRO DOS MÉDIUNS, q. 288
11 - O PASSE MAGNÉTICO, pg. 27 12 - OFERENDA, pag. 22

LEMBRETE: O NÚMERO DA PÁGINA PODE VARIAR DE ACORDO COM A EDIÇÃO DA OBRA CITADA.

ANTIPATIAS – COMPILAÇÃO

01 - ANTIPATIAS

VII – Simpatias e Antipatias Terrenas


386 Dois seres que se conheceram e se amaram podem encontrar se noutra existência corpórea e se reconhecerem?

- Reconhecerem-se, não; mas serem atraídos um pelo outro sim; e freqüentemente as ligações íntimas, fundadas numa afeição sincera, não provem de outra causa. Dois seres se aproximam um do outro por circunstâncias aparentemente fortuitas, mas que são o resultado da atração de dois Espíritos que se buscam através da multidão.

386. A) Não seria agradável para eles se reconhecerem?

- Nem sempre. A recordação das existências passadas teria inconvenientes maiores do que acreditais. Apôs a morte eles se reconhecerão e saberão em que tempo estiveram juntos. (Ver item 392 )

387 A simpatia tem sempre por motivo um conhecimento anterior

- Não. dois Espíritos que tenham afinidades se procuram naturalmente sem que se hajam conhecido como encarnados .

388. Os encontros que se dão algumas vezes entre certas pessoas, e que se atribuem ao acaso, não seriam o efeito de uma espécie de relações simpáticas?

- Há, entre os seres pensantes, ligações que ainda não conheceis O magnetismo é a bússola desta ciência, que mais tarde compreendereis melhor.

389 De onde vem a repulsa instintiva que se experimenta por certas pessoas, a primeira vista?

— Espíritos antipáticos que se percebem e se reconhecem, sem se falarem.

390. A antipatia instintiva é sempre um sinal de natureza má?

- Dois Espíritos não são necessariamente maus pelo fato de não serem simpáticos. A antipatia pode originar-se de uma falta de similitude do modo de pensar Mas, à medida que eles se elevam, os matizes se apagam e a antipatia desaparece.

391. A antipatia entre duas pessoas nasce em primeiro lugar naquele cujo Espírito é pior ou melhor?

- Numa e noutra, mas as causas e os efeitos são diferentes. Um Espírito mau sente antipatia por quem quer que o possa julgar e desmascarar; vendo uma pessoa pela primeira vez, percebe que ela vai desaprová-lo; seu afastamento se transforma então em ódio, inveja e lhe inspira o desejo de fazer o mal. O bom Espírito sente repulsa pelo mau porque sabe que não será compreendido por ele e que ambos não participam dos mesmos sentimentos; mas seguro de sua superioridade, não sente contra o outro nem ódio nem inveja: contenta-se em evitá-lo e lastimá-lo.

02 - ANTIPATIAS

O espiritismo nos ensina que casos de antipatia gratuita muitas vezes vêm de outras vidas. Você nunca conheceu alguém e imediatamente não foi com a sua cara? Podem ser sensações revividas, sensações que já foram experimentadas antes.

Mas essa antipatia também pode ser resultante da diversidade no modo de pensar. Quem torce com fervor para um time pode não gostar muito de ver alguém com a camisa do time adversário; se este tiver mais um ou dois traços de que não goste, está formada a antipatia. E esta primeira impressão é difícil de ser alterada. O mesmo se dá com a política, ou com qualquer outra paixão. O exemplo do futebol é ilustrativo, mas qualquer discordância mais acentuada na maneira de pensar, de se expressar, de ver e viver a vida pode dar ensejo a que se forme uma relação de antipatia, quase sempre recíproca.

Acontece de mudarmos de ideia, em relação a alguém. Às vezes nos decepcionamos. Mas há os casos em que antipatizamos com alguém à primeira vista, por diferenças reais ou por má interpretação dessas supostas diferenças, e passamos a reconhecer na pessoa qualidades que não suspeitávamos. Claro que, como em tudo, vai aí uma grande dose de orgulho. Foi só vermos que a pessoa não pensa tão diferente de nós, não é tão diferente de nós, e vai caindo a venda que tapava nossos olhos para as suas qualidades. Se você acha que não é assim, talvez seja bom começar a se analisar melhor.

