DIABETES
BIBLIOGRAFIA
01- DOENÇAS DA ALMA , pag. 74 02 - PSIQUISMO: FONTE DA VIDA, pag. 121
03 - SAÚDE E ESPIRITISMO, pag. 389 04 -

LEMBRETE: O NÚMERO DA PÁGINA PODE VARIAR DE ACORDO COM A EDIÇÃO DA OBRA CITADA.

DIABETES – COMPILAÇÃO

01 - DIABETES

Diabete

Esta é uma doença causada pela ausência ou deficiência da produção de insulina que é um hormônio produzido pelo pâncreas, responsável pela absorção da glicose do sangue que vai alimentar as células. Quando a insulina tem produção diminuída ou estaguinada, provoca a elevação da glicose no sangue, cuja taxa normal, em jejum é de 70 a 110 mg por 100 ml de sangue. SINTOMAS E COMO ADQUIRE-SE A pessoa começa a apresentar sede intensa, urinas freqüentes e em grandes quantidades, fome exagerada, perda de peso ou obesidade, sistema imunológico fraco, desânimo, cansaço, coceira no corpo, visão turva, câimbras, impotência sexual, cicatrização difícil etc. Muitas vezes, a doença não apresenta nenhum sintoma, podendo-se passar anos sem a pessoa descobrir que tem diabetes. É adquirido por vários fatores como hereditariedade, infecção viral quando os anticorpos produzidos para combater a infecção destroem o pâncreas atingindo as células que produzem a insulina, mas a maioria contrai por causas desconhecidas e para nós naturopatas seriam provenientes de maus hábitos alimentares e estados emocionais negativos. Inúmeras pessoas têm sido beneficiadas com o tratamento natural, algumas delas conseguindo reverter o quadro, obtendo cura total. Mas, porque outras não? Esta diferença se dá não só porque cada corpo é um corpo, mas, principalmente, porque cada um sente e pensa de maneira diferente.

QUERER OU NÃO QUERER… Uma senhora com cerca 40 anos, bonita, empresária bem sucedida, inteligente, com tudo para ter o emocional equilibrado, está com princípio de diabetes. Ela gosta muito dos tratamentos naturais, pede informações, escuta com atenção, parte dela quer tratar-se desta maneira, porém uma outra parte impede que vá em frente, como se seu inconsciente desejasse esta doença. Querer ou não querer, só ela poderá decidir, porém vou dar algumas possibilidades do porquê desse choque entre o consciente e inconsciente: - Apego à situação: Ficar doente foi a maneira que encontrou de dizer para as pessoas mais próximas que, está sofrendo, não agüenta mais viver desta maneira, pede socorro e ninguém escuta. - Agora, ninguém vai irritá-la, todos vão fazer o que ela quer porque o médico já disse que parte desta doença é emocional. - Quer ser uma pessoa comum, comer de tudo, fazer de tudo que a parafernália da vida oferece, porém a alma quer evoluir, cumprir missão e está dizendo: é hora de mudar de hábitos para sutilizar a matéria e crescer em espírito. Muitas vezes, ouvi desta pessoa o quanto gostaria que sua vida fosse mais natural e relaxada e que o mundo fosse melhor. Mas não se deu conta que para que isso aconteça é necessário que aja uma consciência individual, depois coletiva. Não será um presente que sua alma está lhe dando: a diabetes, já que, conseguindo mudar-se, terá possibilidades de mudar muitas pessoas com o seu exemplo, dentro da sua própria empresa, com seus empregados e clientes que são muitos e têm uma relação muito direta com ela?

COMO MUDAR PARA LIVRAR -SE DO DIABETES Observar o corpo. Logo vai perceber que alguma coisa errada está com seu intestino, seja ressecamento, prisão de ventre, gases, enfim o diabetes apesar de ser deficiência do pâncreas é também mau funcionamento do intestino. Então a primeira coisa a fazer é cuidar dele que deve funcionar de 2 a 3 vezes ao dia, se isto não está acontecendo é preciso estimular mudando a alimentação. (vide Saúde Integral número 8, como fazer um cardápio). É necessário retirar todos os tipos de carnes vermelhas ou brancas. O açúcar nem se fala, porém , em alguns casos pode ser liberado o mel de abelhas. Os dietéticos são nocivos para a saúde, a maioria deles já foram denunciados como cancerígenos. Quanto a stévia, só é natural se estiver em folhas frescas ou secas, que são verdes e não brancas como se apresenta o pó vendido no mercado, portanto não deve ser usado. O alimento ideal para o ser humano é aquele que saiu da feira como verduras, legumes, frutas e não o industrializado. Há muitos alimentos que contém açúcar como o amido (pão, arroz, batata) as frutas em geral, podem ser usados desde quando sejam frescas, nunca industrializadas nem congeladas. Os amidos integrais, como as farinhas (trigo, aveia etc) e o arroz nunca devem ser refinados.

