15 - ESPONTÂNEO

Todo homem deve apresentar a virtude da espontaneidade, porque ela se traduz como sendo naturalidade, singeleza, demonstrando uma evolução não só intectual consernente ao entendimento da sua necessidade, como também moral, porque demonstra facilidade com que alguma coisa se produz, segue a exemplicação de Jesus de a demonstrar todo o tempo em que esteve encarnado em nosso meio.

Jesus ao andar em nosso meio, mostrou todas as virtudes que ele possuía num grau muito elevado, mas, não se exortava, demonstrava na execução de seus trabalhos que fazia, toda espontaneidade, naturalidade que lhe era peculiar.

Não é fácil sermos espontâneos em nossa caminhada mas, devemos mostrar consistência ao alinharmos com a Doutrina Espírita, não só aprendendo os seus parâmetros religiosos mas, como Jesus, exemplificarmos tudo o que aprendermos.

Edivaldo

 

AJUDEMOS O INIMIGO
MEDO
NÃO RETARDES O BEM