Aliás, nesses casos de dúvida a respeito de nós mesmos, deveríamos sempre pedir a opinião de um inimigo, ou, se o termo é muito forte, para alguém que sabidamente não simpatiza conosco. Ele não vai mentir para nos agradar. Um amigo certamente mentiria, com medo de nos magoar, de ferir nossas suscetibilidades.

Mas devemos reconhecer que nem tudo é resultado direto de vidas passadas, nem de orgulho ferido pela não aceitação das diferenças. Formamos ao nosso redor uma atmosfera fluídica pessoal que exerce um poder de atração ou repulsão entre os indivíduos, conforme seu padrão de pensamento, palavra e ação. A conscienciologia criou um neologismo que também é interessante para o caso, o pensene: pensamento, sentimento e energia, que significa a manifestação indissociável e integral da consciência a partir dos seus pensamentos, sentimentos e das suas energias ou ações.

Você já parou pra pensar que assim como você antipatiza com alguém que nunca viu antes há pessoas que nunca viram você antes e que não vão com a sua cara? Que acham você ou esnobe, ou chato, ou chorão, ou mal-humorado, ou tudo isso junto? Certo, não podemos agradar a todos. Mas seria o ideal. É melhor ser agradável do que desagradável. E tentar fazer o que achamos o melhor é nossa obrigação. Aquela lorota de que o importante é competir é lorota no esporte, onde todos competem para ganhar. Mas na vida o importante é tentar. Não conseguiremos tudo, mas alguma coisa sim, se tentarmos. Não conseguiremos tudo não porque não somos capazes, mas porque não dá tempo; uma vida é pouco pra fazer tudo o que gostaríamos. Ainda bem que tem outras.

Tente. Tentemos. Podemos e devemos começar pelo pensamento; é o começo de tudo. Tudo o que já foi realizado começou com um pensamento. Todos nossos pensamentos geram sentimentos ou emoções que resultam num determinado tipo de energia.

03 - ANTIPATIAS

1 - COMO SE EXPLICA A SIMPATIA E ANTIPATIA À LUZ DA DOUTRINA ESPÍRITA?

RESP.: Frequentemente durante a romagem terrena, dois seres sentem-se naturalmente atraídos um pelo outro, em circunstâncias aparente fortuitas; ou inversamente, a sensação que surge é de antipatia e rejeições. Estes personagens não se reconhecem, porém esta primeira impressão é resultante de encarnações anteriores, cujas experiências felizes ou desgradáveis emergem da memória espiritual de cada um.

2 - A AFEIÇÃO QUE DOIS SERES MANTIVERAM NA TERRA PROSSEGUE SEMPRE, NO MUNDO DOS ESPÍRITOS?

RESP.: Sim, sem dúvida, se ela se baseia numa verdadeira simpatia; mas se as causas de ordem física tiveram maior influência que a simpatia, ela cessa com as causas. As afeições entre os Espíritos são mais sólidas e mais duráveis que na Terra, porque não estão subordinadas ao capricho dos interesses materiais e do amor-próprio.

3 - AS ALMAS QUE DEVEM UNIR-SE ESTÃO PREDESTINADAS A ESSA UNIÃO, DESDE A SUA ORIGEM, E CADA UM DE NÓS TEM EM ALGUMA PARTE DO UNIVERSO "A SUA METADE", À QUAL UM DIA SE UNIRÁ FATALMENTE?

RESP.: Não; não existe união particular e fatal entre duas alma. A união existe entre todos os Espíritos, mas em graus diferentes, segundo a ordem que ocupam, a perfeição que adquiriram: quanto mais perfeitos, tanto mais unidos. Da discórdia nascem todos os males humanos; da concórdia resulta a felicidade completa.

4 - DOIS ESPÍRITOS PERFEITAMENTE SIMPÁTICOS, QUANDO REUNIDOS, FICARÃO ASSIM PELA ETERNIDADE, OU PODEM SEPARAR-SE E UNIR-SE A OUTROS ESPÍRITOS?

RESP.: Todos os Espíritos são unidos entre si. Falo dos que já atingiram a perfeição. Nas esferas inferiores, quando um Espírito se eleva, já não tem a mesma simpatia pelos que deixou.

