RECOMEÇAR
BIBLIOGRAFIA
01- DICIONÁRIO DA ALMA, pag. 321 02 - MEMÓRIAS DE PADRE VITOR, pag. 155
03 - NA LUZ DO EVANGELHO, 105 04 - NOSSO LAR, pag. 139
05 - NOVAS MENSAGENS DE SCHEILLA P/VOCÊ,pag. 41 06 -

LEMBRETE: O NÚMERO DA PÁGINA PODE VARIAR DE ACORDO COM A EDIÇÃO DA OBRA CITADA.

RECOMEÇAR – COMPILAÇÃO

01 - RECOMEÇAR

"Recomeçar", por Ofélia Maria

Recomeçar

Em alguns momentos das nossas vidas precisamos recomeçar, reaprender, voltar atrás e fazer diferente, ter a consciência e principalmente a humildade de sabermos que não deu ou não está dando certo o que havíamos planejado, e às vezes nem planejamos: simplesmente fomos vivendo um dia depois do outro, como diz o cantor: Deixando a vida nos levar…

Mas Deus, na sua infinita sabedoria, além de nos conceder o livre arbítrio, também nos concede o recomeço, tanto agora, encarnados, e principalmente quando reencarnamos.

Não importa a idade que tenhamos aqui, sempre uma nova porta se abre para nós; uma oportunidade surge do nada. É como se depois de uma longa jornada por uma estrada velha, já cansados da paisagem, que no começo nos pareceu tão bonita, tão especial e agora só nos parece triste e enfadonha — talvez porque nós também não somos os mesmos, perdemos o vigor, a vontade e talvez até a esperança. Sabemos agora que a estrada não nos levará a lugar nenhum ela está tão farta da nossa presença quanto nós da sua insensibilidade e do descaso ao nosso sofrimento, mas nós não temos coragem para sair, afinal de contas já andamos tanto conhecemos o caminho de cor e salteado porque se arriscar, pra que começar tudo de novo?

Ir por estradas desconhecidas, inseguras, não, não vale a pena.

E aí Deus põe um atalho ou um retorno bem a nossa frente, que não nos deixará opção, teremos que sair do comodismo em que nos encontrávamos mesmo achando ruim, já havíamos nos acostumados com aquilo e recomeçar por estradas nunca imaginadas, não será fácil, agente respira fundo, pensa, pensa, pensa e chega a conclusão que Deus não está nos vendo,não está conosco, só pode ser isso, ou então é castigo ou macumba, é inveja de alguém que nos via naquela estrada, inteirinha nossa, e mal sabia que não estávamos dando conta dela, não é assim que agente reage quando os desafios surgem na nossa vida?

Coitado do obsessor, esse então é responsável por noventa por cento dos nossos problemas, quando às vezes até ele já fugiu da gente.

E agora nessa nova estrada, zerada? E nós também zerados só que das nossas energias, das nossas forças,sem condição até para dar a partida e ai Deus vem e nos empurra, só assim mesmo pra gente pegar; No tranco, porque de outra forma não estávamos entendendo que o antigo caminho já estava morto e se continuássemos nele acabaríamos da mesma forma,e seja por medo, por insegurança, ou pela condição física, por qualquer motivo, encontramos desculpas para não começar uma nova jornada.Mas quando Deus nos coloca em uma nova jornada é porque Ele sabe que daremos conta,e porque não podemos passar anos preciosos de nossas vidas sobrevivendo, quando na verdade podemos sim, viver dias incríveis, de cansaço também,de frustrações, de perdas, mas principalmente de vitórias com direito a pódio e beijo de namorada, como bem disse o poeta.

Mas recomeçar nos dias atuais, é se reinventar, se reciclar, tirar todos aqueles sentimentos mesquinhos que antes lutávamos para mantê-los bem escondidinhos, no fundo dos nossos corações e fingíamos que eles não existiam, não em nós, só nos outros é claro, mentira pura, agente tem também, só que ao invés de escondê-los devemos arrancá-los e encher o espaço só com coisas boas e verdadeiras. Encher os nossos corações de sentimentos grandes assim como a terra que Deus nos deu, brilhantes como as estrelas, profundo como o mar e infinito como o céu, que em qualquer parte do mundo que agente esteja, caminhando ou correndo de carro ou a pé, ele sempre nos protege, vela por nós nos acompanha, tão longe e tão solidário.

Então vamos fazer como o Cristo disse a Nicodemos. Vamos nascer de novo a cada dia, procurando nos melhorar, corrigindo nossos erros e cultivando nossos acertos, seguindo nossos caminhos sem desanimar porque temos a nossa frente o Cristo e queremos muito chegar bem perto Dele, tocar em suas mãos e agradecer por sua presença o tempo todo ao nosso lado.

