8 - O FUMO

FUMO é a designação genérica do tabaco - "Nicotina Tabacum". É uma grande erva da família das solanáceas, originária da ilha de Tobago, nas Antilhas. Quando Colombo chegou ao novo continente (na ilha hoje chamada Cuba), viu nativos trazendo à boca um fumegante rolo de folhas secas que tragavam e aspiravam a fumaça, demonstrando visível sensação de prazer.

Jean Nicot (1530-1600), embaixador francês em Portugal, em 1560 mandou de Lisboa três pés de tabaco a Catarina de Médicis (rainha da França), exaltando as virtudes medicinais da planta. Catarina, que tinha enxaquecas constantes, aspirano o fumo em forma de rapé, espirrava, com isso sentindo-se melhor. A moda pegou.

A - O CIGARRO

Admite-se que tenha sido um grupo de soldados turcos que inventou os cigarros. Enquanto defendiam a cidade de São João do Acre dos ataques de Napoleão, em 1779, o cachimbo comunitário foi destruído por uma bala. Enrolaram então o tabaco em papel embebido em nitrato utilizado para disparar os canhões.
Estava inventado o cigarro!
Somente no século XX se industrializou o fumo, surgindo aí os cigarros vendidos em maço (com 20 unidades).
O cigarro, aparentemente, é menos nocivo à saúde do que o álcool.
Só aparentemente!

B - Cigarro, o inimigo

Os cigarros possuem dentre outras substâncias tóxicas, os seguintes venenos:
• Nicotina
•Colidina
• Alcatrão
•Ácido cianídrico
• Monóxido de carbono - C02
• Fenol
• Furfural
• Formol
• Cresol
• Acroleína
• Piridina
• Arsênico
• Sais amoniacais

As primeiras tragadas são relativamente inócuas, pois o fumo e o filtro absorvem a maior parte do alcatrão e da nicotina. Logo após, porém, a nicotina e os demais produtos químicos começam a provocar a irritação dos delicados condutos pulmonares, segregando uma mucosidade ou humos viscoso. Essa mistura do alcatrão com o muco acaba por obstruir e deteriorar os pulmões. Quando no fim, o fumo aspirado encontra-se saturado de nicotina e demais produtos, que recobrem as paredes dos pulmões de alcatrão líquido, causando maior irritação e provocando mais segregação de muco que os dois primeiros terços do cigarro juntos.

Nicotina é um alcalóide vegetal desprovido de oxigênio, incolor, com odor semelhante ao da piridina. Altamente venenoso — mata insetos. É o primeiro componente do fumo. Cada cigarro contém 2 miligramas de nicotina. Metade dessa quantidade seria suficiente para matar uma pessoa se fosse injetada sob a pele. Sessenta miligramas correspondem a 30 cigarros. Se um homem fumasse 30 cigarros de uma vez, teria morte instantânea.

Colidina - o cheiro do fumo se deve a este alcalóide. Alcatrão - líquido escuro e viscoso de cheiro forte.

Ácido cianídrico - líquido incolor e volátil. É o mais rápido, violento e fulminante de todos os venenos conhecidos. Matou seu descobridor, Karl Scheele, químico suíço (1742 -1786). Se os rins e o fígado não metabolizassem parte do ácido contido no fumo, o homem morreria à primeira tragada. Todas essas substâncias altamente tóxicas causam prejuízos irreparáveis ao organismo humano, como vamos ver a seguir.

8.1 - FUMO: EFEITOS SOBRE O ORGANISMO HUMANO:
Assim como devasta a vontade e a lucidez, o cigarro ataca e destrui o organismo, criando doenças, provocando disfunções.
Para se ter uma idéia do alguns dados estatísticos:
• O fumo faz, anualmente, cinco vezes mais vítimas do que que todos os acidentes de tráfego do mundo.
• Por causa do fumo, ainda morrem , por ano, mais americanos do que morreram na I Grande Guerra, na Guerra do Vietnâ e da Coréia, combinadas e quase tantos quantos morreram II Guerra Mundial.

Sistema Respiratório
Bronquite, Enfisema. Câncer pulmonar, Angina de peito, Laringite, Tosse, Tuberculose, traqueíte, rouquidão.

Sistema Digestivo
Diminui a secreção gástrica, diminui o apetite e dificulta a digestão; úlcera gastroduodenal; quilite (inflamação dos lábios); sialorréia (salivação abundante), hepatite, aumento do ácido úrico, provocando a chamada Gota.

Sistema Circulatório
Arteriosclerose (20 cigarros ou mais por dia), varizes, flebite; isquemia; úlceras varicosas, palpitação, "Mal de Buerger" (trombose), aceleração de doenças coronárias e cardiovasculares.

