8 - CARÁTER

O caráter no Brasil ou carácter em Portugal, em psicologia é o termo que designa o aspecto da personalidade responsável pela forma habitual e constante de agir peculiar a cada indivíduo; esta qualidade, é inerente somente à uma pessoa, pois é o conjunto dos traços particulares, o modo de ser desta; sua índole, sua natureza e temperamento. O conjunto das qualidades, boas ou más, de um indivíduo lhe determinam a conduta e a concepção moral; seu gênio, humor, temperamento, este, sendo resultado de progressiva adaptação constitucional do sujeito às condições ambientais, familiares, pedagógicas e sociais. Caráter é a soma de nossos hábitos, virtudes e vícios.

O CARÁTER DA JUVENTUDE

A juventude sempre foi considerada a época dos grandes arroubos e dos grandes ideais. Sonhos heróicos e otimistas, anseios de luta e renovação são qualidades reconhecidas nos jovens. Isso se explica facilmente. O Espírito, atingindo a fase adulta, entra na plena posse de si mesmo e inicia propriamente as responsabilidades mais graves da presente existência. Os ecos dos compromissos assumidos no plano espiritual ainda estão frescos em sua alma e vêm ao coração em forma de sonhos e impulsos. A vontade de auto-realização e o ideal de mudar o mundo se conjugam. A euforia física, a energia vital, o vigor - tudo isso condiciona organicamente esse estado de espírito.

Não foram poucas as vezes na História em que os jovens, imbuídos desse idealismo arrojado, promoveram movimentos sociais e políticos, artísticos e religiosos, renovando a paisagem do mundo. Muitos ofereceram suas vidas em guerras e revoluções. Tantos empunharam o idealismo de forma feroz, semeando também a violência e a morte. Outros, no impulso de corrigir e de romper com o conservadorismo e a opressão moral, abusaram de suas energias vitais e se entregaram à devassidão.

É inegável, porém, que a juventude, tomada em seu aspecto coletivo, é uma força social renovadora de que as nações e a humanidade necessitam para progredir. A volta dos Espíritos, pelo processo da reencarnação, não proporciona apenas à própria individualidade a oportunidade de evolução. Retomando a vida em outras condições, interagindo com a História, os Espíritos que voltam são as novas gerações, incumbidas de empurrar o mundo para frente.

No intervalo entre uma existência e outra, o Espírito também aprende, toma novas resoluções, ouve conselhos e instruções de seus guias. Reencarnado, dependendo de seu livre arbítrio e da Educação que recebeu, vai cumprir mais ou menos fielmente ou trair compromissos assumidos e decisões tomadas. Comumente, vozes da própria consciência e dos Espíritos guardiães ainda ecoam com relativa força durante a juventude, tão cheia de promessas de realização.

Encarada no conjunto, portanto, uma nova geração sempre tem maior soma de bons propósitos e vontade de evolução do que muitas das pessoas mais velhas, que já se acomodaram na rotina; do que muitos Espíritos que já fracassaram nos deveres que haviam trazido para a presente encarnação.

Já ficou dito, e o reafirmamos sempre, que em qualquer fase da existência a renovação é possível. O Espírito é eterno e soberano e pode superar qualquer condicionamento físico e psíquico. Podem-se observar homens e mulheres maduros e até velhos, que vinham trilhando um caminho falso e promovem uma reviravolta saudável em suas vidas.

O esforço para isso porém, é muito intenso, pois atitudes, vícios, padrões culturais e psíquicos já estão, nesta altura, bastante cristalizados.

A juventude, nesse sentido, é muito mais flexível. Embora já tenha a carga de uma Educação recebida, ainda não deu tempo de se fixar tão profundamente nos traços de sua nova personalidade (que como sabemos é uma interação entre heranças do passado e aquisições do presente).

Por isso, por mais que um jovem esteja desviado dos propósitos construtivos que trouxe para a vida, há ainda nele muitas cordas sensíveis, que podem ser acionadas, para que mude de rumo.

Dora Incontri

AVALIAÇÃO DO CARÁTER
BENS VERDADEIROS
O CARÁTER