Por tanto comer arroz integral, pão integral, não darão problemas para o diabético se devidamente orientado. Sucos de folhas verdes são recomendados, principalmente se passado na centrifuga em vez do liqüidificador. Beber bastante água durante o dia, longe das refeições.

FITOTERAPIA Existe uma folha chamada pata – de – vaca, excelente para diabetes, porém o chá, não trará resultados. Esta folha deve ser macerada no álcool de cereal, transformada em tintura porque só desta maneira é extraído seu principio ativo. Outros chás: insulina, pau de ferro, graviola e cana do brejo.

INSISTÊNCIA AO PASSADO Aí está o sentimento negativo do diabético. Ele fica só no passado. Se você é diabético ou conhece alguém que é, observe se não há tendência de ficar recordando, querendo voltar para ser feliz ou lastimando o passado. Existe um floral de Bach que pode curar este sintoma é o Honeysucle. Esta é a tendência geral, pode haver exceções, tem um ditado que diz que: “na medicina e no amor, nem nunca nem sempre”.

OUTROS PROCEDIMENTOS RECOMENDADOS - Limpezas intestinais periódicas (enemas) - Barro ao ventre todos os dias, durante o mínimo de 2 horas - Faixa úmida nas refeições - Frotações várias vezes por dia, sendo a 1a. ao despertar - Tintura de pata – de – vaca: 7 gotas 4 vezes ao dia - Usar chá de insulina, pau de ferro, graviola ou cana do brejo: 3 copos diários, variando a cada 30 dias - Exercícios físicos (caminhada, bicicleta, natação, etc.) - Suco desintoxicante: Passar na centrifuga: - 3 tipos de folhas diferentes (couve, alface, dente de leão, rúcula, salsão, agrião, alho porro, hortelã, chicória, folhas de cenoura, folhas de beterraba, almeirão, etc.) - 2 raízes ( cenoura, bardana, nabo, rabanete, inhame, beterraba, etc.) - 1 maçã Beber imediatamente 2 a 3 vezes ao dia . Este suco ajuda a desintoxicar todo o organismo, é antioxidante, combatendo os radicais livres, maior inimigo da medicina ortomolecular. Observação: Não ingerir mais que 1/3 de um copo de uma só vez, porque é bastante concentrado e não deve ser diluído na água. Fique atento: - Se houver diabéticos na família - Com crianças que nascem com mais de 4 quilos e meio - A hipoglicemia, que é a falta de açúcar no sangue, porque pode ser o princípio do diabetes, que é o excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia). - Se seu intestino não funciona todos os dias

DICAS: - Não impressione com as conseqüências que o diabetes pode ter porque se você fizer um tratamento natural radical o quadro pode reverter e curar, não somente controlar. - Embora tenham dois tipos de diabetes, a naturopatia trata de uma maneira só. - Estabeleça horários para se alimentar e evite comer em demasia, saia da mesa com um pouco de fome para dar espaço a seu estômago retornar à posição normal (os alimentos pesados deixa-o dilatado) e nunca coma depois do sol se por. - Ao contrário do que muitos pensam, a primeira e última refeição devem ser mais leves. - Experimente fazer uma dieta de frutas durante 3 dias todo mês. - Caminhar todos os dias durante o mínimo de 30 minutos pode evitar. - O stress pode gerar esta ou outras doenças. - Procure viver em harmonia no trabalho e com os familiares. - Não use sapatos apertados. - Mude sua alimentação sem achar que é sacrifício, como todo hábito logo estará adaptado e agora a comer corretamente. Uma dieta com fritura ou muito sal, por exemplo, não faz bem para ninguém.