5 - DOIS ESPÍRITOS SIMPÁTICOS SÃO COMPLEMENTO UM DO OUTRO, OU ESSA SIMPATIA É O RESULTADO DE UMA AFINIDADE PERFEITA?

RESP.: A simpatia que atrai um Espírito para outro é o resultado da perfeita concordância de suas tendências, de seus instintos, se um devesse completar o outro, perderia a sua individualidade.

6 - A AFINIDADE NECESSÁRIA PARA A SIMPATIA PERFEITA CONSISTE APENAS NA SEMELHANÇA DOS PENSAMENTOS E SENTIMENTOS,OU TAMBÉM NA UNIFORMIDADE DOS CONHECIMENTOS ADQUIRIDOS?

RESP.: Na igualdade dos graus de elevação.

7 - OS ESPÍRITOS QUE HOJE NÃO SÃO SIMPÁTICOS, PODEM SÊ-LO MAIS TARDE?

RESP.: Sim, todos o serão. Assim, o Espírito que está hoje numa determinada esfera inferior, quando se aperfeiçoar, chegará à esfera em que se encontra o outro. Seu encontro se realizará mais prontamente, se o Espírito mais elevado, suportando mal as provas a que se submetera, tiver permanecido no mesmo estado.

8 - DOIS ESPÍRITOS SIMPÁTICOS PODEM DEIXAR DE SÊ-LO?

RESP.: Certamente, se um deles é preguiçoso.

9 - DOIS SERES QUE SE CONHECERAM E SE AMARAM, PODEM ENCONTRAR-SE NOUTRA EXISTÊNCIA CORPÓREA E SE RECONHECEREM?

RESP.: Reconhecerem-se, não, mas serem atraídos um pelo outro, sim; e frequentemente as ligações íntimas, fundadas numa afeição sincera, não provêm de outra causa. Dois seres se aproximam um do outro por circunstâncias aparentemente fortuitas, mas que são o resultado da atração de dois Espíritos que se buscam na multidão.

10 - NÃO SERIA MAIS AGRADÁVEL PARA ELES SE RECONHECEREM?

RESP.: Nem sempre. A recordação das existências passadas teria inconvenientes maiores do que pensais. Após a morte, eles se reconhecerão e saberão em que tempo estiveram juntos.

11 - A SIMPATIA TEM SEMPRE POR MOTIVO UM CONHECIMENTO ANTERIOR?

RESP.: Não; dois espíritos que tenham afinidades se procuram naturalmente, sem que se haja conhecido como encarnados.

12 - OS ENCONTROS QUE SE DÃO ALGUMAS VEZES ENTRE CERTAS PESSOAS, E QUE SE ATRIBUEM AO ACASO, NÃO SERIAM EFEITO DE UMA ESPÉCIE DE RELAÇÃO SIMPÁTICA?

RESP.: Há, entre os seres pensantes, ligações que ainda não conheceis. O magnetismo é a bússola dessa ciência, que mais tarde compreendereis melhor.

13 - DE ONDE VEM A REPULSA INSTINTIVA QUE SE EXPERIMENTA POR CERTAS PESSOAS, À PRIMEIRA VISTA?

RESP.: Espíritos antipáticos, que se percebem e se reconhecem, sem se falarem.

14 - A ANTIPATIA INSTINTIVA É SEMPRE UM SINAL DE NATUREZA MÁ?

RESP.: Dois Espíritos não são necessariamente maus, pelo fato de não serem simpáticos. A antipatia pode originar-se de uma falta de similitude do modo de pensar. Mas, à medida que eles se elevam, os matizs se apagam e a antipatia desaparece.

15 - COMO DEVEMOS ENTENDER A SIMPATIA E A ANTIPATIA?

RESP.: A simpatia ou a antipatia têm as suas raízes profundas no espírito, na sutilíssima entrosagem dos fluidos peculiares a cada um e, quase sempre, de modo geral, atestam uma renovação de sensações experimentadas pela criatura, desde o pretérito delituoso, em iguais circunstâncias. Devemos, porém, considerar que toda antipatia, aparentemente a mais justa, deve morrer para dar lugar à simpatia que edifica o coração para o trabalho construtivo e legítimo da fraternidade.