SISTEMA NERVOSO
Uremia; "Mal de Parkinson"; vertigens; náuseas; dores de cabeça; nervosismo; opressão.

8.2 TABAGISMO: CONSEQUÊNCIAS
Assim como acontece na falta de bebidas alcoólicas, a falta do fumo para o viciado gera ansiedade, angústia. Desencadeia crises, convulsões e espasmos. É a dependência: mental, psíquica e física.

EFEITOS SOBRE NÃO FUMANTES
Segundo publicação da "Folha de São Paulo", de 12/ Maio/90 cerca de 3.800 norte-americanos morrem anualmente de câncer de pulmão, provocado pela fumaça de cigarros, apesar de não fumantes. "Este é o resultado de estudo divulgado esta semana pela E. P.A, o departamento de proteção ao meio ambiente dos EUA," diz o Jornal.

8.3 -O CIGARRO E O DINHEIRO
Vendas no Brasil (em 350 mil postos de venda) As vendas de cigarros alcançaram as seguintes cifras:
• Em 1986: 168,8 bilhões de unidades
• Em 1987: 162,4 bilhões de unidades
• Em 1989: 157,9 bilhões de unidades
•Em 1993: 120 bilhões de cigarros (6% a menos do que em 1992).

O setor exportou, em 1985: 550 milhões de dólares. O Brasil é o segundo maior exportador mundial de tabaco. Safra de 1989: 450 mil toneladas de folhas (recorde).
Impostos: Sobre o faturamento bruto de 1989 (US$3,6 bilhões):
• À elevada taxa de 76% !
Fumantes brasileiros: aproximadamente 33 milhões.

Fraude
Em Junho/94 a imprensa noticiou que a indústria "Souza Cruz" mantinha, pelo menos nos últimos dez anos, uma fábrica secreta no Rio Grande do Sul, para produzir fumo com o dobro da incidência de nicotina encontrada naturalmente na planta (Folha de S.Paulo, 22.Junho.1994). Com efeito, naquele mês foi apresentada denúncia no Congresso norte-americano, em Washington, pela FDA(Footf and Drug Administration - agência do governo americano encarregada de controlar produtos alimentícios e remédios), contra uma das maiores fabricantes americanas de cigarros.

Pela denúncia, aquela fabricante de cigarros há tempos vinha usando um tipo de tabaco geneticamente alterado, para adquirir o dobro do teor de nicotina e, desse modo, aumentar a dependência dos fumantes. Local onde era cultivado o tabaco mutante: Brasil...
— Assustador, não é mesmo?
Fontes:
Revista "Exame" - Melhores e Maiores "Folha de São Paulo" -24.Maio.90, Revista "VEJA", 29. Junho. 1994. TÓXICOS - DuasViagens
OBS: Não causa estranheza que nos EUA as fabricantes de cigarros estejam ultimamente às voltas com pedidos oficiais de indenização, cujos valores são astronômicos.

Apelos Promocionais:
A estratégia de "marketing" do cigarro enaltece o culto à personalidade.
Eis alguns exemplos:
"Os homens se encontram no cigarro...!"
"O importante é levar vantagem: fume...!"
"..-.Mais que um cigarro: um estilo de vida!"
"Mude para melhor: mude para...!"
"Alguma coisa temos em comum:...!"
"Venha para o mundo de....!"
"O importante é ter it: fume...!"
"...: A decisão inteligente!'
"O homem fuma... e basta!"
"...: Um raro prazerl"
Advertência Oficial:
Atualmente todos os maços de cigarros têm, impressa nos rótulos, a seguinte frase (determinação legal):
"O MINISTÉRIO DA SAÚDE ADVERTE:
Fumar é prejudicial à saúde

A frase "Fumar é prejudicial à saúde", importante advertência, obrigatória nos maços de cigarros, em 1994 completou 30 anos nos Estados Unidos, onde surgiu em 1964, no relatório anual do "Surgeon General"(Cirurgião Geral), o médico-chefe dos serviços norte-americanos de saúde. Foi adotada nos últimos anos por quase todos os países do mundo. Em Maio/1990, o Ministério da Saúde do Brasil baixou Portaria proibindo a venda de cigarros a menores de 18 anos.

8.4 TABAGISMO - PREVENÇÃO - CURA

1. — POR QUE FUMAR?
Antigamente
O tabaco era usado nas práticas de feitiçarias, nas quais os indígenas acreditavam que a fumaça afastava os "maus espíritos". Como defumador, os pajés jogavam folhas secas de tabaco no braseiro, ao mesmo tempo que invocavam os deuses. Os nativos, com o tempo, passaram a fazer um rolo de folhas secas de tabaco, fumegantes, aspirando e tragando a fumaça demonstrando visível sensação de prazer.

