14 - DEVER

Trazendo a sua consciência tranquila, nos DEVERES que a vida lhe deu a cumprir, você pode e deve viver a sua vida tranquila, sem qualquer necessidade de ser infeliz.

O DEVER é a obrigação moral da criatura para consigo mesma, primeiro e, em seguida, para os outros. O DEVER é a lei da vida. Com ele deparamos nas ínfimas particularidades, como nos atos mais elevados.

O Dever é o resumo prático de todas as especulaçõs morais; é uma bravura da alma que enfrenta as angústias da luta; é austero e brando; pronto a dobrar-se às mais diversas complicações, conserva-se inflexível diante das suas tentações.

O homem que cumpre o seu dever ama a Deus mais do que as criaturas e ama as criaturas mais do que a si mesmo. É a um tempo juiz e escravo em causa própria.

O dever é o conjunto das descrições da lei moral, a regra pela qual o homem deve conduzir-se nas relações com seus semelhantes e com o universo inteiro. Figura nobre e santa, o dever paira acima da humanidade, inspira os grandes sacrifícios, os puros devotamentos, os grandes entusiasmos. Risonho para uns, temível para outros, inflexível sempre, ergue-se perante nós, apontando a escadaria do progresso, cujos degraus se perdem em alturas incomensuráveis.

Dignifica, sobretudo, a responsabilidade em ti mesmo, reconhecendo que o DEVER a cumprir é a Vontade do Senhor que situa, nas criaturas e circunstâncias mais próximas de nosso espírito, o serviço mais importante que nos compete realizar.

O DEVER do trabalhador é continuar a tarefa que lhe foi conferida, tanto quanto a obrigação do servo fiel é marchar na realização do programa de quem lhe concedeu a bênção no serviço edificante.

ANTE O DEVER
CUIDAR DO CORPO E DO ESPÍRITO
DEVERES DE AGORA
FAZER DO DEVER UM PRAZER
O DEVER - ESE
O DEVER - LÉON DENIS
O PRAZER E O DEVER
SEMELHANÇA