16 - PODEREMOS OBTER UMA DEFINIÇÃO DA AMIZADE?

RESP.: Na gradação dos sentimentos humanos, a amizade sincera é bem o oásis de repouso para o caminheiro da vida, na sua jornada de aperfeiçoamento. Nos trâmites da Terra, a amizade leal é a mais formosa modalidade do amor fraterno, que santifica os impulsos do coração nas lutas mais dolorosas e inquietantes da existência. Quem sabe ser amigo verdadeiro é, sempre, o emissário da ventura e da paz, alistando-se nas fileiras dos discípulos de Jesus, pela iluminação natural do espírito que, conquistando as mais vastas simpatias entre os encarnados e as entidades bondosas do Invisível, sabe irradiar por toda parte as vibrações dos sentimento purificadores. Ter amizade é ter coração que ama e esclarece, que compreende e perdoa, nas horas mais amargas da vida. Jesus é o Divino Amigo da Humanidade. Saibamos compreender a sua afeição sublime e transformaremos o nosso ambiente afetivo num oceano de paz e consolação perenes.

04 - ANTIPATIAS

Simpatias e Antipatias Terrenas
Palestra Virtual
Promovida pelo Canal #Espiritismo
http://www.irc-espiritismo.org.br
em conjunto com o Centro Espírita Léon Denis
http://www.celd.org.br

Palestrante: Vera Sá
Rio de Janeiro
10/07/1998

Organizadores da palestra:
Moderador: "Macroz" (nick: |Moderador|) "Médium digitador": "_Stone" (nick: Vera_Sa)

Oração Inicial:

<jaja> Senhor Jesus, aqui estamos, mais uma vez reunidos em Teu nome, buscando um entendimento maior das Leis Divinas através do estudo da Doutrina Espírita. Que possamos contar com a ajuda dos amigos da espiritualidade maior nos intuindo a seguir a direção, nesta palestra, para onde mais estamos necessitados de entendimento. Abençoe a nossa companheira Vera que tem hoje a responsabilidade de conduzir nossos pensamentos. E que possamos sair daqui com um pouco mais de conhecimento sobre os assuntos que dizem respeito a nossa vida espiritual. Fique conosco, Senhor, hoje e sempre! Que assim seja!

Considerações iniciais do palestrante:
<Vera_Sa> Boa noite a todos. Para iniciarmos a nossa conversa na noite de hoje, é importante que sinalizemos algumas idéias básicas que os espíritos trouxeram para nós e que encontramos em "O Livro dos Espíritos", nas perguntas 386 a 391. Vamos lá na 386(Será bom que vocês peguem o "Livro dos Espíritos" :)))) Na 386, quando se pergunta se dois seres que se conheceram e estimaram, ao voltarem em nova existência corporal se reconheceriam, os espíritos deixam claro que reconhecer-se não, mas "podem, porém, sentir-se atraídos um para o outro. E quando, na pergunta 390, assim nos colocam: que a antipatia instintiva pode derivar de diversas formas de pensar e nem sempre da "natureza má" dos espíritos, vale a pena a reflexão: Por que será que dizemos: "Nossa! Por mais que eu tente, eu não consigo ir com a cara do fulano?" Outra: "Engraçado, parece que eu te conheço há tanto tempo! Você não acha?" Outra: "Meu 'santo' não vai com o dele!" Outra: "Sabe de uma coisa: Eu acho que é uma questão 'de pele'. Ou será de 'sangue'? Ou será de 'energia'". Então existe antipatia e simpatia à primeira vista? Será reencontro do passado? É bom lembrar (só para estimular vocês aí) que no dicionário, simpatia quer dizer afeição e antipatia, aversão. Na Doutrina Espírita, nós aprendemos que: "Quem se parece se reúne..." Nas cartas de Paulo aos Tessalonicenses, encontramos: "Observa o que fazes de ti, em que te trocas. Ainda que o não reconheçamos, de pronto, cada um de nós se dá por aquilo que busca. Examinai tudo e retende o Bem." (t)

Perguntas/Respostas:
<[Moderador]> [1] <PalomaBlanca> Pode um obsessor gerar ondas de antipatia entre duas pessoas que se amam?