Ofélia Maria

02 - RECOMEÇAR

“A vida não cessa. A vida é fonte eterna e a morte é jogo

escuro das ilusões.

O grande rio tem seu trajeto, antes do mar imenso.

Copiando-lhe a expressão, a alma percorre igualmente caminhos variados e etapas diversas, também recebe afluentes de conhecimentos, aqui e ali, avoluma-se em expressão e purifica-se em qualidade, antes de encontrar o Oceano Eterno da Sabedoria.

Cerrar os olhos carnais constitui operação demasiadamente

simples.

Permutar a roupagem física não decide o problema fundamental da iluminação, como a troca de vestidos nada tem que ver com as soluções profundas do destino e do ser.

Oh! caminhos das almas, misteriosos caminhos do coração!

É mister percorrer-vos, antes de tentar a suprema equação da Vida Eterna!

É indispensável viver o vosso drama, conhecer-vos detalhe a detalhe, no longo processo do aperfeiçoamento espiritual!...

Seria extremamente infantil a crença de que o simples "baixar do pano" resolvesse transcendentes questões do Infinito.

Uma existência é um ato.

Um corpo - uma veste.

Um século - um dia.

Um serviço - uma experiência.

Um triunfo - uma aquisição.

Uma morte - um sopro renovador.

Quantas existências, quantos corpos, quantos séculos, quantos serviços, quantos triunfos, quantas mortes necessitamos ainda?

E o letrado em filosofia religiosa fala de deliberações finais e posições definitivas!

Ai! por toda parte, os cultos em doutrina e os analfabetos do espírito!

É preciso muito esforço do homem para ingressar na academia do Evangelho do Cristo, ingresso que se verifica, quase sempre, de estranha maneira - ele só, na companhia do Mestre, efetuando o curso difícil, recebendo lições sem cátedras visíveis e ouvindo vastas dissertações sem palavras articuladas.

Muito longa, portanto, nossa jornada laboriosa.

Nosso esforço pobre quer traduzir apenas uma idéia dessa verdade fundamental.

Grato, pois, meus amigos!

Manifestamo-nos, junto vós outros, no anonimato que obedece à caridade fraternal.

A existência humana apresenta grande maioria de vasos frágeis, que não podem conter ainda toda a verdade.

Aliás, não nos interessaria, agora, senão a experiência profunda, com os seus valores coletivos.

Não atormentaremos alguém com a idéia da eternidade.

Que os vasos se fortaleçam, em primeiro lugar."

André Luiz (espírito). Trecho retirado do livro "Nosso Lar"

É com essa mensagem do espírito de André Luiz contida no livro “Nosso Lar” que convidados o leitor à reflexão.

Boa parte das comunicações dos espíritos retrata a angústia dos mesmos ao tomar consciência do tempo perdido ao longo de suas reencarnações. A existência corpórea deve ser vista como uma valiosa oportunidade de regeneração e evolução espiritual.

É preciso, antes de tudo, entender que a vida não termina com o fechar dos olhos, diante da morte do corpo físico, como destaca o espírito de André Luiz em sua mensagem. Mais do que isso, é necessário assimilar que somos eternamente responsáveis por aquilo que fizermos. E cada erro, cada minuto perdido soa como uma eternidade na consciência do espírito errante.

Compreender a pluralidade das existências nos permite enxergar adiante, faz saber, que a vida não se resume em uma única oportunidade e que o espírito é imortal. O passado deve ser entendido como um aprendizado, o presente, uma preparação para um futuro melhor.

Somos criaturas imperfeitas, erramos e por isso devemos nos esforçar para evoluir. Plantemos agora boas sementes para que a colheita seja satisfatória.

Muitas vezes, os motivos dos nossos sofrimentos estão nas ações praticadas por nós no pretérito. Sempre que erramos, somos convidados a consertar o erro e então temos que começar tudo novamente. Deus, em sua infinita sabedoria e misericórdia, sempre nos concede novas oportunidades. É como disse certa vez Chico Xavier: “Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo. Qualquer um pode recomeçar agora e fazer um novo fim”. Por isso devemos aproveitar a oportunidade que nos foi confiada como se fosse a última. Quanto antes entendermos esse mecanismo, mais rápido chegaremos a perfeição.

Analisemos outra mensagem, esta, psicografada pelo espírito de Luciano, endereçada a seus familiares e a todos que tomarem conhecimento:

“O tempo tem corrido, mas as reminiscências do passado estão presentes a todo o momento.