Combine os alimentos, as cores e os sabores e COMA COM PRAZER! Bibliografia: Estudos com Dr. Áureo A. Caribe (médico clínico) Curso Dr. Fernando Hoisel (médico clínico) Boletins informativos sobre Diabetes
Suzete é Naturopata, Iridóloga e Instrutora dos Exercícios Visuais. Autora do livro: Cuide de Seus Olhos - FORUM ESPIRITA

02 - DIABETE

A DOENÇA NA VISÃO ESPÍRITA
(matéria publicada na Folha Espírita

Jorge Cecílio Daher Junior (AME-GO), Médico endocrinologista

Não sou médica, mas, como espírita e mãe de uma jovem de 19 anos com diabetes tipo 1 há dois anos, gostaria de conhecer o pensamento da Associação Médico-Espírita sobre o significado dessa deficiência.
(Rosaly Guimarães, Paulista - PE)

Prezada Rosaly. A Associação Médico-Espírita não se posiciona sobre doenças, mas tenta compreender os mecanismos da saúde e da doença sob a ótica do modelo médico-espírita. No caso do diabetes, que é uma doença de múltiplas facetas, utilizamos a compreensão que o modelo científico nos oferece para servir de base à compreensão médico-espírita do problema. Vamos lá então:

1) No diabetes, seja tipo 1, tipo 2 ou gestacional, existe uma “programação genética” para a redução das células que produzem insulina (essa redução é total no tipo 1 e quase total no tipo 2). Uma programação genética é efetivada quando existe uma combinação de fatores que propiciam a ativação dos genes envolvidos, e esses fatores envolvem o ambiente (fatores externos) e o tipo de reação que o organismo apresenta aos genes e ao ambiente (fatores internos). O fator “organismo” engloba os componentes psíquicos e espirituais.

2) A programação espiritual de uma doença envolve os centros de força do perispírito, que manifestarão, no “momento adequado”, alterações energéticas que sinalizarão para o corpo físico a reação da doença, ativando genes e componentes psíquicos; basta um “gatilho” do ambiente para o desenvolvimento de doenças. Quando adoecemos, manifestamos uma reação que se iniciou muito tempo antes da doença em si mesma. Estão em andamento várias pesquisas que buscam compreender o diabetes tipo 1 antes de sua manifestação, prevenindo a expressão da doença, usando marcadores genéticos, programação que existe antes da efetivação da doença, mas todas essas pesquisas encontram fatores limitantes. Analisando o papel dos centros de força no diabetes tipo 1, vamos com André Luiz, no livro No Mundo Maior, compreender que o centro Solar é responsável pela absorção das energias através dos alimentos, e também que o centro Esplênico atua como centro independente, mas profundamente interligado, servindo como uma espécie de filtro ao Solar. São os centros de força envolvidos no desenvolvimento do diabetes tipo 1, numa fase em que a doença ainda não se manifestou. O que é interessante e importante é você e sua filha saberem que novos tratamentos são acessíveis, que existem abordagens dietéticas que permitem cada vez mais uma alimentação próxima da normal (incluindo doces, no caso da Contagem de Carboidratos) e que não há castigo, mas oportunidade de crescimento espiritual. Compreendemos sua busca, como mãe, bem como o desconforto a que sua filha foi submetida pela manifestação do diabetes tipo 1.

Tenho 4l anos e, em setembro de 2001, fiz a primeira cirurgia de hérnia de hiato. Em janeiro de 2003 retirei as tireóides, pois havia um tumor em cada uma. Em agosto de 2004 fiz nova cirurgia de hérnia de hiato. Em março de 2005 surgiu uma diabetes mal explicada e fui internada com 639 de diabetes. Comecei meu tratamento para emagrecer e, em setembro de 2005, tive de ser internada com urgência, devido a um tumor maligno de retroperitônio, com 2.450 g. Após a sua retirada, fui informada de que as margens após a cirurgia estão livres de neoplasia maligna, porém terei de fazer uma provável quimioterapia adjuvante. Será que existe explicação? Sou uma pessoa estressada, tenho feito tratamentos espirituais e sei que preciso melhorar meu modo de vida, mas nunca falei com um médico espírita. O senhor acredita que nada acontece por acaso?
(Rosimeire Aparecida dos Santos Pardim, Santo André - SP)