<Vera_Sa> As ligações de simpatia e antipatia ocorrem de encarnado para encarnado, mas também de desencarnado para desencarnado. Basta que haja a sintonia. Simpatia é diferente de mera cordialidade, de ser gentil e antipatia também é diferente de apenas "repulsa" por alguém com quem eu "impliquei". Não só as obsessões, como quedas de médiuns, como intuições positivas são influências do mundo espiritual em nossas vidas, permitidas inclusive por nós mesmos. (t)

<[Moderador]> [2] <Mart> A aversão que algumas mulheres, quando estão grávidas, nutrem pelos companheiros pode ser gerada pela criança que vai nascer?

<Vera_Sa> Na verdade não é tão fácil analisar estes tipos de casos. Se nós formos nas obras de André Luiz, vamos encontrar a preparação da encarnação de Segismundo e verificaremos como as simpatias e antipatias se dão e como esses espíritos recebem apoio na espiritualidade e como a família também é intuída e protegida para que estas relações fluam melhor. Por dedução, podem acontecer casos, dependendo das relações anteriores destes espíritos, ou mesmo dos seus sentimentos, afins ou não, que ocorra o fato descrito por você. Mas cuidado! Não existe "receita de bolo". Cada caso é um caso. (t)

<[Moderador]> [3] <Juliah> Amiga Vera, como explicar o caso em que temos um enorme carinho por uma pessoa, uma grande preocupação com seu bem estar, mas sentimos uma certa repulsa quando percebemos uma aproximação física, um mal-estar simplesmente pelo fato de estarmos perto um do outro no mesmo ambiente?

<Vera_Sa> Será interessante lermos a pergunta 386 de "O Livro dos Espíritos" e o subitem a. Verifiquemos que uma parte da resposta dada pelos espíritos com relação a pergunta 388 poderá nos dar material para uma reflexão: "... o magnetismo é o piloto desta ciência, que mais tarde compreendereis melhor. Entre os seres pensantes há ligação que ainda não conheceis." Não podemos também esquecer da lei de causa e efeito, da escolha das provas e das nossas necessidades de vivermos no convívio social, facilitando o nosso progresso espiritual.(t)

<[Moderador]> [4] <jaja> O fato de sentirmos antipatia por alguém, significa que fomos necessariamente inimigos em outra encarnação?

<Vera_Sa> Não. Podemos ter nessa encarnação idéias contrárias sobre determinado assunto. Em "O Livro dos Espíritos", nas perguntas 484 a 488, encontramos respostas sobre a afeição que os espíritos votam a certas pessoas: os bons espíritos simpatizam com os homens de bem ou aqueles que se esforçam para chegar lá. Os espíritos inferiores com os homens viciosos ou com tendências para tal. Reforce essa questão com a pergunta 390 de "O Livro dos Espíritos". (t)

<[Moderador]> [5] <Luno> Nos diz "O Livro dos Espíritos" que no estágio de desenvolvimento no qual nós encontramos, estamos mais próximos do ponto de partida do que do ponto de chegada, ou seja, estamos mais próximos de nossa natureza animal do que de nosso futuro angelical. Estando sujeito às inclinações animais, poderíamos sentir uma antipatia INSTINTIVA por certas pessoas ou até mesmo seres vivos da mesma forma que um cachorro sente.

<Vera_Sa> Quando temos dificuldades para explicar, é melhor irmos a "O Livro dos Espíritos". Vamos a Lei do Progresso, pergunta 776: "Serão coisas idênticas o estado de natureza e a lei natural?" A resposta: "Não, o estado de natureza é o estado primitivo. A civilização é imcompatível com o estado de natureza, ao passo que a lei natural contribui para o progresso da Humanidade." O homem não retrograda. Ver "O Livro dos Espíritos" perg. 778 Tem inteligência, livre-arbítrio e a lei natural está guardada na consciência. O instinto de sobrevivência, ou outro qualquer, perpassa por estas outras questões que já foram levantadas. Vide "O Livro dos Espíritos", 71 a 75. (t)

<[Moderador]> [6] Temos duas perguntas que se relacionam: a)<Oraculo> A simpatia e antipatia terrenas com pessoas desconhecidas pode ter sua origem em outro fator que não as existências passadas? b)<neeg1> então estas antipatias algumas vezes, se originam nesta atual encarnação ?