Atualmente:
Hoje o fumo é consumido em larga escala (aproximadamente 33 milhões de "brasileiros e brasileiras"), graças à herança daqueles costumes nativos, porém sob a égide de mentiras comerciais douradas, condutoras à exacerbação do consumo.
Tamanha e tão bem feita é a propaganda que quem não fuma, quase:
• ..."não é inteligente"
• ..."não é homem"
• ..."tem um raro prazer"
• ..."não tem "it"
• ..."não tem alguma coisa em comum com ninguém"...

2. — POR QUE O CIGARRO, QUASE SEMPRE, É COMPANHEIRO DO ÁLCOOL E DAS DROGAS?
Porque os três são e estão intimamente interligados. Difícil só se ligar a um deles. Geralmente, a dois. Quando ligado aos três, o homem está indo a largas passadas para o final de sua existência.
A - O alcoólatra:
Chega ao vício por tristezas, desgostos, frustrações, solidão etc., causadas por brigas na família ou na profissão. Também por indução de um paradoxal contexto, no qual familiares e/ou amigos, solidarizando-se com ele no vício, arremessam-no mais para baixo no "poço".

B - O fumante:
Com ele, ocorre o contrário: começa a fumar por curiosidade, despertada pelos exemplos dos familiares e/ou pressionado subliminarmente pela vasta propaganda do fumo. Aprende que o cigarro é a moldura indispensável para comemorar um êxito qualquer: uma boa refeição / uma relação sexual / um bom negócio. Acontece que, quando as coisas não andarem tão bem, o cigarro será igualmente consumido, já agora para aplacar a angústia, a ansiedade, o fracasso.
E o pior e mais falso de todos os motivos alegados pelos fumantes é o de que fumam para não engordar: a Medicina prova que a obesidade é assunto genético, jamais aquele mentiroso argumento!

C - O toxicômano:
Iniciado ou não no alcoolismo e no cigarro, sempre estará a um passo de se tornar dependente dos três. Na verdade, o álcool, o fumo e a droga, não obedecem a nenhuma ordem para o início de consumo, qual um mini-dominó, no qual os três se justapõem e se derrubam, sempre.

3. — COMO PREVENIR O TABAGISMO?
• Na família, pelo exemplo.
• Na sociedade, pela educação (onde sejam demonstrados os males do vício).
• Na religião, pelo respeito devido ao corpo e à vida.

4. — OS MALES DO TABAGISMO TÊM CURA?
Sim.
Nosso organismo possui extraordinária capacidade de refazimento e de recuperação. Estima-se, contudo, que eliminação dos agentes nocivos do fumo no corpo humano processa-se em período de tempo igual à duração do vício. Por exemplo: quem fuma há dez anos, se deixar o vício, levará aproximadamente outros dez anos para extirpar completamente do seu corpo os sintomas negativos do fumo.
Orientação médica será de grande valia num programa de recuperação, visando dieta alimentar, exercícios físicos, repouso etc.

5. — COMO DEIXAR DE FUMAR?
Agora!
A melhor maneira é fazê-lo de uma só vez.
Com extraordinária força de vontade.
Pegue seu maço de cigarros e jogue-o no lixo. É melhor passar alguns dias de angústia, mas reprimir definitivamente o desejo de fumar - do que prolongar essa agonia indefinidamente até que um câncer pulmonar ou laríngeo faça-o por você.
Obs: Métodos de abstinência progressiva até extirpação total do vício, tais como a diminuição de cigarro dia ou o uso de cachimbo, etc... demonstram poucos resultados. Tais métodos revelam também pouca decisão do viciado e deixam à mostra uma auto-enganação, pois verdadeiramente, no íntimo, ele não quer deixar de fumar...

8.5 - VISÃO ESPÍRITA DO TABAGISMO E DO FUMANTE
Fumo: uma infeliz criação humana, dentre tantas...
Por ser gerador de doenças e dependências (viciação), promove graves distorções no corpo e no caráter, refletindo-se em danos impressos no perispírito. E isso representará sofrimento em vidas futuras, senão já a partir desta. O fumante, após desencarnar, certamente irá ressentir-se da falta do fumo.

Buscará desesperadamente satisfazer o vício, só o conseguindo, tal como no processo de vampirismo, citado no capítulo do alcoolismo, deste trabalho. Por outro lado, o Espiritismo oferece inestimável apoio ao viciado que queira libertar-se, através da EVANGELHOTERAPIA.

Grupo Acostumei