Prezada Rose. Ao ler o texto que relata seu drama, logo relacionei com a história de duas pacientes que acompanho, muito parecida com a sua: uma sucessão de diagnósticos difíceis, de doenças sérias, tratamentos desgastantes e, curioso, com uma seqüência semelhante. Sim, nada acontece por acaso, mas por que as coisas acontecem? O Espiritismo, em sua vertente de Ciência compromissada com o Consolador, busca compreender o mecanismo de ação da Misericórdia Divina, e já nos faz perceber, com o auxílio das obras de Emmanuel e André Luiz, através de Chico Xavier, que as doenças chamadas cármicas (essa sucessão de doenças não se deu por acaso!) se manifestam como etapas finais de um processo de reequilíbrio do corpo espiritual. O perispírito, que é o veículo de expressão do espírito, permitindo o seu relacionamento com a dimensão material e astral, reflete a disposição da mente (espírito) que, em casos como o seu, pode refletir e traçar metas, com o auxílio de entidades generosas, e se percebeu em necessidade de reparação, de expressar no corpo físico possibilidades de crescimento espiritual através de doenças capazes de levar a um conhecimento maior de si mesmo (esse é o papel da dor, como diz Allan Kardec em A Gênese: “A dor é o aguilhão divino que impele o homem para frente na senda do progresso”). Seu sofrimento não é em vão, nem solitário, é ação da Misericórdia Divina, que, segundo Emmanuel, antecede a Justiça Divina e a atenua quando encontra o homem em trabalho de busca de si mesmo. Siga em frente, tenha o bom ânimo recomendado por Jesus. Você está vencendo etapas que muitos jamais ousaram iniciar! Mantenha-se em sintonia, continue com passes e água fluidificada e com a saudável prática da prece.

03 - DIABETE

Folha espírita (FE)- Diabéticos que passam por tratamento espiritual ou adicionam a espiritualidade respondem melhor ao tratamento?

Jorge Cecílio Daher (JCD)- Os pacientes portadores de diabetes ou de qualquer doença crônica, quando apresentam história sócio-espiritual de adesão à sua profissão de fé religiosa e à prática de orações, apresentam melhor resposta ao tratamento, e mais importante, um menor número de complicações. Outro dado interessante é que esses pacientes, quando expostos a complicações dolorosas, apresentam maior tolerância à dor, ou seja, a intensidade e o desconforto causados pela dor são menores.

FE – Já foram feitas pesquisas nesse sentido?

JCD – As pesquisas com técnicas de espiritualidade no manejo das doenças crônicas podem ser encontradas sob o título intervenção mente-corpo, que são técnicas amplas, desde o yoga ao biofeedback, e mostram melhor controle do diabetes quando essas técnicas são aplicadas, sendo superior, a longo prazo, ao benéfico efeito da educação em diabetes. Pesquisas com prece intercessória ainda são escassas nesse grupo de pacientes. Trabalhos publicados pelos doutores Koenig, McCullough e Larson, no Handbook of Religion and Health, mostram que há aumento da sobrevida entre as pessoas religiosas, com relação direta entra a frequência a cultos, como marcador de espiritualidade, e redução dos níveis de marcadores inflamatórios relacionados a doenças cardíacas. Pode-se extrapolar o mesmo para diabetes.

FE – Diabetes pode sumir ou ser controlada?

JCD – O diabetes é uma doença crônica, de origem em múltiplos fatores, decorrente de uma interação entre genes, ambiente e a resposta individual de cada organismo. Ao surgir, o diabetes já denota um defeito na produção de insulina. A doença, na grande maioria dos casos, número esse que se aproxima do absoluto, não tem possibilidade de cura, mas sim de controle. É sobre a melhora do controle do diabetes que as técnicas de espiritualidade adicionam fator fundamental. Um trabalho muito interessante, publicado em 2002 por uma das maiores revistas especializadas em diabetes do mundo, a Diabetes Care, mostrou que atividades que diminuem o stress, interferem favoravelmente nos níveis de hemoglobina glicada, o melhor marcador de controle da glicose. Esse trabalho envolveu o acompanhamento de 108 pacientes, durante um ano, e a técnica aplicada tem resultados semelhantes ao da meditação transcendental, do relaxamento e das visualizações terapêuticas. A agência de notícias Reuters veiculou, inclusive, neste ano, notícia sobre efeitos benéficos da meditação na redução do risco de se desenvolver doenças cardíacas.

MEDICINA E ESPIRITUALIDADE FONTE

Há uma causa espiritual para o diabetes?

Diabetes Mellitus é uma doença sistêmica, caracterizada pela incapacidade do organismo em controlar a glicose (açucar). Um hormônio chamado insulina, produzido no pâncreas é o responsável por metabolizar o açucar, armazenando esse importante nutriente no músculo, na gordura e no fígado. Quando ocorre a destruição auto-imune das células que produzem insulina (células Beta) temos o diabetes tipo 1. No tipo 2 ocorre um misto de produção deficiente com uma dificuldade na ação da insulina, a chamada resistência insulínica, causada principalmente pelo excesso de peso. Sem dúvida alguma a glicose é a nossa principal fonte de energia e qualquer descontrole no seu metabolismo pode levar a consequências severas.