<Vera_Sa> Em "O Livro dos Espíritos", na pergunta 386, encontramos: "Podem dois seres que se conheceram e estimaram encontrar-se em outra existência corporal e reconhecer-se?" A resposta: "Reconhecer-se não. Podem, porém, sentir-se atraídos um pelo outro. E, freqüentemente, diversa não é a causa de íntimas ligações fundadas em sincera afeição. Um do outro, dos dois seres se aproximam devido a circunstâncias aparentemente fortuitas, mas que na realidade, resultam da atração de dois Espíritos, que se buscam reciprocamente por entre a multidão" Só que, na verdade, podem não ter se conhecido em outras existências, mas são espíritos afins ou por ideais ou por sentimentos ou por necessidades. São espíritos simpáticos. Não podemos esquecer que isto não quer dizer estarem no caminho do bem. Nossos sentimentos, objetivos e idéias podem estar distorcidos, não acompanhando a Lei Divina. Como também podemos dizer: Somos antipáticos àquele grupo. Mas isso acontece porque nossas idéias se contrapõe às deles, por já conhecermos ou recordarmos a Lei de Deus, que está gravada em nossa consciência. (t)

<[Moderador]> [7] Duas Perguntas, amiga Vera: a) <dilmaa> Sou gêmea com um rapaz e, às vezes, me pergunto: parece não haver nada de ligação. Ele segue sua vida, e eu a minha. Pode espíritos sem nenhuma ligação, aproveitarem o mesmos momento para reencarnar ? b)<neeg1> Que fazer quando realmente achamos dificílimo encararmos uma determinada pessoa e precisamos conviver com ela ?

<Vera_Sa> Primeiramente, somos individualidades. Depois, gêmeo quer dizer semelhante e não idêntico ou cópia. Somos semelhantes em origem e futuro e o objetivo da reencarnação é propiciar a nossa volta de forma a facilitar o progresso individual e também coletivo. Ser gêmeo com alguém é uma oportunidade de começarmos a encontrar essa relação mais íntima, buscando nossas afinidades.(t)

Considerações finais do palestrante:

<Vera_Sa> Os companheiros aqui do CELD me ajudando numa sintonia simpática[:)))], lembraram dos itens de "O Livro dos Espíritos" 207 a 217, particularmente a 213. Na nossa mensagem de encerramento, gostaríamos de dizer que esta experiência é de grande valia para todos nós, mas, principalmente, porque nos oferece a chance não só do estudo, como a oportunidade de usarmos a tecnologia na divulgação doutrinária. Mas existe outra questão de suma importância: no de angariarmos novas amizades. E foi pensando nessas novas uniões "internautas" e nas nossas diferenças individuais e dificuldades de relacionamento do dia a dia, é que deixamos com vocês o nosso agradecimento e a nossa alegria de podermos estar aqui nesta noite. Deixamos do Livro "Veleiro de Luz", de Maria Cecília Paiva a mensagem da página 210, assinada pelo espírito Sarai, da qual retiramos o seguinte: "Quando vossas mãos pegam a rosa linda e perfumada o primeiro cuidado é tirar os espinhos para que não vos firam. Também, nas vossas relações entre amigos, familiares ou inimigos, procurai a formosura dos sentimentos que sobrepairam nos corações e retirai, cautelosos, os espinhos para que suas pontas agudas não vos firam...". Beijos a todos! (t)

Oração Final:

<Myosotis> Agradecemos, Pai amado, por esta oportunidade que nos foi concedida, de aqui podermos compartilhar com nossos amigos e irmãos de momentos valiosos, onde estudamos e divulgamos a nossa Doutrina amada. Que os Bons Espíritos nos permitam sempre estes momentos de fraternidade, união e amor, para que a cada dia possamos dar um passo a frente em nossa evolução e também no auxílio a tantas pessoas necessitadas de entendimento. Obrigada, Pai! Obrigada Mestre Jesus! Obrigada Espiritos Benfazejos! Graças a Deus!