As impressões agradáveis dos momentos intraduzíveis que ficaram no pretérito são quase palpáveis, todavia, logo se percebe que o passado não volta.

Quantos erros são necessários para se chegar ao caminho certo?

Cada decisão é capaz de dar novos rumos ao destino.

O fato é que as coisas mudaram, têm mudado e continuam numa roda girante. E cada escolha leva a um caminho que não permite voltar, apenas seguir adiante.

Alegria ou tristeza, ou às vezes, uma se escondendo atrás da outra.

E então no momento de reflexão questiona-se: Mas... E se, talvez, tivesse feito diferente...

Só que no jogo da vida não há espaço para arrependimentos. O jeito é assumir a responsabilidade dos atos e tocar em frente, mesmo quando a vontade é de jogar tudo para o alto.

Mas acredite, dizem que o tempo é o senhor do destino, e qualquer hora, “as coisas se encaixam”, os sentimentos adormecem, a saudade e a culpa se amenizam, tal qual um vulcão após uma erupção avassaladora.

E é ai que será possível recomeçar.

Mas é necessário entender: Nada será igual!”

Luciano (Espírito)

Esta psicografia retrata as sensações de um espírito que sente-se culpado por não ter aproveitado uma oportunidade de regeneração. O espírito de Luciano traduz a angustia de um recém-desencarnado que toma a consciência do tempo perdido, torturado pelas lembranças, ciente de seus erros, mas que ao mesmo tempo traz uma mensagem de alerta para os que ficaram, mostrando que é possível, a qualquer momento, recomeçar, basta despertar-se para a realidade.

Mas, como sabemos se estamos agindo certo?

A resposta é simples. Seguindo os ensinamentos do Mestre. O próprio Cristo ensinou: “Não façais aos outros o que não quereríeis que vos fosse feito, mas fazei-lhe, ao contrário, todo o bem que está em vosso poder fazer-lhe.”

Sempre é possível fazer uma auto-avaliação. Ao final do dia, quando colocamos a cabeça no travesseiro devemos perguntar ao nosso íntimo o que fizemos naquele dia que merece uma mudança de atitude. Nossa própria consciência se torna nosso maior sensor.

Fazer o bem sempre, amar toda e qualquer criatura sem esperar ser amado e perdoar quantas vezes for necessário. Esta é a receita para felicidade.

03 - RECOMEÇAR

Na visão da Psicologia Profunda, a realidade verdadeira do homem é aquela que transcende os limites do objetivo, do temporal, isto é, do material. Somos espíritos, manifestando-nos através da indumentária carnal.

A princípio, criados simples e ignorantes, a partir da aquisição do livre-arbítrio, começamos a fazer escolhas. Essas, quando condizentes com as leis naturais da Vida, nos proporcionam equilíbrio, mental, emocional, físico e espiritual. Quando contrárias ao que é bom, belo, ético e estético, criam conflitos para seu emissor, conscientes ou inconscientes. Entendemos que os conflitos em si são positivos, uma vez que apresentam experiências inconscientes, necessitando serem conscientizadas.

Quando isso ocorre, necessário se faz refletir para autodesenvolver-se. Transcender o ego, permitindo que a vida seja conduzida pelo Self, o centro organizador. Procurar analisar a experiência como aprendiz da Vida e decidir recomeçar, sempre que necessário, participando ativamente do próprio processo de atualização, como cocriador do próprio destino.

Viver é escolher, e saber escolher é uma arte. A proposta da Psicologia Espírita é auxiliar o homem-espírito a sair do estado de inconsciência para o de consciência. Baseada na Teoria da Reencarnação, ela visa oferecer, ao indivíduo, um convite ao autoencontro, considerando tanto sua anterioridade como seu devenir. Para progredir, é fundamental recomeçar do ponto anteriormente atingido.

Sabendo que a vida é transitória e que as tribulações que lhe são inerentes constituem meios de alcançar estados mais felizes quando vivenciados com sabedoria, convém participar da Vida com alegria, cientes de que fomos criados por amor e para amar. A alegria da vida está na expansão da consciência; o sofrimento, na sua limitação.

Visando o presente como oportunidade única de autorealização, consideremos todas as nossas experiências, boas ou más, como mecanismos impulsionadores a avançar sempre, sem medo da individualização.

Ao encontrar dificuldades no processo de espiritualização da personalidade, junte-se a nós, participando dos estudos que ampliam a autopercepção, trazendo conhecimento e liberdade com responsabilidade. Assim será mais fácil o reinício da aprendizagem que dará significado profundo à sua existência.

Evanise M Zwirtes é Psicoterapeuta e Coordenadora do The Spiritist Psychological Society, Londres-UK.