Estima-se que em 2025 teremos mais de 300 milhões de diabéticos no mundo, o que sem dúvida nenhuma se consolidará como o maior problema de saúde pública do planeta.

Pensando sempre sob a ótica médico-espírita, reencarnacionista, como endocrinologista nos sentimos intrigados do porque disso. Sendo Deus um Pai amoroso e extremamente misericordioso, não podemos concordar com a ótica defendida por alguns segmentos que mesmo crendo em vidas sucessivas, atribuem o sofrimento humano a Lei de Talião, olho por olho, dente por dente. Estariam os diabéticos pagando por algum mal que praticaram no passado?
Com certeza todos nós colhemos os frutos que plantamos no passado, quando ainda andávamos completamente distantes do caminho traçado por Cristo.

Mas isso não configura um ato de vingança da vida contra nós, nos submetendo a tortura e doenças pré-determinadas. Os atos praticados nas vidas anteriores ficam impressos no nosso psiquismo e consequentemente em nosso corpo sutil, promovendo a tendência a determinadas doenças, atuando nos genes, atraindo o óvulo mais apropriado e também o espermatozóide mais condizente com nossas necessidades.

Quando observamos o diabetes fica claro que não existe uma causa simples, do tipo o fulano deu um tiro no coração do beltrano na vida passada e agora nessa vida veio com um problema na válvula cardíaca. A genética do diabetes é poligênica, ou seja, não existe só um gene responsável pela doença, são vários e cada pessoa tem uma característica diferente da outra, e é porisso que alguns diabéticos não cuidam tanto e vivem quase normalmente e outros apesar dos cuidados intensivos apresentam várias complicações da doença.

Se não há uma causa única, porque quase 10% da população apresenta essa doença séria? O diabetes é hoje a principal causa de doença cardiovascular do mundo!
Entendemos que o sentido é mais corretivo, é na verdade uma grande oportunidade do paciente diabético despertar para necessidades evolutivas, fato que poderia não ocorrer se ele não apresentasse a doença. Raciocine comigo :

- Um adolescente com diabetes é levado desde cedo a ter uma alimentação saudável, não fumar, não ingerir bebida alcoólica e não usar drogas. Tem um conhecimento muito grande do seu corpo e de suas reações e com isso amadurece muito mais cedo. Isso tem de ser entendido como um fator positivo e não como um castigo como alguns pais encaram, por mais dificil e complicado que seja ter um filho com diabetes. Ou Deus está no comando e tudo é para o nosso bem, ou nada tem sentido.

- O diabetes proporciona o treinamento da disciplina. Quem já teve uma baixa na glicose (hipoglicemia) sabe muito bem o que é isso. Há de se ter horários para tudo, para alimentação, para o remédio e para o exercício. Será que os diabéticos já pararam para pensar nisso? Em como um comportamento sem compromisso e sem disciplina pode ter prejudicado outros num passado distante ou recente?

- Humildade! Como uma doença crônica como o diabetes faz com que os pacientes percebam na sua totalidade a pequenez da espécie humana. Na dor, no sofrimento da família, na impotência dos pais em curar o filho, temos uma maravilhosa lição de humildade perante a grandeza da vida, nos montrando que toda soberba é ridícula, que toda sensação de grandeza é ilusória.
- Um dos principais fatores de descompensação da glicose são os problemas emocionais. Tentando não descontrolar o diabetes, o paciente aprende a ser mais tolerante com o próximo e tenta (pelo menos deveria tentar) deixar de se irritar com tudo e aprender a respeitar a diferença, preservando assim a sua saúde.

Passaríamos horas discorrendo sobre todas as possibilidades, mas o texto acima talvez resuma o mais importante em relação a necessidade dos diabéticos. Se você tem diabetes, pense nisso e aproveite a doença para observar quais são as suas dificuldades, o que é mais urgente que você modifique na sua forma de agir, de pensar e de se relacionar com as pessoas. Se você tem tendência a diabetes, tem parentes com a doença e está acima do peso, é sedentário, tem alimentação inadequada e bebe muito, mude enquanto é tempo. Não vá atrás da doença e depois fique falando que Deus castiga. Previna, mude seu comportamento antes da doença se instalar.

Paz e luz!

Fonte: Medicina e Espiritualidade